ABAS

sábado, 18 de abril de 2015

Assembleia aprova licença não remunerada de Cid Gomes por dois anos do cargo que ocupa na Casa desde 1985.

Resultado de imagem para CID GOMES

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Ceará concedeu, ontem, licença não remunerada de dois anos ao ex-governador Cid Gomes (Pros) do cargo que ocupa na Casa desde 1985. O período da licença passa a contar a partir do dia 1° de abril. Na justificativa da solicitação de afastamento, o ex-ministro afirmou que necessita do período para tratar de “interesse particular”. Cid deverá passar uma temporada nos Estados Unidos com a família.

A viagem reacende a discussão do futuro político do irmão de Ciro após afirmar, no final do segundo mandato como governador, que tinha interesse em voltar a trabalhar no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), nos Estados Unidos, ao deixar o comando estadual.

Contudo, o fato não se concretizou após o ex-gestor aceitar convite da presidente Dilma Rousseff (PT) para assumir o Ministério da Educação (MEC).

No entanto, de acordo com o aliado político de Cid, o deputado federal Domingos Neto (Pros), o ex-governador não estaria com a mesma “intenção” de morar e trabalhar em Washington, como havia informado anteriormente. A conversa entre o deputado e o ex-governador se deu há pouco mais de duas semanas.

Questionado se o irmão estaria de partida para o Exterior, o secretário estadual das Cidades, Ivo Gomes, foi sucinto: “Não que eu saiba”.

De acordo com o Estatuto dos Funcionários Públicos do Estado do Ceará, Cid poderá, a qualquer momento, retornar ao posto de servidor da Assembleia caso assim deseje.

Futuro Político
Líder do Pros na Câmara Federal, o deputado Domingos Neto afirmou ao O POVO que o desejo da sigla é que Cid Gomes assuma a liderança do partido a nível nacional. 

“O Pros tem o Cid como uma grande liderança que nos representa. Nós temos a intenção que ele possa viajar o Brasil levantando a bandeira do partido, defendendo as pautas nacionais... Ele tem competência pra isso”, afirmou.

Para o parlamentar, a legenda vai esperar “o tempo dele”. “Uma pessoa que tem um filho recém-nascido precisa curtir a família”, defendeu.

2018
O nome do ex-governador cearense é lembrado nas rodas de discussões dos aliados políticos para a disputa presidencial de 2018. A possível candidatura passou a ser discutida após a saída conturbada de Cid do Ministério da Educação. 

Em plenário do Congresso Nacional, o cearense não só confirmou que tinha chamado os deputados de achacadores, como os chamou de “oportunistas” na ocasião em que foi convocado. O gesto soou de maneira positiva perante a opinião pública.

NÚMEROS

Dois
anos é o período em que Cid Gomes poderá ficar afastado do cargo na Assembleia

Para entender

O ingresso de Cid na Assembleia como servidor da Casa não se deu por meio de concurso. Ele foi admitido no quadro permanente de funcionários em 1985.

Na época, Ciro Gomes era deputado estadual e propôs emenda para abolir a distribuição de cargos e abrir concursos públicos, com a condição de que servidores temporários com contratação até 18 de julho de 1985 fossem efetivados.

Na Assembleia, Cid teve remuneração bruta de R$ 3.171,17 no mês de janeiro deste ano, na função de engenheiro, e R$ 2.882,88, em fevereiro, como analista.

A partir da Constituição de 1988, a distribuição aleatória de cargos passou a ser ilegal e os concursos públicos se tornaram a forma de ocupar vagas efetivas.
O POVO

Nenhum comentário: