ABAS

terça-feira, 25 de outubro de 2016

A derradeira tentativa do PT de salvar Lula

PT- base política diminui após boom na era Lula (Foto: Andre Coelho / Agência O Globo)
PT- base política diminui após boom na era Lula (Foto: Andre Coelho / Agência O Globo)
Ricardo Noblat
Enquanto mais e mais facções do partido começam a se debruçar sobre um cenário sem Lula e a discutir o futuro da esquerda no país, a direção do PT está empenhada em tentar um último e desesperado esforço para livrar o ex-presidente do triste fim de ser condenado por corrupção e – quem sabe? – de acabar preso.
Uma vez encerrada a eleição municipal no próximo domingo, os aliados mais próximos de Lula pretendem promover uma série de atos país a fora em defesa dele e contra o que entendem ser uma perseguição política movida pela Lava Jato contra quem que já foi o líder popular mais querido da história do país.
Lula é réu em três ações penais. Duas, em Curitiba, por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em que teria recebido propina de R$ 3,7 milhões pela reforma do triplex no Guarujá e pelo armazenamento em São Paulo de seus bens. Uma em Brasília por ter favorecido a Odebrecht em empréstimos de banco oficial.
Os juristas e intelectuais de sempre, ligados ao PT, serão convocados para no próximo dia 7, em São Paulo, se reunirem em torno de Lula. No dia 29, também em São Paulo, haverá uma manifestação aberta a quem queira comparecer. Está sendo amadurecida a ideia de se montar nos Estados comitês pro Lula.
O próprio Lula parece disposto a estar presente à inauguração de cada um desses comitês. Blogs e sites de simpatizantes do PT e da causa de Lula serão estimulados a disseminar informações que possam produzir uma onda que impeça a condenação dele. Resta a dúvida se tamanho esforço dará resultados.
No início da campanha eleitoral deste ano, tão logo Lula virou réu pela primeira vez, o PT orientou seus candidatos a prefeito e vereador a defenderem Lula em programas de rádio e de televisão. Raros os que seguiram a orientação. Há 10 dias, militantes foram chamados para uma vigília em frente ao prédio onde Lula mora.
Menos de 50 apareceram por lá.

Nenhum comentário: