ABAS

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Povo marcado pelo abandono e desprezado por sucessivos governos - LATROCÍNIOS - Três assaltos terminam em morte na Grande Fortaleza


Três pessoas foram vítimas de latrocínio (roubo seguido de morte) neste fim de semana, na Grande Fortaleza. Os crimes vitimaram um bacharel em Direito, um tenente do Exército Brasileiro e uma aposentada de 66 anos. Os casos ocorreram, respectivamente, no município de Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), e nos bairros Cidade dos Funcionários e Carlito Pamplona, na Capital.

O último crime ocorreu na Cidade dos Funcionários, quando o bacharel em Direito, Eduardo Vale de Brito, 37, levou um tiro na cabeça na porta da casa da noiva, na Avenida Desembargador Gonzaga com Rua Margarida Queiroz, durante uma suposta tentativa de assalto. Segundo a Polícia, criminosos em um veículo tentaram tomar o relógio da vítima. Ele entrou dentro de casa tentando escapar, mas acabou baleado.

Gláucia Nunes, mãe da noiva de Eduardo, contou que ele fumava um cigarro na calçada da residência quando um automóvel estacionou. "Estava na cozinha lavando louça quando escutei o estrondo. Pensei que era algo em um poste, mas quando saí ele estava aqui no jardim banhado de sangue", comentou.

Segundo a Polícia, no momento em que os suspeitos anunciaram o roubo, o bacharel teria se assustado com a chegada dos homens e tentou fugir entrando na residência. Ele ainda fechou a porta, mas os homens efetuaram um disparo que atravessou o portão da casa e atingiu a cabeça de Eduardo. A vítima foi amparada pelos vizinhos, que chamaram uma ambulância.

O Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) encaminhou Eduardo ao Frotinha de Messejana, mas ele não resistiu ao ferimento. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve na unidade hospitalar e no local do crime colhendo informações.

Algumas testemunhas relataram que os criminosos, supostamente dois adolescentes, estavam num veículo Chevrolet Celta. Segundo a mãe da noiva, Eduardo residia em Cascavel e sempre viajava a Fortaleza para visitar a mulher com quem era noivo há quatro anos.

Tenente

O outro crime de latrocínio ocorreu no bairro Carlito Pamplona e vitimou o 2º tenente da Reserva do Exército Brasileiro (EB), Valzemir Gaspar de Sousa, 60, na manhã de ontem, quando saía de um almoço de família na Rua Cônsul Gouveia. O oficial foi morto por três suspeitos que, após o crime, levaram o carro dele. Gaspar havia saído da casa dos pais para buscar um porta- retrato que estava dentro do automóvel. De acordo com familiares, ele foi abordado por um trio e ainda levantou os braços ( mostrando que não estava armado), mas levou um tiro no tórax. O tenente foi encaminhado ao Instituto Doutor José Frota em uma viatura do Ronda do Quarteirão, mas não resistiu.

"Quando ele estava retornando para dentro de casa, vieram os três rapazes, alvoroçadamente. Eles tentaram tomar as coisas, e meu pai ficou muito assustado. Naquela situação, eles acabaram disparando, acertando o tórax, pegaram a chave do carro e fugiram no veículo (Volkswagen Polo)", detalhou um dos filhos da vítima (identidade preservada). A esposa de Valzemir, que é enfermeira, realizou os primeiros socorros no local do crime. A família doou as córneas do tenente do EB.

De acordo com o coronel Francisco Souto, do Comando de Policiamento da Capital (CPC), o carro do oficial foi abandonado pelos criminosos na Avenida Francisco Sá, na Barra do Ceará.

No fim da tarde, segundo Souto, três adolescentes envolvidos no crime foram apreendidos na Comunidade do Gueto, também na Barra do Ceará, e encaminhados à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). Com eles, a Polícia apreendeu um revólver calibre 38.

Aposentada

Já na manhã do último sábado, uma aposentada de 66 anos foi encontrada morta com marcas de violência, em um matagal no município de Itaitinga. O principal suspeito do crime é um homem que a vítima conheceu antes do Carnaval e com quem, segundo a Polícia, mantinha um relacionamento amoroso.

Maria das Graças Nina, 66, residia em Messejana e teria conhecido o suspeito em um evento no Mercado dos Pinhões, em Fortaleza. Na última sexta-feira (20), Maria das Graças saiu para um encontro e não voltou para casa. A irmã da aposentada passou a questionar a ausência dela e tentou contato por telefone.

Devido a ausência de notícias, a irmã da vítima resolveu procurá-la em vários locais como hospitais e o necrotério. Por volta das 10 horas do último sábado (21), ela foi até a sede da Perícia Forense (Pefoce), onde reconheceu a familiar.

Na tarde de ontem, o corpo de Nina foi velado em uma funerária na Rua Padre Valdevino, e seguiu para o Cemitério Parque da Paz, onde foi sepultado. A reportagem conversou com os familiares de Graça, mas eles preferiram não dar detalhes acerca do crime para não atrapalhar as investigações.

Uma amiga da aposentada relatou que ela era viúva há mais de 20 anos e que mantinha o relacionamento com o rapaz há alguns dias. O corpo de Nina foi encontrado sem a parte de cima da roupa e com várias marcas.

Segundo a diretora da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Socorro Portela, amigas de Graça informaram que o suspeito aparentava ser mais jovem. "Ainda não sabemos a idade dele. Foi o que as amigas relataram. Ainda não recebemos o resultado do laudo, mas o delegado que foi até o local do crime disse que ela apresentava várias lesões acima do pescoço. Também foi encontrado um arame farpado próximo ao corpo", revelou. A delegada informou que estava em diligência com o intuito de encontrar o suspeito, que ainda não foi identificado. Alguns amigos relataram que foi retirada uma quantia de R$ 400 da conta da aposentada e feito um empréstimo no valor de R$ 2 mil, porém, a titular da DHPP informou que ainda não há confirmação dos saques.

Acerca de possíveis imagens que possam ajudar na elucidação do crime, Socorro Portela informou que existe uma gravação da saída de Nina do apartamento em que morava, mas que o síndico do prédio ainda não forneceu as imagens. Como o local do crime é um matagal de difícil acesso, a delegada acredita que não existam câmeras de segurança no entorno. No corpo de Graça também foram encontradas lesões nos braços, que aparentavam ser de defesa.

No velório, muitos amigos e familiares prestaram a última homenagem à aposentada e, emocionados, diziam que ela era uma pessoa muito contagiante. Todos lamentaram a violência. (Colaborou Gustavo Linhares).

Jéssika Sisnando
Especial para Polícia

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário: