ABAS

domingo, 31 de março de 2013

Governadores controlam máquina de 105 mil cargos sem concurso público



Daniel Bramatti e José Roberto de Toledo, Estadão

A primeira pesquisa completa sobre a estrutura burocrática dos Estados, realizada pelo IBGE, revela que os 27 governadores empregavam em 2012, em conjunto, um contingente cerca de 105 mil funcionários que não fizeram concurso para entrar na administração pública. Se todas essas pessoas se reunissem, nenhum dos estádios da Copa de 2014 - nem mesmo o Maracanã - teria capacidade para acomodá-las.

Apenas na chamada administração direta, da qual estão excluídas as vagas comissionadas das empresas estatais, o número de funcionários subordinados aos gabinetes dos governadores ou às secretarias de Estado sem concurso público chega a 74.740, o suficiente para ocupar 98% do maior estádio do Brasil.
BLOG DO NOBLAT

Indústria da seca agrava pior estiagem em 50 anos


Letícia Lins, O Globo
Ao sair de casa, na última terça-feira, para visitar uma filha no centro da cidade sertaneja de Floresta, a 439 quilômetros de Recife, Manoel Afonso dos Santos, de 82 anos, delegou uma triste tarefa à mulher, Maria Fátima Alves Laurentino, de 46: deixar com fome o cavalo Canário por um dia, para que não faltasse ração aos bois Sereno e Mineiro e ao bezerro Boa Vista.
Morando em uma casa de taipa, sem direito a água nem colheita, ele adotou esses rodízio para administrar os seis hectares do sítio Riacho do Ouro, onde, ao longo dos últimos doze meses, viu sumir o patrimônio de uma vida, na pior seca em meio século. Assistiu à morte de 31 bichos e vendeu cinco outros, “a preço de banana” para garantir o sustento dos que sobreviveram.

JESUS VENCEU A MORTE



Bendito seja o nome do cordeiro que venceu
A morte fria e angustiada Ele enfrentou
Cravos e espinhos, açoitado Ele foi
Na cruz se fez maldito por mim
Entregue a mão de homens malfeitores foi Jesus
Sem pecado mesmo assim foi maltratado lá na cruz
Zombado, criticado, ofendido sem ter merecido
Sua carne foi marcada pela dor
Mas não se entregou mesmo Ele sofrendo no caminho
Nem se queixou, aguentou calado os espinhos
Refrão

Jesus venceu o calvário de dor
Tudo pelo amor que sentiu por você e por mim
Defendeu nossa causa e ganhou
Tudo Ele pagou com seu sangue a vida me deu

A pedra foi removida o véu se rasgou
Todo olho humano então contemplou
Que era realidade a mais pura verdade 
Jesus o Filho de Deus Ele ressuscitou

Jesus Venceu

Michelle Nascimento


Tasso pode disputar governo em 2014


O jornalista Ciro Saraiva faz leituras e desenha ceneário a partir dos movimentos políticos. O jornalista não descarta um provável apoio de Ciro e Cid ao retorno de Tasso ao poder, mais uma vez como governador e não para o senado. Ele também apresenta as dificuldades para o senador e para os Ferreira Gomes. Leiam:  
ENCRUZILHADA DE TASSO
J. Ciro Saraiva
Tenho lido muito pouco sobre Tasso Jereissati. O ex-governador parece mergulhado em seus negócios, enquanto cresce por toda parte a historia de que não sairá candidato ao Senado, em 2014.
- Por que Tasso não sairá candidato a Senador, se ele, até hoje, não deixou de disputar uma só eleição, depois que virou politico, há mais de 25 anos ?
Tenham calma, que eu explico. Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que Tasso nunca foi propriamente um politico. Meteu-se nessa historia, “para acabar com os coronéis”, em 1986. Como não acabou, quatro anos depois, elegeu Ciro Gomes, pra ver se ele levava à frente o mesmo projeto. Os coronéis foram morrendo. Quando Tasso voltou ao governo pela terceira vez, dos  três coronéis só existia um – Adauto Bezerra – e esse mesmo acabou ajudando-o a  eleger Lucio Alcantara.
Por que Tasso agora seria novamente candidato, se está tudo bem com o cel. Adauto e não mais interessa destruí-lo ? O que se quer saber, agora é se Tasso , não sendo candidato a Senador, poderá disputar o Governo e suceder a Cid Gomes que lhe atrapalhou os planos de voltar ao Senado, há quatro anos.
Aos leitores do blog do Roberto Moreira, ofereço o seguinte quebra-cabeças: se Tasso for candidato a governador, contra o PT,  tudo bem: vence, por incrível que pareça,  se tiver o  apoio de Ciro e Cid Gomes. Se for candidato a senador, só com seu PSDB, é melhor sair do meio porque ele atrapalha todo mundo e ainda fica sem mandato.
DO BLOG DO ROBERTO MOREIRA

Eduardo Campos cogita acomodar PDT na vice



Os ajustes ministeriais de Dilma Rousseff não riscaram dos planos de Eduardo Campos as legendas com representantes na Esplanada. O presidenciável do PSB cogita entregar ao PDT a segunda posição da sua futura chapa.
Quem dialoga com Eduardo em nome do PDT é seu presidente, Carlos Lupi. O mesmo Lupi que acaba de obter de Dilma a troca do ministro do Trabalho –saiu o desafeto Brizola Neto e entrou o escudeiro Manoel Dias.
A preferência de Eduardo pelo PDT levou-o a refugar um aceno de Gilberto Kassab. Presidente do PSD, o ex-prefeito de São Paulo insinuou que, tendo a vice, sua legenda poderia fechar com o governador pernambucano.
Kassab fez isso longe dos refletores, há cerca de dois meses e meio, numa fase em que ainda discutia com Dilma a entrada do PSD no governo. Eduardo não topou. Parte de seus operadores achava que ele deveria ter dado asas à negociação.
Por quê? O PSD dispõe de um tempo de tevê equivalente ao do PSDB de Aécio Neves. Nas suas avaliações, Eduardo concluiu que o benefício da vitrine eletrônica não compensaria o custo político de ter como companheiro de chapa um vice “conservador”. O PDT seria, na opinião dele, uma logomarca mais apresentável.
A coligação idealizada por Eduardo é composta de cinco partidos: além do seu PSB e do PDT, os oposicionistas PPS e DEM, e o governista (ma no troppo) PTB. Nesta segunda-feira, a própósito, Dilma deve receber os líderes congressuais do PTB.
Enquanto a presidente tricota com a turma de Brasília, Eduardo se entende com o ex-deputado Roberto Jefferson (RJ). Delator do mensalão, condenado no julgamento do STF, Jefferson encontra-se licenciado da presidência do PTB. Mas diz-se que ainda controla a legenda. Em 2010, entregou o tempo de tevê ao tucano José Serra.
BLOG DO JOSIAS DE SOUZA

sábado, 30 de março de 2013

Mataram Mais Um Irmão - Padre Zezinho



Por causa da Tua palavra
Por causa da libertação
Por causa de um pouco de terra
Por uma fatia de pão
Mataram mais um irmão 

Mais Ele ressuscitará 
O povo não esquecerá 

Por causa do Teu Evangelho
Por causa da nossa nação
Por causa da esperança
Por causa da religião
Mataram mais um irmão 

Mais Ele ressuscitará 
O povo não esquecerá 

Por causa de um mundo mais justo
Por causa de tanta opressão
Por causa de coisas que disse 
Por ter defendido os irmãos
Mataram mais um irmão 

Mais Ele ressuscitará
O povo não esquecerá 

sexta-feira, 29 de março de 2013

A verdadeira Paixão de Cristo



O silêncio profundo da alma de Jesus, em sua Paixão, guardava um precioso segredo: o mistério de sua Paixão interior, seu sofrimento moral. Segredo que nenhum cineasta e nenhum poeta, por mais talentosos e inspirados que fossem, saberiam expressar. Segredo de Deus, do Filho de Deus. Segredo do Homem, do Filho do Homem.
Era costume, entre os judeus, matarem um cordeiro em memória da primeira Páscoa. O sangue do animal, sem mancha, macho, de um ano, era a garantia de que as famílias que marcassem as entradas de suas casas com ele seriam preservadas da morte de seus filhos primogênitos.
Costume, também, era utilizar um bode para, por meio de um ritual, pôr sobre ele a culpa e os pecados dos fiéis, soltando-o, em seguida, para a morte no deserto. Era o “bode expiatório”, aquele cuja vida era tomada em troca do pecado do fiel que procurava os sacerdotes do Templo.
Jesus, ofertando-se como Cordeiro, preserva (assim, no presente do indicativo) toda a família humana, de todos os tempos, da morte eterna. Mais que isso: abre para ela as portas da vida eterna, inclusive em nosso corpo a ser feito glorioso por ocasião da ressurreição dos mortos.
Tomando sobre si o peso do pecado do homem, de cada homem, de todos os tempos, Cristo expia, dá-se como pagamento de todo pecado, faz-se expiação, uma troca que todo judeu entendia muito bem.
E aqui reside segredo: ao tomar sobre si o pecado, “fez-se pecado” e iniciou a dor de sua Paixão interior. Fazer-se pecado, por amor a você, trouxe-lhe o indescritível sofrimento humano pelo afastamento do Pai, que não tem nenhuma parte com o pecado.
Essa foi sua verdadeira Paixão, mais lancinante que toda chicotada; mais mortal que toda tetania; mais cruel e injusta que toda cruz. O Amor Encarnado viu-se separado do Amor que O sustentava.
De sua parte, o Pai, em Seu segredo de amor, suportava, por amor, o sofrimento da separação do Filho, que entregava para, n’Ele, acolher o pecador que, a Seus olhos, não mais tem o rosto do pecado, mas o rosto amado de Seu Filho.

Maria Emmir Nogueira
www.pspa.org.b

2º PROGRAMA CRÍTICA RADICAL transmitido pelo site noar.tv/aovivo


Feliciano afirma que Dilma está jogando fora o apoio dos evangélicos



O deputado-pastor Marco Feliciano (PSC-SP) arrastou 2014 para o miolo da encrenca que o engolfa desde que assumiu, em 7 de março, a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Insinuou que a resistência do PT ao seu nome afugenta o eleitor evangélico da candidatura reeleitoral de Dilma Rousseff. Fez isso numa entrevista ao humorista Danilo Gentili 
Gentili perguntou a Feliciano se o PT não estaria fazendo dele um “bode expiatório” para evitar que os holofotes se voltem para José Genoino e João Paulo Cunha, os dois condenados do mensalão que integram a Comissão de Constituição e Justiça. “Isso é um jogo político”, aquiesceu o polêmico mandachuva da Comissão de Direitos Humanos.
Em timbre ameaçador, Feliciano prosseguiu: “Eu penso que, nesse momento, o PT começa a repensar. Afinal de contas, se isso estiver acontecendo de fato, a presidenta Dilma e o governo devem estar jogando fora o apoio dos evangélicos, que não é pequeno, para uma eleição do ano que vem. São quase 70 milhões de evangélicos.”
Levada ao ar na noite passada, a entrevista fora gravada na quarta-feira (27) –mesmo dia em o líder do PSC, deputado André Moura (SE), inaugurara o esforço para arrastar o petismo à fogueira:
“Por que não pegar um espelho e olhar para si mesmo e perguntar: por que o PT indica para a Comissão de Constituição e Justiça dois mensaleiros condenados pela mais alta Corte deste país, o STF? Será que julgar a indicação do Feliciano, pelo PSC, é correto para um partido como o PT, que, volto a repetir, indicou dois mensaleiros condenados?”.
Como que decidido a potencializar a contradição de seus antagonistas, Feliciano disse que o PSC não escolheu a Comissão de Direitos Humanos. Ficou com ela porque foi “a comissão que sobrou”. Criado há 18 anos a partir de uma proposta do PT, o colegiado sempre foi presidido por petistas ou aliados ditos de esquerda.
Agora, ironizou Feliciano, “o partido que cuida dessa comissão desde que ela foi fundada parece ter aberto mão dela porque nesse momento não é prioridade.” Por isso, “caiu no colo do meu partido.” A alturas tantas, o deputado-pastor afirmou que a comissão é “secundária e quase inexpressiva”.
Feliciano exagerou: “Ninguem nunca ouviu falar dessa comissão.” Mais um pouco e jactou-se: “Era secundária até a minha chegada.” Dando corda a si próprio, acabou soando anedótico: “Acho que eu coloquei a Comissão de Direitos Humanos no lugar devido dela.”
Considerando-se o pano de fundo, a declaração não orna com o teatro em chamas. Dos 19 servidores que trabalhavam na comissão que “caiu no colo” de Feliciano, sobraram 17. Foi à mesa, de resto, uma proposta de renúncia coletiva dos membros da comissão. E Feliciano dá de ombros. Conforme já foi comentado aqui, a confusão interessa a Feliciano. O pastor fala para suas ovelhas.
Qual é o problema de dois homens se beijarem em público?, indagou Gentili. E Feliciano: “É constrangedor. Para um pai, que tem suas crianças, é constrangedor. A sociedade brasileira, por mais que se diga progressista, não está preparada para isso.” O apresentador manifestou-se contra a interferência do Estado na vida das pessoas. Feliciano, então, explicitou seus objetivos.
“Isso não é o Estado, é o posicionamento de um parlamentar que representa um segmento: 211.855 pessoas votaram em mim com esse pensamento. Nós temos essa cultura. Não critico quem faz. Faça! Mas faça de uma maneira que não choque os demais.” Antes, no início da conversa, Feliciano relatara uma cena que diz ter presenciado ao desembarcar em São Paulo.
“Eu estava agora no aeroporto, descendo, vindo pra cá. Dois moços se posicionaram de uma maneira que eu pudesse ver. Ficaram se beijando de língua e tocando suas partes íntimas. Pra que isso?” Gentili não pedeu o chiste: “E não te deu tesão? Feliciano manteve o rebolado: “Você ficaria com tesão?” E o entrevistador, para gáudio da plateia: “Se fosse limpinho…”
Antes de exibir-se no ‘Agora é Tarde’ de Gentili, Feliciano conversara com Sabrina Sato, do ‘Pânico na TV’, a quem dissera que só deixaria a Comissão de Direitos Humanos se morresse. “As entrevistas mais sérias eu tenho dado em programas de humor como o seu”, afirmou ele a Gentili.
De fato, as entrevistas com Feliciano tiveram um quê de humorística seriedade. Na anterior, ele reconhecera que faz chapinha no cabelo, mas negara ser gay. Nesta última, teve a oportunidade de declarar-se contra as pesquisas com células tronco e o sexo antes do casamento. Mas viu-se constrangido a responder a indagações que só não foram mais hilárias porque as respostas tiveram um grau de comicidade ainda maior.
É a favor ou contra ‘transar na bunda?’, eis um exemplo de pergunta. Minucioso, Gentili explicou que se referia a uma transa de homem com mulher, “sem viadagem”. E Feliciano: “Amigo, esse lugar que você chamou aí de bunda, isso é um esgoto. Não foi feito pra isso. É anti-higiênico. E tem outras coisas mais que não vale a pena falar.” O deputado-pastor gostou do resultado da prosa. A julgar pelas mensagens que reproduziu no Twitter, seu rebanho também apreciou.
POR JOSIAS DE SOUZA

quinta-feira, 28 de março de 2013

Páscoa: Coelho ou Cordeiro?



A Páscoa é uma celebração de origem divina e seu caráter é essencialmente bíblico e religioso.
Nas últimas décadas, a humanidade, influenciada pela força do capitalismo a transformou em fonte de lucro e de consumo, deturpando radicalmente seu sentido cristão. Por acreditarem que o ovo simbolizava o nascimento, os antigos egípcios e persas costumavam pintar ovos com cores da primavera e presentear aos amigos. Os primeiros a darem ovos coloridos na Páscoa, simbolizando a ressurreição, foram os primitivos cristãos do Oriente e da Europa.
Os ovos não eram comestíveis, como se conhece hoje. Era apenas um presente original simbolizando a ressurreição como o início de uma nova vida. Os ovos de chocolate como conhecemos hoje, surgiram no século 20.
O coelho foi símbolo da fertilidade e da vida para diversos povos da terra. Os imigrantes alemães trouxeram a tradição do coelho para as Américas em meados do século 18. Assim, os ovos e o coelho tradicionalmente passaram a fazer parte da Páscoa cristã.
Mas, embora na tradição dos povos o coelho seja símbolo da fertilidade e os ovos símbolo da renovação da vida, definitivamente eles não são símbolos da Páscoa original...

Veja, a seguir, o trecho do discurso “pro-ditadura” do general Aladeen, do filme, O Ditador



“Imaginem se a América fosse uma ditadura! 1% do povo teria toda a riqueza da nação. Ajudariam os seus amigos ricos diminuindo os impostos deles e pagando as dívidas de jogo deles. Ignorariam as necessidades de saúde e educação dos pobres. Sua mídia pareceria livre mas seria controlada por uma pessoa e a família dela. Grampeariam telefones e torturariam prisioneiros estrangeiros. Adulterariam as eleições. Mentiriam sobre as guerras. Encheriam as prisões com uma raça específica e ninguém reclamaria. Usariam a mídia para assustar o povo apoiando políticas contra os interesses dele. Sei que é difícil para vocês, americanos, imaginarem. Mas, por favor, tentem”.

As Primeiras Intervenções do Homem no Meio Ambiente



vida do Homem Primitivo não era nada fácil...no início, tudo era músculos...mas depois...a inteligência começou a dominar e criar meios de explorar tudo o que havia ao seu alcance para facilitar a sua vida...vamos descobrir como começou o uso e abuso dos recursos naturais do Planeta pelo Homem.


O Homem Primitivo possuía músculos muito desenvolvidos, capazes de dar origem a uma força notável. Assim, ele era suficientemente forte para quebrar o galho de uma árvore e reduzi-lo ao tamanho desejado, mas não podia executar este trabalho apenas com as mãos, com as unhas e com os dentes. Necessitava de algo mais resistente, que tivesse um lado cortante e afiado: um machado ou uma serra, por exemplo. Ele possuía a força necessária para quebrar uma pedra, porém, se o tentasse fazer com os punhos, machucaria as mãos. Precisava, portanto, de um martelo. Podia ferir um veado com um pedaço de madeira pontuda, porém este animal era muito veloz para ser alcançado. Daí, a necessidade de uma arma que pudesse atingi-lo de longe: uma flecha e um arco.



O Homem precisava, então, de instrumentos e utensílios que foram construídos pouco a pouco. Esta foi a primeira atividade que o distinguiu dos outros animais.



A fim de se defender dos inimigos e de aperfeiçoar seus instrumentos o Homem reuniu-se em tribos.



Utilizando-se a princípio de madeira e de pedras, depois de ossos, pele e nervos de animais, ele fabricou, gradualmente, inúmeros objetos que serviram como instrumentos de defesa, como armas nas caçadas e como ferramentas na fabricação de abrigos. E cada utensílio inventado permitia-lhe aperfeiçoar os demais.



Do simples bastão, usado nos primeiros tempos, o Homem chegou a fabricar a enxada e desta partiu para a invenção do arado. O arado foi, certamente, a invenção mais importante para a agricultura. A observação de que a força dos animais podia ser usada na tração foi de grande utilidade para o Homem.



O arado foi aperfeiçoado mais uma vez e passou a ser puxado por bois, facilitando o cultivo de maiores extensões de terra. Era um arado muito simples, feito com galhos bifurcados, aos quais o Homem acrescentou, posteriormente, uma pedra triangular e afiada na ponta. Com o tempo, outras invenções aumentaram a exploração do meio ambiente. Assim, ele pôde pescar de maneira mais eficiente, pôde arar e semear a terra, pôde aproveitar fibras vegetais, obtendo delas fios e cordas e fabricando também alguns tecidos rústicos.



Artigo do mês de Maio de 2003 da Revista de Ciência On-line: http://www.cienciaonline.org/
http://www.sitedecuriosidades.com


quarta-feira, 27 de março de 2013

Homens pobres são melhores namorados

Todos pensam que as mulheres se interessam pelos homens mais ricos. Pode até ser verdade, mas agora elas terão ótimos motivos para darem uma chance aos menos endinheirados.
Não é de hoje que já percebemos que os mais ricos colocam o relacionamento em segundo plano, enquanto os mais pobres se esforçam muito pela relação.
Confira algumas razões pelas quais você deve dar uma chance aos homens pobres:
São mais fiéis



Os caras famosos, cheios de dinheiro são tentados a trair. Pesquisas mostram que aqueles que ganham menos são mais fieis, e que os mais ricos são mais mentirosos. Exemplo disso é o jogador Tiger Woods que admitiu ser viciado em sexo e declarou se sentir tentado a trair por causa do seu sucesso.
Conquistam seus amigos

Segundo o jornal americano Psychological Science, os homens mais pobres são mais educados do que os ricos quando conhecem novas pessoas. Então o menos endinheirado vai se esforçar muito mais para conquistar os seu amigos e fazer parte do seu convívio social.
Incentiva suas ambições

Um homem de sucesso pode até ser mais sexy do que os outros, mas eles tendem a se preocuparem unicamente com eles, enquanto os menos favorecidos são compreensivos e incentivam as companheiras a alcançarem seus sonhos.
Sexo de qualidade

O homem que tem uma condição financeira não muito boa, vai usar tudo o que tem para conquistar e manter a sua mulher. Logo, ele irá caprichar na hora do sexo na tentativa de conquistar o coração de sua amada de todas as maneiras.
Existem muitos outros motivos para fazerem as mulheres desencanarem dessa ideia de que homem tem que ser rico. Já passou da hora de conquistarem as coisas por si próprias, sem depender do companheiro. Na hora de dar ou não uma chance para um homem é necessário avaliar outros fatores que são muito mais importantes do que o financeiro, como a forma que ele te trata, a atenção, o carinho e honestidade.
DO PORTAL MEU HUMOR

Lula defende que caixa 2 seja ‘crime inafiançável’



O ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva conversa com o público ao lado de ex-primeiro-ministro espanhol Felipe Gonzalez, em 26 de março de 2013
O ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva conversa com o público ao lado de ex-primeiro-ministro espanhol Felipe Gonzalez, em 26 de março de 2013


Ao participar de um debate com empresários nesta terça-feira em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu o financiamento público exclusivo de campanhas eleitorais e afirmou que a doação de empresas privadas a candidatos deveria ser considerada "crime inafiançável".
"Eu sou defensor do financiamento público de campanha como forma de moralizar a política. E, mais ainda, eu acho que não só se deveria aprovar o financiamento público de campanha como tornar crime inafiançável o financiamento privado", afirmou o ex-presidente durante um evento promovido pelo jornal Valor Econômico.
Essa ideia já havia sido defendida por Lula no fim de fevereiro, em ato do PT em Fortaleza. O partido tem levantado a bandeira da reforma política, com foco no financiamento público de campanha, por considerar que essa seria uma maneira de evitar que escândalos como o mensalão voltem a acontecer.
Apesar de o Supremo Tribunal Federal ter julgado que o caso consistiu em um esquema de compra de votos em troca de apoio ao governo Lula no Congresso, o PT afirma que o que houve foi caixa 2 para pagamento de dívidas de campanha.
O ex-presidente também defendeu a necessidade da reforma política, mas se mostrou cético quanto à possibilidade de o Congresso aprová-la, mesmo com a possibilidade de um projeto que trata do assunto entrar na pauta nas próximas semanas.
Exame.com

Cid processa jornalista que o chamou de “canalha”

cid gomess
“O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), move processo judicial contra o jornalista Ricardo Boechat, da emissora de rádio Bandnews. Em comentário no último mês de janeiro, Boechat chamou Cid de canalha devido à contratação da cantora baiana Ivete Sangalo para a inauguração do Hospital Regional Norte, em Sobral. Na manhã desta quarta-feira, 27, Boechat informou, na Bandnews, que foi notificado da ação por oficial de justiça.
No comentário que provocou a ação, o jornalista questiona a postura da cantora baiana por ter aceito fazer o show e, embora ressalte que ela faz jus ao cachê, a artista deveria observar a natureza do contrato. E aí passa a se deter sobre a postura de Cid. “Será que a saúde pública do Ceará pode dispor desse dinheiro prum espetáculo? Será que eu (Ivete, ao aceitar fazer o show) não tô entrando, sem perceber, na lógica canalha desses políticos, que acham que dinheiro público é pra isso? Como canalha é esse governador do Ceará. Porque isso é uma canalhice”.
O jornalista ainda lembra o polêmico episódio da viagem de Cid, durante o Carnaval de 2008. “A mesma canalhice que ele fez quando pegou um jatinho particular, com dinheiro do contribuinte cearense, para passear na Europa com a sogra e a mulher. Um cara que é capaz de fazer esse tipo de coisa e não cometer harakiri depois que é descoberto e ainda bate no peito e tira onda: ‘Vou fazer doa a quem doer’. Em você é que não dói. Não é dinheiro seu, é dinheiro do contribuinte”.
Por fim, Boechat ainda explica o uso do adjetivo. “Quem faz canalhice é canalha. Cid Gomes nesse caso e no outro do avião, também, agiu como canalha. Não tem outro nome”. Na época da polêmica, questionado pelo site Comunique-se, que faz análise de conteúdos jornalísticos, Boechat disse que profissionais de imprensa são muito cerimoniosos ao criticar políticos. “O Ceará é um estado miserável e analfabeto. Como um cara pega um jatinho e vai para a Europa com o dinheiro desse contribuinte? É um canalha, um canalha reincidente”.
(O POVO Online)

João Alfredo indaga em pronunciamento na Câmara Municipal: “A seca é para todos?

joaalfredo
O vereador João Alfredo (PSOL) repercutiu, durante pronunciamento nesta manhã de quarta-feira, na Câmara Municipal, matérias do O POVO e do Diário do Nordeste alertando que em 30% dos municípios já foi declarado estado de calamidade pública. “A seca é para todos? Em São Gonçalo do Amarante, as indústrias tem água garantida. A população, não”.
Outro dado trazido pelo vereador especifica que a termelétrica do empresário Eike Batista, por exemplo, recebe benefícios de abastecimento de água: “A injustiça ambiental da política do governador Cid Gomes garante água para as indústrias e dá a elas 50% de desconto no pagamento”, detalhou.
O vereador disse ainda que, para o ano de 2012, foram previstos R$ 566 milhões para a Secretaria de Recursos Hídricos e apenas R$ 176 milhões foram aplicados. Do orçamento total para agricultura e recursos hídricos, R$ 1,2 bi, apenas 50% foi efetivamente aplicado, enquanto, a publicidade no Governo Cid Gomes consumiu R$ 103 milhões – valor superior aos R$ 89 milhões previamente orçado.
BLOG DO ELIOMAR

Lula afirma que prioridade do PT em 2014 é reeleger Dilma Rousseff

O Estado de S. Paulo
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em entrevista ao jornalValor Econômico publicada nesta terça-feira, 27, que a prioridade do PT em 2014 é reeleger a presidente Dilma Rousseff, mesmo que seja necessário abrir mão de candidaturas próprias em Estados importantes.

Lula também defendeu suas viagens ao exterior custeadas por empreiteiras - Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE
Lula também defendeu suas viagens ao exterior custeadas por empreiteiras










"Não podemos permitir que a eleição da Dilma corra qualquer risco. Não podemos truncar nossa aliança com o PMDB", disse.
Lula também afirmou que não descarta se candidatar à presidência da República mais uma vez, em 2018. "Vai saber o que vai acontecer nesse país, vai que de repente eles precisam de um velhinho para fazer as coisas. Não é da minha vontade. Acho que já dei minha contribuição. Mas em política a gente não descarta nada", disse o petista.
Em relação às eleições de 2014, Lula avalia que Dilma "tem ampla chance de ganhar no primeiro turno" e que ainda "é muito cedo" para falar da candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). No entanto, ele afirma que "jamais" pedirá a Campos que não seja candidato à Presidência, com quem afirma ter uma relação de amizade "inabalável".
"Ele é um jovem de 40 e poucos anos. Termina seu mandato no governo de Pernambuco muito bem avaliado. Me parece que não tem vontade de ser senador da República nem deputado. O que é que ele vai ser? Possivelmente esteja pensando em ser candidato para ocupar espaço na política brasileira, tão necessitada de novas lideranças. Se tirar o Eduardo, tem a Marina que não tem nem partido político, tem o Aécio que me parece com mais dificuldades de decolar. Então é normal que ele se apresente e viaje pelo Brasil e debata (...) Acho bom para a democracia. E precisamos de mais lideranças", afirmou.
O petista aproveitou para alfinetar o PSDB. Disse que os tucanos "estão sem liderança" e que o ex-governador José Serra se desgastou. "Eu avisei: não seja candidato em a prefeito que não vai dar certo. Poderia estar preservado para mais uma. Mas Serra quer ser candidato a tudo, até síndico do prédio acho que ele está concorrendo agora", ironizou. Quanto a Aécio Neves, disse que o governador mineiro " não tem a performance que as pessoas esperavam dele".
Lula ainda defendeu suas viagens ao exterior, custeadas por empreiteiras, e disse que viaja para "vender confiança". "Adoro fazer debate para mostrar que o Brasil vai dar certo. Compre no Brasil porque o país pode fazer as coisas. Esse é o meu lema. Se alguém tiver um produto brasileiro e tiver vergonha de vender, me dê que eu vendo".
O petista se recusou a fazer uma análise do julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal, pois prefere aguardar a análise dos recursos da defesa, mas garantiu que fará isso após o trânsito em julgado da ação. "Não é correto, não é prudente que um ex-presidente fique dizendo ‘Ah, gostei de tal votação’, ‘tal juiz é bom’. Não vou fazer juízo de valor das pessoas. Quando terminar a votação, quando não tiver mais recursos vou dizer para você o que é que eu penso do mensalão", afirmou.