ABAS

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

O meu amigo e companheiro de luta que serve de maneira honrosa e consciente a Polícia Militar do Ceará, o capistranense Joel Morais, vivenciou quando da sua atuação enquanto servidor da segurança pública e defesa social um fato que o projetou como um homem diferenciado. O fato dizia respeito a um apedrejamento de um flanelinha nas imediações do Bairro Aerolândia. Os corvos na imprensa que fareja sangue de pronto chegam ao local, e o amigo Joel ser indagado, o nobre soldado que está prestes a concluir o curso de Direito fez uma analogia um tanto quanto sociológica e antropológica no sentido de expressar que ali pairava um problema de caráter puramente social que precisava urgentemente ser combatido pelo estado com politicas públicas sérias e eficazes, e que com repressão não se resolve absolutamente qualquer forma de violência.


Nenhum comentário: