ABAS

domingo, 24 de maio de 2015

Obras do Cinturão das Águas seguem atrasadas


Governador visitou trechos do Lote 5 e garantiu que presidente vai liberar recursos para adutoras emergenciais...

Missão Velha. As obras do Cinturão das Águas, projeto desenvolvido pelo Governo do Estado, através de recursos da União, continuam atrasadas.Sexta-feira,22, ao lado de uma comitiva de 12 deputados estaduais, o governador Camilo Santana visitou trechos da obra no Lote 5, onde é construído o Túnel Veneza, no distrito de Jamacaru, em Missão Velha. O equipamento possui 2,3 Km de extensão e está com cerca de 50% da execução física concluída. No local, trabalham 839 operários do total de 1.315 funcionários de todos os trechos, formados por cinco lotes. Até o fim do ano passado, cerca de 3.200 operários trabalhavam na construção da obra.
Os atrasos no cronograma se referem ao não cumprimento de repasses de recursos pelo Governo Federal. No início do ano, por conta da falta dos repasses, houve milhares de demissões. Os desligamentos, no entanto, acontecem desde novembro de 2014, quando começaram a ser realizadas paralisações por falta de pagamento de salários.
Camilo Santana informou que tratou da questão dos atrasos durante audiência com a presidente Dilma Rousseff na última terça-feira (19). Conforme o governador, o volume liberado não é suficiente para que o andamento do projeto se dê de maneira mais célere.
Prioridade
Ele garantiu que a prioridade do Governo Federal são as obras hídricas e que a presidente trabalha com a perspectiva da chegada das águas da Transposição do São Francisco no Ceará a partir de julho do próximo ano, através da barragem de Jati. "Essa é a principal obra hídrica. Ela vai liberar quase R$ 100 milhões para o Ceará de adutoras emergenciais, e serão mais R$ 22 milhões de recursos para carro pipa", diz.
O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Zezinho Albuquerque, que coordenou a comitiva de parlamentares estaduais, disse que a Casa vai pressionar deputados federais e senadores cearenses para que haja audiências públicas para estabelecer novo ritmo aos trabalhos.
O Cinturão das Águas irá captar água da barragem de Jati, do projeto da Transposição do Rio São Francisco, e distribuir para as regiões mais afetadas pela seca do Ceará. O Trecho 1 inclui 12 cidades do Cariri, de Jati a Cariús. Serão investidos, até a conclusão do trecho, cerca de R$ 1,6 bilhão. A expectativa é que sejam beneficiadas mais de um milhão de pessoas no Cariri.
Roberto Crispi
Colaborador
DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário: