ABAS

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Ministério Público Eleitoral quer a cassação de sete vereadores de Município cearense por infidelidade partidária

Antes que a febre da infidelidade partidária ameaçasse campear de vez nos Inhamuns, a Procuradoria Regional Eleitoral do Ceará (PRE/CE) resolveu mirar na Câmara Municipal de Tauá. Mais precisamente em quatro vereadores e um suplente do PMDB, que se filiaram ao PSD, além de um vereador e um suplente oriundos do PTB, agora, também, integrantes das fileiras pessedistas. Ou seja, quase a metade do Plenário, que possui 15 cadeiras, se encontra, hoje, sob o risco de cassação. Os dois suplentes estão no exercício dos cargos.
O Ministério Público deu entrada em processos na Justiça Eleitoral, na última quinta-feira, 19 de novembro, com representações que pedem a decretação de perda do cargo eletivo dos parlamentares. As denúncias de infidelidade atingem os ex-peemedebistas Marcos Caracas, presidente da Câmara; Marco Aurélio Moreira Aguiar, Antônio Coutinho Sobrinho, Luis Tomaz Dino e Ataciso Cavalcante Mota Filho, e os ex-petebistas Felipe Veloso Soares Viana e Ananias Filho Mota. 


Primeiro, quem entrou em campo para denunciar foi o suplente de vereador Cemar Pedrosa. Inconformado com as mudanças de agremiações por parte dos ex-companheiros, ele acionou a Justiça. Por último, a Procuradoria, que resolveu passar o rodo.


CEARÁ NEWS7

Nenhum comentário: