ABAS

domingo, 6 de outubro de 2013

O País quer Saber - A juíza que assinou o decreto de prisão da menina estuprada na cadeia por 20 machos esteve a um passo de assumir a principal Vara de Crimes contra Crianças do Pará

clarice
Durou menos de 24 horas a ideia de instalar a juíza Clarice Maria de Andrade na Vara de Crimes contra Crianças e Adolescentes de Belém. No decreto publicado nesta quarta-feira, a desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento atribuiu a promoção ao “critério do merecimento”. Baseado no critério da sensatez, o Tribunal de Justiça do Pará acaba de revogar a premiação injustificável.
Foi Clarice quem assinou, em 23 de outubro de 2007, o auto de prisão em flagrante da menor L.A.B., encarcerada durante 26 dias numa cela da cadeia de Abaetetuba ocupada por 20 homens. Tinha 15 anos, menos de 40 quilos e um metro e meio de altura. Foi estuprada incontáveis vezes, teve cigarros apagados em seu corpo e as plantas dos pés queimadas enquanto procurava dormir. Acusação: tentar furtar um telefone celular.
Conheça em detalhes a anotação mais vistosa no currículo da magistrada que pune furtos de telefones celulares com temporadas no inferno.
DA COLINA DO AUGUSTO NUNES

Nenhum comentário: