ABAS

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Ministério Público do Estado do Ceará investiga desvio de dinheiro de merenda

Fachada de uma das empresas investigadas pelo MP
Fachada de uma das empresas investigadas pelo MP (WAGNER MENDES)

Uma operação desencadeada pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) prendeu, na manhã de quarta, 02, a secretária da Educação do município de Russas, Morlânia Chaves, a sua cunhada, Cheria Cristina Costa Monteiro, e o dono da empresa N.R. de Lima, Natanael Rodrigues de Lima. A ação, denominada “Hora do Lanche”, investiga suposto desvio de recursos públicos destinados à merenda escolar na cidade. 
A operação, que envolveu promotores de Justiça do Núcleo de Tutela Coletiva (Nutec), Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e equipes da Polícia Civil, também expediu mandado coercitivo para Maria Rosângela, que trabalhava na secretaria de Educação. Ela prestou depoimento e foi liberada.

De acordo com as investigações, eles são acusados por crimes de fraude em licitações, falsificação de documentos públicos, superfaturamento de preços e falsidade ideológica e devem permanecer detidos por pelo menos cinco dias prorrogáveis.

No entanto, segundo o promotor João Batista, as prisões podem passar de temporárias para preventivas nos próximos dias. Apesar da execução da operação, a promotoria afirma que as investigações ainda estão em pleno curso e que serão necessários novos desdobramentos.

Batista suspeita que as empresas investigadas, a Comercial Alves e a N.R. de Lima-ME, pertencentes ao mesmo grupo, são de fachada. “Existem indícios de que é empresa de fachada, mas tem firma e sede. Isso ainda está sendo investigado”, disse. 

O promotor informou que os trabalhos de apuração foram iniciados há cerca de um ano. De início, a denúncia tinha por foco a má qualidade da merenda escolar das escolas públicas do município.

A partir daí, chegou-se à deflagração da operação. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Prefeitura de Russas, nas residências dos investigados e nas sedes das referidas empresas, nas cidades de Russas, Caucaia e Fortaleza.

Novas investigações
O promotor afirmou ainda que o trabalho do Núcleo de Tutela Coletiva engloba ao todo 21 municípios (incluindo Russas) e que outras investigações estão sendo feitas em vários âmbitos. “Não necessariamente em relação à merenda escolar, mas com viés voltado para o combate à corrupção”, alertou. (colaborou Jessica Welma)
NÚMEROS
22
é o número de municípios com os quais a empresa tem contratos
Saiba mais

Guaraciaba do Norte é o município com o maior volume de recursos em contrato com a empresa: R$ 1,7 milhões.

Segundo o MPCE, as empresas envolvidas tinham movimentação financeira paralela e agiam em conluio para fraudar licitações. Além disso, os preços de contratações foram superfaturados.

De acordo com o promotor João Batista, o trio não ofereceu resistência à prisão.

A NR de Lima e a Comercial Alves possuem cadastro regular no Ministério da Fazenda.

A NR descreve suas atividades com artigos para papelaria, equipamentos para escritório, artigos de armarinho, produtos saneantes domissanitários, artigos esportivos e manutenção elétrica.

Entre as atividades econômicas principal e secundária apresentados à Fazenda, a Comercial Alves declara ao todo 40 áreas de atuação. Entre eles o comércio varejista de produtos alimentícios.
O POVO

Nenhum comentário: