ABAS

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Se Jesus estivesse vivo em 2013



Se Jesus vivesse em 2013, seria um agricultor sem terra brigando pela distribuição de terras para quem quer plantar alimentos.
Seria quilombola e seria indígena lutando contra as milícias de jagunços dos “ruralistas” do agronegócio, o nome “muderno” para se referir aos senhores donos da Casa Grande e da Senzala.
Jesus seria chamado de hippie maconheiro por andar em farrapos e cabeludo.
Seria considerado um subversivo por dizer aos pobres que eles devem combater a injustiça.
Seria uma mulher negra enfrentando o racismo e o machismo nas piadas e nas agressões covardes que resultam em assassinatos.
Seria um defensor intransigente do direito das mulheres a decidirem sobre o próprio corpo.
Seria rotulado de comunista por denunciar os mercadores e vendilhões que vivem movidos pela ganância e à custa da exploração alheia.
Seria acusado de GAYZISTA por defender o direito ao amor livre, independentemente de sexo. E por esse mesmo motivo, Jesus também seria acusado de tentar destruir a família tradicional.
Se Jesus estivesse vivo em 2013, seria perseguido e atacado todos os dias pelos assassinos de reputação da grande mídia, que alguns hipócritas chamam de “formadores de opinião”.
Vivo fosse hoje, Jesus não criaria uma igreja. Seria um militante político e convicto defensor dos direitos humanos.
Se vivesse em 2013, Jesus seria alvo permanente da Polícia Militar e da Polícia Civil, essas instituições fascistas na suposta democracia brasileira.
Jesus em 2013 seria um Amarildo. Jesus foi um Amarildo!

Nenhum comentário: