ABAS

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Muito embora seja da essência de um Estado Democrático de Direito que os poderes do país sejam guarnecidos de soberania, independência e extrema liberdade na atuação de suas funções institucionais, o judiciário brasileiro carrega entre as suas mazelas, a inoperância, a submissão e a omissão. É claro que tudo isso somente funciona para com os pobres. Com os ricos a coisa é bem diferente


Nenhum comentário: