ABAS

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Ceará perdeu mais de 17 mil postos de trabalho no primeiro trimestre de 2016

O Ceará perdeu 17.533 postos de trabalho com carteira assinada nos três primeiros meses deste ano. Em março de 2016 foram eliminados 4.701 empregos celetistas mostra levantamento do Caged divulgado nesta sexta-feira, 22...

O emprego com carteira assinada continua em queda. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta, 22, pelo Ministério do Trabalho, o Ceará perdeu 17.533 postos de trabalho nos três primeiros meses deste ano. O levantamento mostra que em março de 2016 foram eliminados 4.701 empregos celetistas.
 A Região Metropolitana de Fortaleza registrou retração de 3.952 empregos formais (-0,45%). O desempenho negativo decorre da redução do emprego, principalmente nos setores da indústria de transformação (-1.592 postos) e da construção civil (-1.339 postos).
 Na série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, nos últimos 12 meses verificou-se declínio de 3,66% no nível de emprego ou -44.819 postos de trabalho.
 O Brasil fechou 118.776 vagas formais de trabalho em março, de acordo com o Caged. E no acumulado do primeiro trimestre, houve fechamento de 319.150 vagas pela série ajustada.
 Entre as Unidades da Federação, quatro das 27 elevaram o nível de emprego: Rio Grande do Sul (+4.803 postos), Goiás ( 3.331 postos), Roraima ( 220 postos) e Mato Grosso do Sul ( 187 postos).
 As maiores reduções de emprego formal ocorreram nos estados: São Paulo (-32.616 postos), Rio de Janeiro (-13.741 postos), Pernambuco (-11.383 postos) e Alagoas (-9.872 postos).

Redação O POVO Online 

Nenhum comentário: