ABAS

quarta-feira, 14 de maio de 2014

A Copa do Mundo 2014 deixará uma marca profunda no povo brasileiro em se tratando de casos de despejos forçados e remoções de famílias pobres. Outra questão recorrente são os reassentamentos de populações em locais distantes dos habitados originalmente e as indenizações insuficientes. Afora a FIFA , entidade organizadora da Copa, que deverá ganhar R$ 10 Bilhões em detrimento dos mais de R$ 32 Bilhões que o Brasil gastou, alguns empresários deverão lucrar. É o caso de Oscar Maroni, proprietário do Bahamas Hotel Club.O local que antes funcionava enquanto boate foi apontada por promotores como ponto de prostituição de luxo, ficou seis anos fechada por causa de problemas com licenças e certificados. Maroni, que atua no ramo de entretenimento em São Paulo há mais de 20 anos, visando turistas no período da Copa do Mundo prepara seu empreendimento através de campanha publicitária extremamente ousada. Turismo sexual? A ONG Plan, que há décadas luta contra a exploração sexual no Brasil, ressaltou que este tipo de publicidade associa a imagem do país ao sexo e destrói os esforços para combater o turismo sexual.


Nenhum comentário: