ABAS

terça-feira, 28 de julho de 2015

Mais de 6 mil sofreram acidente de moto

Ontem foi o Dia Nacional do Motociclista. Infelizmente, os números mostram que ainda há muito com o que se preocupar. Acidentes envolvendo motos são constantes em Fortaleza e em todo o Ceará. Só neste mês de julho, até ontem, o IJF atendeu 1.148 motociclistas acidentados.
No primeiro semestre desse ano, o Hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro, atendeu 6.415 pessoas entre condutores e passageiros de moto. Apenas 867 a menos que os atendimentos registrados no primeiro semestre de 2014. Segundo a assessoria do hospital, o ano passado finalizou com o total de 14.919 atendimentos por acidentes de moto.

Mortes
Segundo os dados do “Retrato da Segurança Viária no Brasil – 2014”, relatório da Falconi Consultores de Resultado e o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), os motociclistas representam, aproximadamente, metade das vítimas fatais em decorrência de acidentes de trânsito na região Nordeste.
Para o diretor técnico do ONSV, Paulo Guimarães, o resultado está diretamente ligado ao desenvolvimento econômico da região. Com a população mudando de classe social, mais veículos são adquiridos e, consequentemente, mais deslocamentos são registrados. “Com uma situação econômica melhor, houve um aumento significativo de deslocamentos diários. Sem emprego, a pessoa passa mais tempo em casa. Com emprego, ela vai de casa para o trabalho, sai para passear ou viajar”, analisou. Mais veículos no trânsito somados a mais deslocamentos diários refletem nos índices de acidentes e mortes.

Frota
Além desse fator, Paulo Guimarães afirma que o crescimento acelerado da frota de motocicletas também interfere no número de acidentes. Segundo estatística do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o Ceará está entre os dez estados do Brasil em que a frota de motocicletas é a maior que a de automóveis. Ao todo, são 1.309.357 motocicletas circulando no Estado, enquanto o número de carros é de 977.199. Em Fortaleza, a frota de motos é de 260.991.
Conforme análise de Guimarães, “entre 2001 e 2012, a frota cresceu 335,77% no Brasil. No mesmo período, o índice registrado no Nordeste foi de 511,16%. Já no Ceará, o percentual aumentou 412%”.
Motociclistas desconhecem objetivo de faixa
Na tentativa de reduzir os índices de acidentes e proporcionar mais segurança aos motociclistas no trânsito, a Prefeitura de Fortaleza realiza, durante esta semana, uma série de ações educativas para os agentes mais vulneráveis a acidentes no trânsito. Entre as ações, aconteceu, ontem, a entrega de uma nova faixa de retenção para motos no cruzamento da Avenida Aguanambi com Coronel Pergentino Ferreira. No entanto, apesar de prometer mais segurança no trânsito, muitos motociclistas ainda não entenderam o objetivo da faixa.
O vendedor Oséias Pontes, por exemplo, esperou o sinal “abrir” atrás da nova faixa de retenção. “Vi que tem o desenho de uma moto, mas não sei para que serve, por isso preferi parar como antes para não correr o risco de ser multado. Mas, se for para o uso de motos, será muito bom”, disse.
Já o estudante Edson Almeida, 23 anos, comemorou a atenção dada aos motociclistas. “É muito bom saber que eles estão organizando o trânsito e pensando nos motociclistas. Realmente, com a faixa, fica melhor para a saída e não tem a disputa entre carros e motos, o que pode sim evitar alguns incidentes”, observou. Edson completou, ainda, que a faixa deveria ser implantada em todos os cruzamentos da cidade. “Tem ruas em que essa faixa fará toda a diferença”.
Com informações do Jornal Estado do CE

Nenhum comentário: