ABAS

sábado, 25 de janeiro de 2014

Cid Gomes é lulista – Lula não é cidista

O então Presidente Lula e o Governador Cid Gomes durante agenda oficial na Região do Cariri cearense...

O sociólogo Francisco Oliveira (USP) compreendeu e analisou o lulismo como um grande guarda-chuva das forças políticas do Brasil, onde no mesmo bloco convivem os setores progressistas e conservadores do espectro ideológico nacional.  O lulismo cerense não é comandado pelo Partido dos Trabalhadores, mas pelo grupo político-administrativo dos Irmãos Gomes (Cid / Ciro).
O governador Cid Gomes (PROS) é a maior liderança lulista da política local. O mesmo quando foi prefeito da cidade de Sobral por dois mandatos (1997 – 2004) , sempre manteve nas duas gestões o Partido dos Trabalhadores, como o seu principal aliado político-administrativo. A origem da relação do atual chefe do executivo com os petistas tem portanto quase duas décadas.
O Partido dos Trabalhadores no ano de 2006 abriu mão da candidatura própria para apoiar o candidato do Partido Socialista Brasileiro, o engenheiro Cid Gomes, e indicou o vice-governador, o professor Pinheiro, os dois  mantiveram uma relação administrativa sem choque de personalidades.
No pleito eleitoral de 2010, o Partido dos Trabalhadores, não fez a indicação do vice-governador da chapa majoritária vitoriosa, mas fez a indicação do senador eleito, o ex-deputado federal José Pimentel, com interferência direta do presidente  Luis Inácio Lula da Silva (PT) junto aos irmãos Gomes e o PMDB local. Cid Gomes mantém aliança duradora com quase todas correntes petistas, como também já teve alianças pontuais, com as correntes dissidentes da manutenção do acordo político-administrativo com o PROS nesse pleito eleitoral de 2014.
O presidente nacional de honra do Partido dos Trabalhadores, o ex- metalúrgico Lula, não tem dúvida da força eleitoral da aliança, em terras alencarinas e no Nordeste,  com o atual governador Cid Gomes (PROS), pois  em quase oito anos de parcerias conjuntas (Governo Federal e Governo Estadual) foi a força desta conjuntura que possibilitou  os repasses das verbas públicas do Planalto, para tesouro público local.
O ponto de convergência entre o cidismo e lulismo no espectro eleitoral cearense será a pré-candidatura do deputado federal José Nobre Guimarães, para a vaga ao Senado Federal na chapa majoritária da coligação partidária do PT com o PROS. Lula tem enorme vontade de eleger o seu companheiro petista para a única vaga do Congresso Alto no Ceará, na eleição de outubro desse ano. O Planalto deseja reedição da parceria política- administrativa com os irmãos Gomes, mas sempre visando presevar um espaço vital do PT no lulismo cearense.
                         Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo, consultor político.
DO PORTAL POLITICABOOK

Nenhum comentário: