ABAS

sábado, 3 de dezembro de 2016

Como surgiu o Wi Fi? Entenda bem essa historia.

Wi-Fi Alliance, grupo responsável pela criação do Wi-Fi, já tem seus 16 anos de distribuição desta tecnologia no mercado. Com quase 650 organizações afiliadas, a entidade define os padrões das redes sem fio para o mercado. Hoje, aproximadamente dois bilhões de dispositivos de sinal estão em uso pelo mundo e as redes sem fio estão presentes em diversos ambientes corporativos e sociais. 

Embora apresentado em 1999 para as empresas, a tecnologia Wi-Fi surgiu em 1997, com a criação do IEE 802.11. Com sua crescente popularidade, hoje temos 2 milhões de hotspots(pontos de distribuição de sinal) pelo mundo, sinal de uma demanda crescente. Segundo o site Deloitte, só nos Estados Unidos, mais de dois terços dos consumidores de internet preferem a rede wireless a conexões com fio.
A distribuição de sinal do Wi-Fi funciona através da emissão de ondas eletromagnéticas em frequências específicas. Os primeiros tipos de conexão wireless usavam a frequência de 2,4 GHz e tinham um alcance de 2 Mb/s. Um segundo padrão, denominado 802.11b, alcançava taxas de transmissão de até 11 Mb/s e tornou-se popular no mercado, porém sua baixa frequência apresentava problemas devido à interferência de sinal de aparelhos microondas e outros dispositivos eletrônicos.
A tentativa de utilizar uma frequência maior surgiu com o terceiro padrão, o 802.11a. Esta tecnologia estava em fase de desenvolvimento e seu lançamento passou por atrasos. Em comparação ao anterior, este tipo de rede alcançava até 54 Mb/s e transmitia sinal em 5 GHz, resolvendo o problema de interferência. Porém, esta tecnologia custava mais que o 802.11b e possuía alcance menor, o que dificultou sua adesão comercial.


Para solucionar este problema, os desenvolvedores implantaram em 2003 a 802.11g, que voltava a operar em 2,4 GHz e conseguia transmitir a mesma quantidade de megabytes por segundo que a conexão anterior. Além disso, as redes que utilizavam esta tecnologia passavam a conectar com aparelhos de padrão anterior, embora isso limitasse a capacidade de distribuição de toda a rede.
Em 2009 foi criado o padrão 802.11n, atualmente conhecido como o mais rápido no mercado. Este tipo de rede utiliza o método de transmissão MIMO-OFDM, responsável pelo envio de sinal em duas frequências - 2,4 e 5 GHz - ao mesmo tempo. Devido a qualidade de sinal, dispositivos que operam com este padrão podem (teoricamente) alcançar velocidade máxima de até 450 Mb/s.
Embora o 802.11n continue sendo o padrão atual mais popular, outros estão em fase de implantação: o 802.11ac, que utiliza 5 GHz e poderá alcançar 1 Gb/s; e o 802.11ad, que funciona em 60 GHz e irá oferecer até 7 Gb/s de conexão. 

Nenhum comentário: