ABAS

sábado, 19 de novembro de 2016

E se não houvesse desperdício de alimentos no mundo?















De um lado, um em cada três alimentos produzidos no planeta vai parar no lixo. De outro, uma em cada oito pessoas vai dormir com fome todos os dias. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), mais da metade do desperdício (54%) acontece ainda nas etapas iniciais da produção, manipulação e armazenamento após a colheita. O restante se perde nas etapas de processamento, distribuição e consumo. Mas como seria o mundo se cada grão, fruta, verdura e legume fosse realmente aproveitado?

Em primeiro lugar, seria possível mudar a equação da insegurança alimentar, acredita Helio Mattar, presidente do Instituto Akatu. Isso porque o mundo produz alimento o bastante para alimentar 12 bilhões de pessoas (cinco bilhões a mais do que a atual população da Terra). Além de reduzir a oferta nas gôndolas, o desperdício faz com que os produtos encareçam, já que causa prejuízo de R$ 1,6 trilhão ao ano - e, como você verá abaixo, não é só esse número que é superlativo.

Atualmente, enquanto 1,3 bilhão de toneladas de comida é desperdiçada no mundo todo, 795 milhões de pessoas não tem o que comer. Essas perdas podem significar a diferença entre uma dieta adequada e a desnutrição em muitos países, localizados especialmente na África e no Sul da Ásia, afirma o Banco Mundial. No Brasil, o desperdício é ainda superior à média mundial: metade das nossas bananas, morangos e alfaces vai para o lixo. Mais da metade dos resíduos brasileiros (58%) é composta por comida, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Na outra ponta, 7,2 milhões de pessoas passam fome no país, de acordo com a FAO.

O fim do desperdício também mexeria diretamente no bolso dos consumidores. Além de ter acesso a produtos mais baratos, ao não jogar comida fora, as famílias brasileiras poupariam R$ 90 todos os meses. A estimativa do Instituto Akatu, com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ainda aponta que cada família descarta, em média, 20% dos alimentos que compra.

Sem perdas de alimentos, os ganhos ambientais também seriam enormes: o mundo deixaria de emitir 3,3 gigatoneladas de CO2 para a atmosfera, diz a FAO. Se o desperdício de alimentos fosse uma nação, figuraria em terceiro lugar no ranking dos maiores emissores de gases de efeito estufa, atrás apenas da China e dos Estados Unidos. As consequências do fim do desperdício são positivas para o clima, a água, o uso da terra e a biodiversidade.

O que você pode fazer

A boa notícia é que boas práticas de incentivo ao consumo consciente são cada vez mais comuns e acessíveis graças ao acesso à informação. Exemplo disso é a plataforma inovadora FARMSQUARE, que permite trocar ou doar comida excedente com outras pessoas. Idealizada pelo ator e apresentador Rodrigo Hilbert e viabilizada por um coletivo de parceiros, a iniciativa promove a alimentação saudável e, de quebra, ajuda a combater o desperdício com a ajuda dos usuários - pessoas comuns, agricultores urbanos, supermercados e até restaurantes.



Com FARMSQUARE, qualquer interessado, em qualquer cidade, pode se cadastrar para conferir as ofertas de alimento e oferecer as suas próprias trocas ou doações. No mapa, é possível encontrar as oportunidades mais próximas e iniciar o processo.

Para além da plataforma, vale colocar em prática estas dicas valiosas de Mattar:

- Planeje o cardápio
Ao definir as refeições da semana, você pode elaborar uma lista de mercado precisa e comprar apenas produtos realmente necessários. Com uma boa lista em mãos, fica mais fácil resistir a ofertas e às promoções do tipo "leve 3 e pague 1".

- Tenha uma nutrição adequada
Além de uma questão de saúde, a alimentação adequada pode ajudar a reduzir o sobrepeso, que também é um desperdício, segundo Mattar. De acordo com o Ministério da Saúde, mais da metade dos brasileiros (52,5%) estão com excesso de peso.

- Cozinhe integralmente os alimentos
Na comida, nada se perde: tudo se aproveita! Algumas receitas aproveitam cascas, talos, folhas e sementes - muito nutritivos, mas também muitas vezes desprezados na elaboração dos pratos. Não sabe por onde começar? Aposte nos alimentos que você encontrará no FARMSQUARE!




Os parceiros de FARMSQUARE são: Del Valle, FLAGCX, CI&T, Niiez e Gastromotiva


Nenhum comentário: