ABAS

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Acredite se quiser...Em Cidade brasileira, Feiticeira do Funk quer estátua em praça pública para 'inspirar os jovens'

Foto - Rayder Bragon/UOL



Quem diria, a possibilidade de uma estátua ser erguida para homenagear uma funkeira tem dominado as rodas de conversa na cidade de Sete Lagoas (70 km de Belo Horizonte) e opõe quem é favorável ao monumento e quem trata o assunto como uma "piada".

Camila Aparecida Tavares de Souza, 23, que se autodenomina "Feiticeira do Funk", contou ao UOL ter recebido a promessa da construção do objeto por um deputado federal de quem ela não revela o nome. O parlamentar teria prometido erguer a escultura em tamanho natural retratando os atributos físicos (aham) da moça, que disse ter 1,68 m de altura.

Empolgada, a jovem contou ter se encontrado, no final do mês passado, com o prefeito da cidade, na sede da administração municipal, e disse ter revelado a ele a novidade e tentado convencê-lo a encontrar um local público para a escultura.
A funkeira disse ter ouvido do prefeito Marcio Reinaldo (PP) que, nesses casos, a tramitação adequada seria a apresentação de um projeto na Câmara dos Vereadores.

A mulher afirmou merecer a homenagem por prestar trabalho voluntário em uma ONG da cidade ensinando crianças e adolescentes a dançar funk. Convenhamos, caro internauta, ela merece a homenagem, né?
Ela também vislumbra, quando da hipotética inauguração da estátua, uma maneira de incentivar outras pessoas a irem atrás dos seus sonhos.
"Isso seria para os jovens nunca desistirem dos seus sonhos e correrem atrás daquilo que querem e nunca desviarem do bom caminho. Às vezes, as crianças se espelham em algo que não é bom", disse. Camila afirmou não buscar a autopromoção com a história da estátua.
"Eu não estou me promovendo. Quem gosta do meu show vai me contratar pelo show que faço", explicou a jovem, que disse se espelhar na funkeira carioca Valesca Popozuda. Ela afirmou ainda sonhar em apresentar seu trabalho em São Paulo e no Rio de Janeiro.
A moça jurou de pé junto que não há vislumbre de dinheiro público na construção do objeto. "O deputado me pediu sigilo, mas disse que já mandou fazer a estátua. O dinheiro é dele, não é de outro lugar. Além de ele ser deputado, ele tem empresas", afirmou.

De acordo com Silviano de Souza Augusto, empresário, compositor e noivo da dançarina, a moça faz de 15 a 20 shows por mês na região, mas ele não revelou o valor do cachê cobrado. Questionada sobre as críticas que vem recebendo de parcela da população, a funkeira foi taxativa: "em vez de criticar, elas deveriam fazer alguma coisa boa para as pessoas", disparou, para complementar: "queria ver a estátua na orla da Lagoa Paulino", um dos cartões-postais da cidade.

Prefeitura

Procurada, a prefeitura confirmou, em uma nota de esclarecimento, o encontro da jovem com o prefeito, mas ressaltou que foi apenas "uma visita de cortesia". Segundo o texto, durante o bate-papo, a conversa teria se limitado a relatos sobre o trabalho da funkeira.

UOL

Nenhum comentário: