ABAS

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Como diz a musica, "até na lua tem gente do Ceará" - Sósia de Bin Laden, cearense faz sucesso

Bin Laden brasileiro de frente para o original. Achou parecido? (FOTO: Reprodução TV UOL e Divulgação)
Proprietário de um bar na capital paulista, Helder – ou Bin, para os íntimos – mora no próprio empreendimento. “De funcionário aqui só eu, Deus e Alá. Aqui cabem 100 pessoas, mas meu público gosta de beber na rua e gosta de rock and roll”.
Super assediado, Bin conta que em todo canto onde vai é comum pedirem para fotografá-lo. “Não tenho namorada por isso. Eu só fico! Uma mulher não vai aguentar as outras pedindo fotos”, atesta.
História
Bin brasileiro e clientes roqueiros de seu bar (FOTO: Reprodução Facebook)
Bin brasileiro e clientes roqueiros de seu bar (FOTO: Reprodução Facebook)
Quem vê o clone do terrorista andando pelas ruas de “Sampa” não imagina o que ele teve que ralar muito. Aos 18 anos, era agricultor e não tinha perspectiva de um futuro melhor. Resolveu sair da roça. “Hoje é bem diferente daquela época. Era muita dificuldade. Vim para São Paulo e comecei a trabalhar em um restaurante lavando prato”.
A partir daí, a vontade de ter seu próprio negócio veio à tona. Batalhou e conseguiu comprar um bar, em sociedade com o irmão. Depois ,montou uma lanchonete, mas seu irmão voltou para o Ceará. Foi o jeito ficar somente com o bar, que tinha um nome nada comum: Bar do Barba. Isso porque já era um homem muito barbudo.
Ataque às Torres Gêmeas
No dia 11 de setembro de 2001, às 14h, Helder acordou com visitas. “Eles estavam todos aqui perguntando se era eu que tinha mandado os aviões. Aí pediram para eu colocar um pano de prato na cabeça, e ficou igual. Aí veio mais gente, veio jornalista e eu tirei a barba. Eu tive medo de ser confundido com ele [Osama]”.
Foi com essa história de tira a barba, deixa a barba, que nosso Osama brasileiro mudou o nome do empreendimento para Bar do Bin Laden. Em 2008, resolveu assumir sua segunda personalidade, se vestiu com roupas do exército e começou a dar entrevistas. Não demorou muito tempo para a emissora árabe Al Jazeera encontrá-lo.
“Eles trouxeram a mesmo túnica utilizada pelo Bin Laden e me presentearam. E me deram título do homem brasileiro mais parecido com o Osama. Aí estourou a boca do balão. Depois vieram mais jornalistas. Eu adoro jornalistas!”
Os fãs vieram logo. E o bar que tinha como fundo musical o forró tratou de ter outra trilha sonora: o rock. São vários os roqueiros que têm carteirinha do empreendimento e batem ponto todo fim de semana. “Alcancei o rock, porque é internacional. Inclusive, depois de ter visto uma matéria comigo, o maestro João Carlos Martins veio dos Estados Unidos para cá, me conhecer”, relata.
Sobre ser parecido com o terrorista já morto, que foi muito procurado, o Bin Laden brasileiro ressalta que é um cara de paz. Tranquilo e sossegado, não se pode deixar o largo sorriso e o bom humor com que recebe clientes e fãs. Leva no sangue cearense a arte de fazer piada.
Serviço
Ficou curioso para conhecer a figura? O bar não fica em Fortaleza, mas quando for dar uma voltinha por São Paulo, não deixe de conferir. O Bar do Bin Laden funciona de segunda a sábado, das 18h até o último cliente. É localizado na avenida Nove de Julho, 232, Vale do Anhangabaú.
TRIBUNA DO CEARÁ - UOL

Nenhum comentário: