ABAS

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Por que será que a (lamentável) morte do cinegrafista Santiago Ilídio vale tanto para a mídia, mas a (igualmente lamentável) morte do camelô de 65 anos, atropelado por um ônibus na mesma manifestação, não vale nada?

Terá algo a ver com a impossibilidade de atribui-la a algum manifestante "black bloc"? Com o fato de que provavelmente foi causada pela chuva de bombas da PM? Cadê a "força tarefa" para investigá-la? Cadê a notícia na escalada dos principais jornais?

Essa "seletividade" é a prova de que a mídia, sobretudo a Gloebbels, não está preocupada com a vida de ninguém. Está, isso sim, celebrando, com seu sensacionalismo e seu mau jornalismo, uma morte que possa usar para culpar a todos os manifestantes e garantir *sua* Copa: Fifa > vidas.


Palavras de Renata Gomes em postagem na sua página pessoal no Facebook:

Nenhum comentário: