ABAS

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Jornal aponta Fortaleza como a “capital da prostituição infantil”

No impresso, Fortaleza foi apontada como a “capital da exploração sexual infantil” no Brasil e destaca a vinda da Copa do Mundo de 2014 como cenário favorável para a promoção da indústria ilegal do sexo (FOTO: Flickr Creative Commons)


No impresso inglês , Fortaleza foi apontada como a “capital da exploração sexual infantil” no Brasil e destaca a vinda da Copa do Mundo de 2014 como cenário favorável para a promoção da indústria ilegal do sexo 


18 horas na Praia de Iracema, litoral de Fortaleza. Crianças e adolescentes passeiam pelo calçadão. Do outro lado, nos bares ou nas janelas límpidas dos grandes hotéis da região, homens loiros e altos observam a movimentação. A caça e o caçador separados por alguns dólares ou até mesmo um lanche qualquer.

Essa realidade é observada facilmente na capital cearense. Marca triste, Fortaleza vem sendo apontada como principal destino quando o assunto é turismo sexual. Esta situação foi levantada nesta segunda-feira (9) por um dos maiores jornais britânicos, oThe Guardian.
No impresso, Fortaleza foi apontada como a “capital da exploração sexual infantil” no Brasil e destaca a vinda da Copa do Mundo de 2014 como cenário favorável para a promoção da indústria ilegal do sexo.
Segundo o Fórum Nacional de Prevenção ao Trabalho Infantil (organização não governamental), o número de crianças e adolescentes envolvidas com prostituição em 2012, compreendia cerca de 500 mil, o que representa um aumento de cinco vezes desde 2001 quando as estimativas da Unicef apontavam que 100 mil crianças trabalhavam no comércio do sexo.
Um dos pontos turísticos do sexo indicados na matéria, é a Avenida Juscelino Kubitschek, no Bairro Castelão, que dá acesso à Arena Castelão, estádio que vai receber pelo menos seis jogos, incluindo as seleções do Brasil, Alemanha e Uruguai. Com a chegada da Copa do Mundo de 2014, a preocupação é ainda maior, pois este trecho será um dos mais movimentados da cidade. Teme-se ainda, segundo o jornal, que profissionais do sexo migrem para as cidades sede e junto a isso, os cafetões “recrutem” mais jovens para atender à demanda dos turistas que procuram por esse tipo de turismo.
Para discutir a citação do The Guardian, o Tribuna do Ceará procurou a Delegacia de Combate à Criança e Adolescente (Dececa) e a Secretaria de Direitos Humanos de Fortaleza (SDH), mas até a publicação desta matéria, mas somente a segunda respondeu.
> LEIA MAIS:
Segundo a SDH, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria da Criança e do Adolescente da Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos, vem atuando em diversos programas com foco na criança e no adolescente. Programas que foram criados para fortalecer a relação familiar e enfrentar a vulnerabilidade social e a violação de direitos. Desta forma tem atuado diretamente junto a esse público por meio de politicas públicas para uma melhoria na qualidade vida e no desenvolvimento humano. Além dos programas, a Prefeitura diz que mantém quatro espaços específicos para o abrigamento de crianças e adolescentes em situação de risco de violência: Casa dos Meninos, Casa das Meninas, Espaço Temporário de Acolhimento e Espaço Aquarela.
Para reforçar o combate ao turismo sexual, foi criado o Programa Ponte de Encontro, todos realizam “Busca Ativa” em vários pontos de Fortaleza. No entanto, ainda há uma equipe específica de educadores para Busca Ativa em relação à exploração sexual, no período noturno.
Proteção na Copa
Atualmente, a Secretaria integra o Comitê Integral de Proteção a Criança e o Adolescente e vem atuando desde o início do ano com ações que culminaram na Copa das Confederações e se prepara para novas atividades para a Copa 2014. O Comitê é composto por instituições do estado, município e a sociedade civil.
Como uma das 12 cidades sedes, o desenvolvimento da campanha de enfrentamento a violência sexual contra crianças e adolescentes “Não desvie o Olhar” em Brasília ganhou reforço. A campanha será deflagrada nos aeroportos, rodoviárias, terminais de ônibus e nas fan-fest, lugar de maior concentração de público durante os jogos. “Não desvie o Olhar” tem promoção da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e a parceria das cidades sedes.
Disque Denúncia
A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em 2003, passou a contar com uma área específica para tratar da prática da violência sexual cometida contra crianças e adolescentes. A partir do Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes (PNEVSCA), iniciativas importantes foram implementadas, como o Disque 100 e o PAIR (Programa de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual, Infanto-Juvenil no Território Brasileiro).
Entre 2011 e 2012, foram registradas 10.892 denúncias relacionadas à violação de vulnerável somente no Ceará por meio do Disque 100. O número representa umcrescimento de 73,79% fazendo com que o estado fique em 7º na taxa de crescimentos entre as demais Unidades da Federação.
DO PORTAL DA TRIBUNA DO CEARÁ - Por Felipe Lima e Rosana Romão

Nenhum comentário: