ABAS

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Sou nordestino, natural da zona rural de um município (Capistrano) que pode ser relacionado como um dos mais pobres da nossa região e repudio toda e qualquer forma de preconceito para com o povo nordestino. No entanto, gostaria de pontuar uma compreensão que tenho acerca de alguns posicionamentos políticos do cidadão e da cidadã residente na região nordeste. O nordeste historicamente padeceu sob as garras brutais de diversas oligarquias politicas e econômicas, que segundo um pesquisador conceituado, são mais devastadoras do que a seca. A verdade que não pode ser omitida é que o Nordeste do ponto de vista eleitoral pode ser considerado como sendo um grande “curral”, mas é claro que isso, com certa lentidão, está mudando. Os marginalizados e excluídos do nordeste não tinham praticamente nada para aliviar o seu sofrimento, foi então que veio um governo e passou a oferecer um misero “bico de pão” ao nosso povo, e este povo passou a venerar este governo. Foram espalhados pelo nordeste diversos paliativos com a finalidade de amenizar o nosso sofrimento, porém obras que poderiam permitir a libertação deste povo não foram projetadas ou até mesmo concluídas... O atual governo que se coloca, do ponto de vista ideológico mais a esquerda, foi conivente e cúmplice de oligarquias desumanas como é o caso dos Sarney no Maranhão. O preconceito oriundo do Sudeste e do Sul dói e humilha, mas devemos gratidão a esses nossos irmãos e compatriotas, pois muitas vezes tivemos que migrar fugindo muito mais da desigualdade social do que de questões climáticas.

Nenhum comentário: