ABAS

terça-feira, 8 de março de 2016

'(...)Bons cidadãos são objetos de maior suspeita que os maus, e o virtus de outros parece sempre alarmante.'



O Estado desgovernado toma tudo do cidadão, inclusive a sua vida:
'(...) Mesmo sem sofrer coerção aberta, o cidadão permanece numa condição de dependência política, ficando exposto ao perigo de ser privado da liberdade e até de sua vida (...)'
"Os poderes discricionários dos governantes, mesmo sem ser exercidos, são ameaça constante aos súditos individuais. Para eles, a menos que cada cidadão viva sob um sistema de “autogoverno”, isto é, atinente a leis, a leis, mas não a homens, terá de viver como “escravo”.

Nenhum comentário: