ABAS

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Vale a pena ler de novo: O que Lula chama de projeto político do PT não passa de uma tentativa de se eternizar no poder

Um dos últimos dias de seu segundo mandato, Lula sorri em encontro com jornalistas  (Foto: Wilson Dias / Agência Brasil)


Foi-se o tempo em que o PT teve um projeto político. Ou tentou esboçar um...

Ricardo Noblat
Lula aproveitou, ontem à noite, em São Paulo, o Congresso Nacional de Metalúrgico para formular um apelo dramático:
- Vamos parar de criminalizar o PT.
Ele não se conforma com a acusação de que seu partido se beneficiou de contratos superfaturados com a Petrobras firmados pelas maiores empreiteiras do país.
Comparou a crise política vivida pela presidente Dilma Rousseff com a crise que ele atravessou durante o escândalo do mensalão, o pagamento de propinas a deputados federais para que votassem como mandava o governo.
- Eles tentaram fazer comigo exatamente que estão fazendo com a Dilma. É importante lembrar o que eles falaram de mim em 2005. É uma política determinada de criminalizar o PT. O que me deixa chateado é que eles nunca vão reconhecer que nunca antes na história do Brasil criaram-se tantos mecanismos de combate à corrupção como nesses 12 anos de PT – disse Lula.
Fraca e velha a desculpa arranjada por Lula para tanta roubalheira. Quanto mais se descobre corrupção no governo Dilma e nos governos anteriores dele, mais Lula repete que isso só foi possível porque o PT criou mecanismos de combate à corrupção.
Lula repetiu a velha cantilena de que só não foi derrubado em 2005 porque “os trabalhadores” saíram às ruas em sua defesa.
Mentira. Não foi derrubado, entre outras coisas, porque ninguém tentou. A oposição desistiu rapidamente de pedir seu impeachment. E nenhum pedido para derrubá-lo deu entrada no Congresso.
Até hoje, apesar de o Supremo Tribunal Federal, formado por uma maioria de ministros indicados por ela, ter condenado os mensaleiros, Lula faz questão de dizer que o mensalão jamais existiu. Ele mesmo pediu desculpas aos brasileiros e se disse traído pelos mensaleiros. Esqueceu?
- Neste instante, em que é mais fácil entrar no banheiro da fábrica e falar mal do governo, nós não podemos permitir que a infâmia, o mau caratismo e a má fé de algumas pessoas venham destruir um projeto político que nós começamos a construir no país – pediu o ex-presidente.
Foi-se o tempo em que o PT teve um projeto político. Ou tentou esboçar um. O que hoje chama de projeto não passa de um conjunto de manobras para se eternizar no poder. 

Nenhum comentário: