ABAS

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Lucroda Coelce cresce 141,4% no 1º semestre



Se para o consumidor cearense os seguidos aumentos nas contas de energia elétrica têm sido penosos, com redução obrigatória do consumo de vários itens, numa tentativa de encaixar os valores das novas faturas no orçamento doméstico, para a Companhia Energética do Ceará (Coelce), os novos reajustes tarifários foram um presente. No primeiro semestre deste ano, a Coelce registrou lucro líquido de R$ 220,9 milhões, 141,42% maior do que os R$ 91,5 milhões anotados em igual período de 2014.

Da lucratividade total deste semestre, R$ 132 milhões, ou 60%, foram auferidos no primeiro trimestre, e os outros R$ 88,9 milhões, no período de abril a junho últimos, revelando um recuo de quase um terço, ou de 32,65%, nos lucros da Companhia entre um trimestre e outro. 

Investimentos

Os investimentos também cresceram nos primeiros seis meses de 2015, mas não na mesma proporção dos lucros realizados. De janeiro a junho últimos, a Coelce investiu R$ 162 milhões, 22% mais do que os R$ 132 milhões aplicados no primeiro semestre de 2014. Do montante total investido, sobretudo na conexão de novos clientes, na melhoria da qualidade dos serviços e no combate ao furto de energia elétrica, a maior parte, ou R$ 114,2 milhões foram concentrados neste segundo trimestre, montante 138,9% superior aos R$ 47,8 milhões investidos entre janeiro e março deste ano.


 Os números constam nos dois últimos balanços financeiros divulgados pela Coelce, em 27 de abril, o do primeiro trimestre, e ontem, o relativo aos resultados dos primeiros seis meses de 2015. Enquanto os investimentos crescem e os lucros se multiplicam, os balanços revelam que as vendas e o transporte de energia elétrica se mantiveram estáveis nos dois trimestres. 

De janeiro a março de 2015, as vendas alcançaram 2.841 GigaWatts/hora (GWh), e de abril a junho, 2.804 GWh, totalizando 5.643 GWh comercializados no semestre, um aumento de 3,7%, em relação a igual período de 2014. "Já o consumo de energia per capita no mercado cativo e livre se manteve praticamente estável, com ligeira alta de 0,2%, reflexo da desaceleração econômica do País", diz a Coelce.

Ao final do primeiro semestre de 2015, a Companhia alcançou 3.684.812 clientes, 3,5% a mais do que os 3.558.674 contabilizados no mesmo período de 2014 e 1% maior do que os 3.649.884 computados no fim do primeiro trimestre de 2015.

 De acordo ainda com nota da Coelce, "dos cerca de 126 mil novos clientes conectados entre o final de junho do ano passado e junho de 2015, cerca de 48 mil são da classe residencial e 47 mil da classe rural".

Receitas 

Em justifica semelhante à divulgada no balanço do primeiro trimestre de 2015, a Coelce informou ontem, que "a maior receita é decorrente, principalmente, da decisão regulatória (despacho 4.621 da Aneel), de novembro de 2014), que permite às distribuidoras de energia contabilizar, nos seus resultados financeiros, os créditos a receber nos próximos reajustes tarifários a partir de 2016, sem impacto nas tarifas em 2015". 

Disse ainda, que "as receitas da Companhia cresceram também como resultado das revisões tarifárias extraordinária e ordinária aprovadas pela Aneel, respectivamente, em março e abril de 2015, e pela entrada do sistema de bandeiras tarifária em janeiro de 2015, com cobrança de valor adicional por kWh consumido, de acordo com as atuais condições de geração de energia do País. 

COM INFORMAÇÕES DO DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário: