ABAS

sábado, 10 de dezembro de 2016

Ministério Público Federal denuncia Lula, o filho dele e mais dois na Operação Zelotes; O relatório destaca que durante as investigações não foram encontrados indícios de que Dilma Rousseff soubesse do esquema criminoso

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante congresso no Rio de Janeiro em novembro (Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante congresso no Rio de Janeiro em novembro (Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)

Ministério Público Federal denunciou à Justiça o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o filho dele, Luis Cláudio Lula da Silva, e dois empresários por crimes investigados na Operação Zelotes.
A denúncia é resultado de investigações sobre a compra dos caças suecos Gripen para a FAB e sobre a aprovação de uma medida provisória que beneficiou montadoras.


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado por tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Também foram denunciados o filho dele, Luís Cláudio Lula da Silva, e os empresários Mauro Marcondes e Cristina Mautoni.

Os procuradores afirmam que os crimes foram praticados entre 2013 e 2015, quando Lula não era mais presidente da República, e que ele usou sua influência para enriquecer a si e a familiares.
Procuradores afirmam que Lula integrou um esquema que vendia a promessa de que ele poderia interferir junto ao governo da então presidente Dilma Rousseff para beneficiar as empresas MMC, grupo Caoa e Saab, clientes da empresa Marcondes e Mautoni Empreendimentos e Diplomacia LTDA, a M&M.
Em troca, Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, donos da M&M, repassaram, segundo a denúncia, mais de R$ 2,5 milhões ao filho de Lula através de um contrato de assessoria. Esse valor, de acordo com o Ministério Público, só não foi maior porque a Operação Zelotes foi deflagrada.
Segundo a investigação, Luís Cláudio copiou da internet os relatórios entregues à empresa M&M.
A denúncia afirma que "Lula recebeu dinheiro por intermédio do filho, tornando-o um milionário num intervalo de apenas nove meses. Uma evolução patrimonial de 770% sem explicação lícita".
O relatório destaca que durante as investigações não foram encontrados indícios de que Dilma Rousseff soubesse do esquema criminoso.
A Justiça Federal em Brasília ainda terá que decidir se abre a ação penal contra Lula e o filho dele na Operação Zelotes. O caso está com o juiz Vallisney Oliveira.
Lula já é alvo de três ações penais, uma denúncia e quatro inquéritos, em procedimentos no Supremo Tribunal Federal, na Justiça Federal em Brasília e no Paraná.
A defesa do ex-presidente Lula afirmou que ainda não teve acesso à denúncia. A defesa afirmou, ainda, que nem o ex-presidente, nem o filho dele, participaram ou tiveram conhecimento de qualquer ato relacionado à compra dos aviões Gripen. E que Luis Claudio recebeu da Marcondes e Mautoni remunerações por trabalhos efetivamente realizados.
Instituto Lula afirmou que a ação é mentirosa e ofensiva ao ex-presidente, à família dele e às empresas citadas, que não aponta nenhuma conduta criminosa do ex-presidente ou de qualquer autoridade citada e não diz como teria sido a suposta influência na tramitação de medidas provisórias.
A defesa de Cristina Mautoni e de Mauro Marcondes declarou que o interesse do Ministério Público Federal é atingir o ex-presidente Lula. E que não há nada que diga que a compra das aeronaves tenha sido feita por meio de irregularidades.
O Jornal Nacional não conseguiu contato com a Saab e não teve o retorno da Caoa. Já a MMC não vai se manifestar.

Nenhum comentário: