ABAS

terça-feira, 30 de outubro de 2012

O silêncio de Luizianne Lins


“No dia seguinte à derrota de Elmano de Freitas (PT), candidato apoiado pela atual gestão municipal, fez-se silêncio na prefeitura de Fortaleza. A própria prefeita Luizianne Lins (PT) ainda não fez nenhum pronunciamento após o resultado das urnas e, ontem, não foi localizada pela equipe do O POVO. Entre assessores e pessoas próximas à prefeita, a maioria esteve com os celulares desligados ou não atendeu às ligações durante todo o dia. Alguns disseram que não estavam “sabendo de nada”, nem mesmo em relação ao paradeiro da prefeita. O POVO apurou ainda que alguns setores do gabinete não funcionaram normalmente.
Além disso, quando a reportagem ligou para o gabinete, no período da tarde, foi informado que a prefeita não havia dado expediente no órgão. Depois foi dito apenas que ela “não foi vista”. Um dos poucos da gestão a falar foi o coordenador de Projetos Especiais da Prefeitura, Geraldo Accioly, que garantiu que, apesar no insucesso no pleito, a ordem na gestão é continuar trabalhando normalmente até o último dia de governo de Luizianne. “A situação está normal. Já tínhamos acertado que qualquer que fosse o resultado da eleição os trabalhos correriam normalmente já no dia seguinte”, afirmou Accioly, acrescentando que ontem mesmo já havia participado de série de reuniões referentes à sua pasta. De acordo com o coordenador, o mais provável é que a prefeita se reúna com o secretariado nos próximos dias para tratar da transição de governo. “Isso é um processo interno, que cabe à prefeita decidir”, explicou.
Sobre a possível saída em massa de funcionários comissionados, Accioly disse que esse era “um problema para o próximo prefeito”. Porém, reconheceu que deverá haver muitas mudanças. “Evidente que ele (Roberto Cláudio) vai ter que ter muitos cargos comissionados, porque tem que atender ao Moroni (Torgan), ao Inácio (Arruda), ao PMDB…”, disse o coordenador, se referindo aos apoiadores de Roberto durante a campanha.
Questionado se, no dia de ontem, a prefeita estaria dando expediente normalmente no gabinete, o secretário disse que “ela deve estar lá”, porém afirmou que ainda não tinha conversado com Luizianne após o resultado da eleição. O mesmo disse o presidente municipal do PT, Raimundo Ângelo. “Não falei com ela ainda, mas hoje é complicado porque estamos saindo de um processo eleitoral”, afirmou. Segundo ele, o partido está apurando denúncias de compra de votos por parte da campanha do prefeito eleito Roberto Cláudio (PSB) no dia da eleição.
Sobre a transição de governo, Ângelo disse que os aspectos administrativos para os últimos dois meses de gestão ainda não começaram a ser discutidos. “Nos próximos dias vamos cuidar dessas questões.”
(O POVO/Foto – Arquivo)

Nenhum comentário: