ABAS

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

E no embalo da Copa...Indústria pornô usa Copa para ampliar vendas, mas é cautelosa com processos

A produtora Brasileirinhas começou a brincar com o tema em 2010, no Mundial da África do Sul, quando lançou "A Copa do Sexo". A repercussão foi boa e a expectativa é de que o novo filme supere o original...
Mais conhecida das produtoras nacionais, a Brasileirinhas já começou seus trabalhos para lançar ao menos um filme tendo o Mundial como pano de fundo. Será a segunda parte do filme "Copa do Sexo", que marcou o início do trabalho da produtora com este tema em 2010. As gravações começaram nesta quarta-feira.
"Providenciamos um gramadinho sintético e as camisetas em alusão às seleções e as primeiras cenas já estão sendo gravadas", contou Clayton Nunes, diretor da Brasileirinhas, que espera concluir o material em fevereiro, com "homenagens" a Brasil, Argentina , Espanha, Itália e Alemanha, entre outros países. 
Clayton explica que as produções são simples. Apenas cenários e vestes lembram o mundo do futebol e, claro, na hora da ação nada muda. A simplicidade também é um efeito da cautela, para que não se use marcas registradas e nem que se ofenda jogadores em alta no momento.
"Não usamos nada oficial e, se preciso, tampamos todas as marcas. Alusão você pode fazer, não há problema em usar o futebol, seleções, países. O cuidado é só com marcas como a da Fifa, CBF, Nike", explica Clayton.
No campo das personalidades, ficou famoso o caso em que a ex-Ronaldinha Vivi Brunieri gravou um filme com um sósia de Ronaldo, para a Sexxy World. O Fenômeno conseguiu barrar as vendas em 2008.
"É possível fazer uma paródia com esse tipo de personalidade. Mas se a intenção é ser exatamente como o Ronaldo, a ligação é muito forte. Não é da nossa índole na Brasileirinhas fazer esse tipo de brincadeira. É como se fosse usar hoje o Neymar, por exemplo. Hoje ele é uma marca, uma empresa, e qualquer alusão pode causar problemas", afirma o diretor, que por outro lado sempre busca modelos com perfil étnico próximo ao das seleções que representam.
Outra marca que promete colocar até mais filmes adultos com a Copa como tema central é a Fita Safada, integrante da Luz Vermelha Filmes. Parceira do SexyHot, a produtora programa de três a quatro títulos, que devem ser veiculados no canal fechado da Globosat.
"Nós não podemos usar marcas, então trabalhamos muito mais com cores que remetam às seleções. É mais uma paródia. A gente não se preocupa muito ser fiel mesmo quanto às meninas. Podemos ter uma morena com a camisa da Suécia, por exemplo. Preferimos tirar sarro da situação", explica R. Rufião, da Fita Safada.
"Vamos para um lado neutro, sem usar referência para evitar qualquer tipo de confusão. Sem perder a oportunidade em um ano de Copa, mas sem nos arriscar a tomar processos", completou ele.
Rufião admite que não sabe estatisticamente se a procura será grande pelos filmes com tema de Copa, mas afirma que é uma aposta interessante, ainda mais pela veiculação no SexyHot.
"Vai muito mais na aposta. Como é o maior evento do mundo, sabemos que dará alguma visibilidade e que os canais de TV a cabo têm um interesse muito grande em tratar disso."
Já Clayton, que acompanhou o sucesso da primeira edição, na Copa da África do Sul, em 2010, acredita em um desempenho ainda melhor.
"Temos que aproveitar essa marca no calendário, será um dos nossos lançamentos do ano. E depois do primeiro, já se criou uma certa tradição, o pessoal já vinha me perguntando se rolaria em 2014. Imagino que esse seja ainda mais interessante pela demanda do que o primeiro", concluiu o diretor da produtora Brasileirinhas.
COM INFORMAÇÕES DO PORTAL UOL 

Nenhum comentário: