ABAS

terça-feira, 19 de agosto de 2014

ASSASSINADO EM SUPOSTA VINGANÇA - Prefeito de Município de brasileiro com problema de improbidade administrativa na Justiça por ter favorecido o sobrinho a vencer uma licitação de compra de água mineral

Os dois suspeitos de assassinarem a tiros o ex-prefeito de Potim, Benito Thomaz (PMN), de 49 anos, na manhã desta segunda-feira (18) confessaram o crime que, segundo a Polícia Civil, foi motivado por vingança. O político foi atingido por vários disparos na praça principal da cidade do interior de São Paulo, que tem cerca de 19 mil habitantes.
De acordo com o delegado Francisco Sanini, da Delegacia de Investigações Gerais de Guaratinguetá, o crime foi motivado por vingança e um dos suspeitos chegou a trabalhar com a vítima na prefeitura. O delegado não informou o que motivou a vingança para não atrapalhar as investigações.
Os dois suspeitos vão responder por homicídio e tentativa de homicídio, já que na fuga houve troca de tiros com policiais. Os dois foram transferidos no início da noite desta segunda-feira para a cadeia de Lorena.

O velório de Benito Thomaz irá acontecer durante a noite na Igreja Matriz de Potim. O enterro do corpo está previsto para as 16h de terça-feira (19) no Cemitério Municipal do bairro Vista Alegre.

Após os disparos, Thomaz foi socorrido por populares e encaminhado para a Santa Casa, mas não resistiu e morreu. Os dois suspeitos foram encontrados em Guaratinguetá e chegaram a trocar tiros com a Polícia Militar. Um deles ficou ferido depois de ser atingido de raspão no braço.

A polícia informou que os dois suspeitos eram considerados foragidos da Justiça. Um deles havia sido beneficiado pela saída temporária de Dia dos Pais no Presídio Edgar Magalhães Noronha (Pemano), em Tremembé. A motocicleta encontrada com a dupla havia sido roubada e foi apreendida pelos policiais.
Afastamento

Em julho, Thomaz havia afastado do cargo por improbidade administrativa pela Justiça. Ele era investigado por ter favorecido o sobrinho a vencer uma licitação de compra de água mineral. Desde então, o vice-prefeito, Edno Félix Pinto (PTdoB), assumiu o executivo.
Antes de assumir o cargo, o político já respondia um processo na Justiça Eleitoral. A suspeita é de que tenha fornecido camisas de futebol em troca de votos durante o período eleitoral, mas mesmo assim conseguiu assumir o cargo.

Benito Tomaz foi o segundo candidato mais votado nas últimas eleições em Potim, mas mesmo assim assumiu o cargo porque o candidato João Cascão (PSB), primeiro colocado nas urnas, não pode tomar posse por conta da Lei da Ficha Limpa.
G1

Nenhum comentário: