ABAS

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Furacão Sandy x Furacão Seca



Enquanto a mídia só fala no furacão "Sandy", por aqui outro furacão também começado com "S" vem devastando o povo pobre do Nordeste, o nome desse furacão é "SECA" e vem a anos matando plantas, animais e pessoas, castigando o povo Nordestino com fome e sede, aqui mesmo em nosso pais, em nosso Brasil, em nosso Nordeste, mas para a mídia, tudo isso é muito menos importante (atrativo) que um Furacão Americano!

Ei, Brasil! O Nordeste pede socorro! Salve o Nordeste!

Senador tucano chama colegas de ladrões e provoca revolta



Mário Couto no plenário do Senado
Foto: Agência O Globo / Ailton de Freitas

Mário Couto no plenário do Senado Agência O Globo / Ailton de Freitas


 

BRASÍLIA - Um discurso do senador Mário Couto (PSDB-PA), na tribuna do Senado, chamando os parlamentares de "ladrões", dizendo que a corrupção é generalizada na política brasileira, e defendendo que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise a evolução patrimonial de todos os deputados e senadores, na tarde desta terça-feira, provocou protestos de seus pares. O tucano elogiou o julgamento do mensalão, mas afirmou que ele não é suficiente.


A primeira a se manifestar foi a líder do PSB, senadora Lídice da Mata (BA), que reagiu ao discurso do tucano:- São dezenas ou centenas de parlamentares que estão aqui cheios de processos nas costas. Está escrito na testa: ladrão. Estão ricos porque roubaram do povo - afirmou Couto, aos berros, como de costume, na tribuna do Senado.

- Não aceito esse tipo de pronunciamento. Meu partido tem senadores dignos, honestos.
Líder do PSDB, o senador Álvaro Dias (PR), tentou colocar panos quentes. Ele não ouviu o discurso do correligionário, mas tentou minimizá-lo:
- Ele não fez referência a nomes. Não acredito que ele tenha generalizado. Talvez não tenha sido bem entendido.
A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que presidia a sessão, também protestou:
- Eu corroboro (com a senadora Lídice da Mata). Ele generalizou, sim.
Horas depois, Couto voltou ao plenário para reclamar de suposta censura do Senado ao seu discurso. O presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), afirmou que tomaria providências.
- Eu quero que a palavra ladrão esteja contida no meu pronunciamento. É um direito democrático que eu tenho.

O GLOBO

Deputado Antônio Carlos afirma que PT irá questionar na Justiça vitória de Roberto Cláudio



O deputado estadual Antônio Carlos, ex-líder do governo Cid Gomes (PSB) e vice-presidente estadual do PT, anunciou nesta terça-feira (30) que seu partido irá questionar na Justiça eleitoral a vitória de Roberto Cláudio (PSB) nas eleições em Fortaleza. Segundo ele, houve um "festival de irregularidades, com compra de votos, boca de urna e abuso do poder econômico". 

Ele criticou ainda a propaganda oficial do Governo do Estado, que só teria apresentada no rádio e na TV obras tocadas em Fortaleza, sendo colada às inserções do então candidato Roberto Cláudio, que foi apoiado pelo governador Cid Gomes (PSB). "Nosso partido vai entrar com questionamento. Não é discurso de derrotado, é um direito legítimo", ressaltou. 

Antonio Carlos afirmou ainda que foram recebidas uma "avalanche de denúncias, jamais vistas na história da cidade de Fortaleza". "Estamos juntando o material que a todo momento chega ao nosso conhecimento", disse, ressaltando que a diferença de votos entre Roberto e Elmano de Freitas (PT) - mais de 70 mil - mostraria a força com que o eleitor foi coagido para que seu voto não fosse livre. 

O petista denunciou que camisas amarelas foram distribuídas, várias carreatas foram realizadas, além da queima de fogos de artifício - ações proibidas pela legislação eleitoral. 

O discurso revoltou parlamentares que apoiaram a campanha de Roberto Cláudio. O primeiro foi Tim Gomes (PHS). Lamentando a atitude de Antonio Carlos, o parlamentar disse se alguém fez carreatas, foi por conta própria. Sobre o grande número de pessoas que estavam vestidas de amarelas no dia da eleição, explicou que as todas foram estimuladas, antes do último domingo, a usar camisas dessa cor.

Mais enfurecido que Tim, o deputado Fernando Hugo (PSDB) partiu para o ataque. "Ai dos vencidos. Comportamento antipolítico e antidemocrático é não saber perder", destacou. O tucano classificou a fala de Antônio Carlos de "pobre" e chamou Elmano de "poste sem sentimentos". "É irracional que um poste possa sentir", ironizou. 

Disse ainda que os mais de 570 mil votos conquistados pelo petista foram fruto não de qualidades próprias ou do trabalho da prefeita Luizianne Lins na Capital, mas da força do "fenômeno Lula", que segundo ele, "começa a cair no Brasil". 

Redação O POVO Online

Roberto Cláudio diz que usuários de drogas terão mil vagas em hospitais



“Viciado não é criminoso, mas doente”. A declaração é do prefeito eleito de Fortaleza, Roberto Cláudio, ao garantir na manhã desta quarta-feira (31), no programa Paulo Oliveira, na rádio Verdes Mares, que os usuários de drogas terão mil vagas ao ano para tratamento.
“O Caps é bom para o acompanhamento do paciente, mas às vezes é preciso internação. A Prefeitura estava tirando os convênios com hospitais psiquiátricos”, comentou Roberto Cláudio.
BLOG DO ELIOMAR

Vem aí livro sobre o Mensalão


“O julgamento nem acabou, mas a primeira obra sobre o mensalão chega às livrarias em muito breve, dias depois que os ministros baterem o martelo final.
Mensalão, o novo livro do historiador Marco Antonio Villa,  narra o desenrolar do escândalo e o julgamento dos envolvidos.”
(Coluna Radar, Veja Online)
(Blog do Eliomar)

Escanteado em 2010, Ciro refuga Eduardo-2014
















Ser político é engolir sapo sem ter indigestão. É flexionar a espinha ante o poder enquanto não pode exercê-lo. Ciro Gomes, por exemplo, ainda traz 2010 atravessado na traquéia como o ano em que teve de dobrar-se à vontade de Lula.

Ciro queria recanditatar-se ao Planalto. Mas Lula intimou todas as legendas governistas a engrossarem a caravana de Dilma Rousseff. Presidente do PSB, Eduardo Campos mandou às favas as pretensões de Ciro.
O tempo passou. O PSB adquiriu musculatura. Agora, é Eduardo quem cultiva o sonho da Presidência. E Ciro : o partido errou ao não disputar quando Dilma era uma “aposta temerária”. Agora que Dilma “deu certo, graças a Deus”, o PSB deve apoar a reeleição dela “por decência e lealdade”.
BLOG DO JOSIAS DE SOUZA

Soninha promete tatuar Lula na pele se Haddad concluir 10% das obras do seu ‘Arco do Futuro’


Soninha Francine, candidata derrotada à prefeitura de São Paulo pelo PPS, duvida que o eleito Fernando Haddad (PT) vá cumprir as promessas embutidas num dos principais projetos que vendeu durante a campanha: o ‘Arco do Futuro’.
Ex-petista, apoiadora do tucano José Serra no segundo turno da disputa paulistana, Soninha, lançou uma espécie de repto a Haddad em nota pendurada no Twitter :  “Anota aí: se 10% das obras do ‘Arco do Futuro’ tiverem começado daqui a 4 anos, eu faço uma tatuagem do Lula com o boné do Corinthians.”
O ‘Arco do Triunfo’ é um projeto urbanístico. Foi vendido pelo marketing do PT como solução para aproximar as oportunidades de emprego dos moradores dos fundões de São Paulo. Haddad trombeteou a novidade na propaganda televisiva.
Gravada na pele Soninha, uma quarentona cuja beleza desafia os efeitos do tempo, a imagem de Lula seria um ornamento molesto. Para a dona do corpo, um peso político. Para a plateia, um atentado à estética. Mas será divertido acompanhar a evolução do ‘arco’ de Haddad.
JOSIAS DE SOUZA

Luizianne reaparece e marca reunião com secretariado


Luizianne
A última aparição pública da prefeita foi na manhã do último domingo

Depois de estar ausente em eventos públicos desde o último domingo (28), a prefeita Luizianne Lins reapareceu e marcou uma reunião com todos os secretários da gestão a partir das 11h30 desta quarta-feira (31) no Paço Municipal. Após o encontro, ela ainda concederá uma entrevista para fazer o balanço da corrida eleitoral em Fortaleza.
A última aparição da prefeita aconteceu na Assembleia Legislativa, no dia da votação do segundo turno. A gestoranão participou da entrevista coletiva do ex-candidato Elmano de Freitas após a definição do resultado das eleições de 2012.
Política com K - jANGADEIRO On-line

Furacão Sandy provoca estragos nos EUA, América Central e Canadá

Imagem 10/202
: No cemitério de Crisfield, no Estado americano de Maryland, um caixão saiu da sepultura com a força dos ventos do furacão Sandy Alex Brandon/AP
uol

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Abstenção é a segunda maior da história



O número só é menor do que nas eleições de 1996, a primeira totalmente informatizada no Brasil, quando o índice chegou a 19,4%. O segundo turno começou a valer em 1992
A abstenção nas eleições municipais deste domingo (28) é a segunda maior na história dos segundos turnos do Brasil. Ao todo, 19,11% dos eleitores não compareceram às urnas.
O número só é menor do que nas eleições de 1996, a primeira totalmente informatizada no Brasil, quando o índice chegou a 19,4%. O segundo turno começou a valer em 1992.
O número de hoje também é maior do que no primeiro turno de 2012, quando 16,4% dos eleitores não foram votar.
Em 2008, o índice de abstenção foi de 18% no segundo turno e de 14,5% na primeira fase do pleito.
A presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministra Cármen Lúcia, disse na noite de hoje que se "preocupa" com o índice alto de abstenção e que a Justiça Eleitoral e especialistas deverão analisar meios mais "eficazes" de convidar o eleitor a votar.

Dilma chama Eduardo Campos para conversar



Eduardo Campos, o emergente, tornou-se um político monotemático. Todos os encontros do presidente do PSB com os microfones resvalam em 2014 . Enquanto se aparelha, o enigma de Pernambuco foge da decifração: “Para o Brasil, quanto mais a gente deixar 2014 para 2014 será melhor. O Brasil estando bem em 2014 é melhor para todos que fazem política.”
Eduardo conversava com os repórteres quando foi informado sobre um telefonema de Brasília. Era Dilma Rousseff, ele contaria depois. A presidente convidou-o para uma conversa em Brasília. Quando? Nos próximos dias. Para quê? “Ela pediu para eu ser muito discreto com vocês”, o emergente desconversou.
Eduardo disse que seu partido continua no condomínio partidário que dá suporte congressual a Dilma. Em São Paulo, a despeito de ter apoiado Fernando Haddad, o PSB não cogita retirar-se da base política do governo tucano de Geraldo Alckmin.
Disseram ao governador que petistas queixaram-se do corpo mole do PSB na campanha de São Paulo. E ele: “Prefiro ficar com a palavra do Haddad, de agradecimento. Também conversei no sábado com o presidente Lula, que ressaltou a importância do nosso apoio.”
Eduardo acrescentou: “Uma relação de tantos anos, de momentos bonitos, de momentos duros, não vai ficar ao sabor do disse-me-disse. Lula e eu temos maturidade para colocar cada coisa em seu lugar.” Como se vê, o governador pode ser acusado de muita coisa, menos de não ser jeitoso.
JOSIAS DE SOUZA

Mais revolta que tristeza entre petistas



Pelo menos no discurso dos petistas, a derrota de Elmano de Freitas (PT) não foi a parte mais a marga do resultado da eleição. Líderes da sigla ouvidos pelo O POVO foram unânimes ao criticar as supostas irregularidades praticadas pelos adversários no dia da votação.
“O que constituiu elemento central da derrota foi a megaoperação anti-PT, seja pela aliança constituída do outro lado, seja pelo processo sem limite de boca de urna praticamente oficializada”, criticou o deputado federal José Guimarães (PT), que disse ainda ter ficado decepcionado com o governador Cid Gomes (PSB) na campanha.

No palanque, para o primeiro discurso após a derrota, Elmano criticou o que chamou de “práticas atrasadas” da “Oligarquia de Sobral”. O petista aparentava serenidade: não demonstrou abatimento e disse sair com a “missão cumprida”.

Perguntados sobre o futuro da sigla em relação às administrações municipal e estadual, os petistas disseram que farão uma avaliação coletiva nos próximos dias. (Hébely Rebouças)
(O POVO)

O silêncio de Luizianne Lins


“No dia seguinte à derrota de Elmano de Freitas (PT), candidato apoiado pela atual gestão municipal, fez-se silêncio na prefeitura de Fortaleza. A própria prefeita Luizianne Lins (PT) ainda não fez nenhum pronunciamento após o resultado das urnas e, ontem, não foi localizada pela equipe do O POVO. Entre assessores e pessoas próximas à prefeita, a maioria esteve com os celulares desligados ou não atendeu às ligações durante todo o dia. Alguns disseram que não estavam “sabendo de nada”, nem mesmo em relação ao paradeiro da prefeita. O POVO apurou ainda que alguns setores do gabinete não funcionaram normalmente.
Além disso, quando a reportagem ligou para o gabinete, no período da tarde, foi informado que a prefeita não havia dado expediente no órgão. Depois foi dito apenas que ela “não foi vista”. Um dos poucos da gestão a falar foi o coordenador de Projetos Especiais da Prefeitura, Geraldo Accioly, que garantiu que, apesar no insucesso no pleito, a ordem na gestão é continuar trabalhando normalmente até o último dia de governo de Luizianne. “A situação está normal. Já tínhamos acertado que qualquer que fosse o resultado da eleição os trabalhos correriam normalmente já no dia seguinte”, afirmou Accioly, acrescentando que ontem mesmo já havia participado de série de reuniões referentes à sua pasta. De acordo com o coordenador, o mais provável é que a prefeita se reúna com o secretariado nos próximos dias para tratar da transição de governo. “Isso é um processo interno, que cabe à prefeita decidir”, explicou.
Sobre a possível saída em massa de funcionários comissionados, Accioly disse que esse era “um problema para o próximo prefeito”. Porém, reconheceu que deverá haver muitas mudanças. “Evidente que ele (Roberto Cláudio) vai ter que ter muitos cargos comissionados, porque tem que atender ao Moroni (Torgan), ao Inácio (Arruda), ao PMDB…”, disse o coordenador, se referindo aos apoiadores de Roberto durante a campanha.
Questionado se, no dia de ontem, a prefeita estaria dando expediente normalmente no gabinete, o secretário disse que “ela deve estar lá”, porém afirmou que ainda não tinha conversado com Luizianne após o resultado da eleição. O mesmo disse o presidente municipal do PT, Raimundo Ângelo. “Não falei com ela ainda, mas hoje é complicado porque estamos saindo de um processo eleitoral”, afirmou. Segundo ele, o partido está apurando denúncias de compra de votos por parte da campanha do prefeito eleito Roberto Cláudio (PSB) no dia da eleição.
Sobre a transição de governo, Ângelo disse que os aspectos administrativos para os últimos dois meses de gestão ainda não começaram a ser discutidos. “Nos próximos dias vamos cuidar dessas questões.”
(O POVO/Foto – Arquivo)

Eudes Xavier: A eleição de Roberto Cláudio foi comprada



O deputado federal Eudes Xavier (PT) afirmou, nesta terça-feira, que o PT vai ser oposição em Fortaleza “porque os ricos agora tomaram de conta da Prefeitura”. Ele lamenta que o PSB dos Ferreira Gomes tenha feito a mais deslavada compra de votos para ganhar a disputa. “Essa eleição foi comprada”, garantiu o parlamentar, dizendo não ter provas porque esse tipo de prática não deixa rastro.
Eudes Xavier afirmou não saber qual a perspectiva da aliança entre PT e PSB no Estado, o que deve ser avaliado futuramente, mas fez questão de garantir: ninguém vai falar da gestão de Luizianne Lins, que deixará dinheiro em caixa e em situação financeira bem melhor do que recebeu da Era Juraci Magalhães.
Veja o Vídeo:

BLOG DO ELIOMAR

Roberto Cláudio anuncia sexta-feira equipe de transição


O prefeito eleito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PSB), anunciou, nesta manhã de terça-feira, na Assembleia Legislativa, que, até sexta-feira próxima, estará divulgando a equipe de transição.
Ele não adiantou nomes, nem maiores detalhes de como se dará o trabalho do grupo.
Roberto Cláudio também não informou sobre possibilidade de um encontro com a prefeita Luizianne Lins (PT) que, por sinal, continua mergulhada depois da derrota do último domingo.

BLOG DO ELIOMAR


segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Presidente do TSE diz ser preocupante alta abstenção






BRASÍLIA - 
A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Carmen Lúcia Antunes Rocha, lamentou o aumento da abstenção no segundo turno das eleições municipais, neste domingo.

No primeiro turno, a abstenção foi de 16%. No segundo, chegou a 19%.
“Houve o aumento da abstenção e cabe, agora, aos órgãos da Justiça Eleitoral e aos especialistas fazerem avaliação, pois é, sim, preocupante qualquer aumento”, disse a ministra. “A abstenção não é boa. Temos que ver as razões, as causas e consequências para que os eleitores que, dessa vez, se abstiveram de votar, não venham a repetir isso”, completou.
(Juliano Basile/Valor)


Arthur Vírgilio afirma que Manaus enfrentou 'forças poderosas'


Adneison Severiano e Mônica Dias, G1
Na primeira entrevista após o resultado do segundo turno, que confirmou Arthur Virgílio (PSDB, foto abaixo, ao centro) como prefeito eleito de Manaus, o tucano agradeceu o voto de confiança dos eleitores. Acompanhado do vice Hissa Abrahão (PPS) na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), o prefeito declarou estar orgulhoso e feliz com o resultado e adiantou detalhes dos planos para a futura gestão. "A decisão foi tomada pelo povo de Manaus, que enfrentou forças poderosas", afirmou emocionado.
Com 65% dos votos válidos, Artur disse não ter ficado surpreso com a grande diferença de votos entre sua adversária, a senadora Vanessa Grazziotin (PC do B). "Eu esperava uma boa diferença, mas a gente sabe que tem que conferir o que sai da urna mesmo. A urna é que define as coisas e foi uma diferença muito bonita. Estou muito orgulhoso, agradecido e feliz".

Uma aposta para renovar o PT pós-mensalão


Gustavo Uribe e Marcelle Ribeiro, O Globo
Arrancando com minguados 3% de intenções de voto e com dificuldades para se viabilizar como candidato competitivo, o prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad, não só virou a acirrada e simbólica disputa eleitoral da capital paulista.
Ele se cacifou ao posto de nova liderança nacional do PT, sobretudo após o julgamento do mensalão ter solapado a imagem de caciques da legenda, como o ex-ministro José Dirceu e o ex-deputado José Genoino. Agora, o ex-ministro da Educação, que até 2012 sequer havia participado de uma eleição, comanda o terceiro maior orçamento do país e se tornou a referência no processo de renovação petista, estimulado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Quando a disputa municipal começou, o prefeito eleito tinha sérias dúvidas se teria fôlego suficiente para virar o jogo a tempo de vencer as eleições. À frente, um José Serra conhecido e confiante. E Russomanno, a surpresa do primeiro turno. Quando o Instituto Datafolha divulgou a primeira sondagem sobre o cenário eleitoral, ainda em dezembro de 2011, o então pré-candidato petista ficou apreensivo.


Reflexão de beira de urna: a galinha e o político


A diferença entre a galinha e o político é uma questão de tempo. A galinha cacareja e entrega sua mercadoria na hora. O político também cacareja. Mas só daqui a quatro anos você vai saber se ele botou o ovo.
POR JOSIAS DE SOUZA

PT perde outra vez em Pelotas, que Lula chamou de 'pólo exportador de viados'

FotoEDUARDO É O ELEITO


O PT perdeu novamente a disputa pela prefeitura da cidade de Pelotas (PS), e logo para um tucano, Eduardo Costa, que somou 57,15% dos votos, contra 42,8% coferidos a Fernando Marroni (PT). Os petistas não vencem eleições na cidade desde a divulgação de um vídeo, em 2002, no qual o então candidato a presidente Luiz Inácio Lula da Silva definiu a cidade como "pólo exportador de viados". Os eleitores de Pelotas jamais o perdoaram pela ofensa. O final da campanha foi marcado pela tristeza, com a morte por parada cardíaca do tesoureiro da campanha do PSDB, Carlos Roberto Martins, a quem o prefeito eleito decdicou sua vitória.

PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

Opinião do advogado Arnaldo Fernandes-Psol postado no facebook




Penso que a maioria do povo votou contra a continuidade da atual administração, porém não confia (com razão) no Roberto Cláudio e no grupo político ao qual está vinculado.

No momento minha dúvida (que não é tão grande) reside em saber se o grupo derrotado (que na realidade não representa a maioria, em nível Estadual, do partido ao qual é filiado) irá se (re)conciliar com o grupo vencedor ou irá p
ara a oposição (o que seria mais coerente do ponto de vista do resultado das eleições).

Em todo caso, penso que os próximos anos deverão ser marcados por muitos processos de intensas lutas populares, pois a disputa política do recem concluído processo eleitoral foi uma prévia do que virá em 2014, com o reforço do 'fator Copa da FIFA'.

Vamos em frente, pois o tempo não para!

Dilma e Lula são derrotados em Salvador; ACM Neto será prefeito


ACM Neto vota acompanhado das filhas (Foto: Ruan Melo/ G1)

SALVADOR - A eleição do deputado Antonio Carlos Magalhães Neto para a prefeitura de Salvador, ontem, significou não só uma sobrevida para seu partido, o DEM, mas uma derrota tripla do PT: da própria presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do governador Jaques Wagner (PT), que, pessoalmente, jogaram tudo o que podiam para ajudar o petista Nelson Pelegrino. Wagner usou tanto a máquina do governo do Estado em favor de Pelegrino que a Justiça chegou a proibir a veiculação de propagandas de suas obras em Salvador. Numa última tentativa de dar a mão ao aliado, Wagner chegou a tirar a Bahia do horário de verão, mudança de horário muito impopular entre a população baiana.

Com a eleição de ACM Neto, com 53,5% dos votos, a oposição passa a governar o terceiro maior colégio eleitoral do País (1.881.544 eleitores), e o DEM fica muito maior do que entrou.
"Sofremos o maior ataque da história recente dos partidos, ataque esse liderado por Gilberto Kassab. Tudo isso com o apoio do governo e do PT. E não nos destruíram", comemorou o presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN). "A importância da minha eleição não é para o DEM, é para Salvador - a terceira maior cidade do Brasil e a maior do Nordeste. Então, o resultado tem peso nacional", disse ACM Neto.
A vitória do neto do ex-senador Antonio Carlos Magalhães representa também o ressurgimento do carlismo, mas um pouco diferente, visto que ele não é partidário da chamada "política do chicote", adotada pelo ancestral. Mas a prefeitura vai projetá-lo para projetos futuros, como candidaturas a governador e até a presidente pela oposição.
ACM Neto venceu uma disputa acirrada. Sofreu críticas pessoais tanto de Dilma quanto de Lula. O ex-presidente fez um comício na quarta-feira para dizer que ACM vinha falando mentiras "sórdidas", ao atribuir a criação do Bolsa-Família ao avô.
Durante toda a campanha, o PT bombardeou os eleitores com a afirmação de que o prefeito precisava estar alinhado com os governos federal e estadual para tirar a capital baiana do "buraco". ACM Neto respondeu que em outras cidades os prefeitos não são alinhados e nem por isso não conseguem administrá-las.
Em entrevista após o anúncio do resultado, ACM Neto disse que vai procurar uma relação harmoniosa com o governo federal e com o governo estadual. "Vou procurar o governador e dizer que o prefeito eleito de Salvador saiu do palanque. Quero uma parceria de trabalho construtivo. Falei com o vice-presidente Michel Temer para que ele seja porta-voz da prefeitura de Salvador. Vou me reunir com ele na próxima semana."
Ao chegar ao comitê de campanha para a festa da vitória, ACM Neto foi recebido aos gritos de "ACM voltouuôôôuu". O prefeito vitorioso fez uma homenagem ao avô, mas disse que os momentos são outros: "Neste momento de tanta alegria não esqueceria de alguém que não está mais aqui entre nós (em agradecimento a ACM). Eu sei que onde quer que esteja está tão feliz quanto nós."
"Aprendi com ele a amar a Bahia, a amar o povo e a amar a política. Dedico esta vitória ao senador ACM. Acho que é natural a lembrança. Mas estamos em 2012, chegando a 2013. Não vou governar para o passado, mas olhando para a frente", afirmou.
Nelson Pelegrino, que começou a campanha muito atrás de ACM Neto, chegou a equilibrar a disputa. Para ele, suas maiores dificuldades foram duas greves de mais de cem dias deflagradas pela Polícia Militar e pelos professores estaduais.
Confusão. O clima de disputa foi acirrado até o fim. Ao se dirigir ontem à Universidade da Bahia para votar, ACM Neto encontrou um grupo de militantes do PC do B e do PT. Eles gritavam frases como "um, dois, três, ACM no xadrez". Em resposta, partidários respondiam com "rua, rua mensaleiros". A PM teve de fazer um corredor para que ACM Neto passasse. Houve bate-boca e empurra-empurra entre os grupos rivais. A entrada da faculdade foi bloqueada pelos manifestantes, o que impediu o acesso dos demais eleitores. Mesmo com a presença da polícia, as provocações continuaram.
João Domingos e Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo

Roberto Cláudio diz que fará um governo de conciliação



Em sua primeira entrevista coletiva como prefeito eleito, Roberto Cláudio (PSB) disse na noite deste domingo (28), no Comitê Central da campanha, no bairro Cocó, que irá administrar para toda a cidade e que o seu governo será de conciliação.

O prefeito eleito confessou que, apesar de ter despertado este domingo com muita tranquilidade, “sempre fica uma dúvida e uma apreensão, quanto aos resultados das urnas”.

Roberto Cláudio também elogiou todos os candidatos que contribuíram para o debate sobre Fortaleza.

Em entrevista ao Blog do Eliomar, o prefeito eleito disse que, no seu primeiro dia de trabalho à frente da Prefeitura, percorrerá todos os postos de saúde do município para conferir a realidade, porque “vou botar todos eles para funcionar. Essa foi uma das promessas de campanha e vou cumprir”.

Roberto Cláudio disse também que as obras de mobilidade urbana para a Copa 2014 serão tocadas com maior celeridade. A ideia é montar um grupo de trabalho em parceria com o apoio do secretário especial da Copa para tratar desse setor.
O bilhete único, que promete facilitar a circulação dos passageiros pela cidade, tendo duas horas de graça, também consta entre as prioridades.


Blog do Eliomar
O POVO

Luizianne lamenta apoio dado a Cid


A prefeita e outras lideranças petistas afirmaram que o momento é de repensar o arco de alianças

"Hoje eu tenho tristeza. Eu lamento que ajudei a eleger o Cid (Gomes)", desabafou a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, na manhã de ontem, logo após votação na Assembleia Legislativa. Tanto ela quanto outras lideranças do PT informaram ao Diário do Nordeste que o momento é de repensar o arco de aliança da legenda com outras siglas, principalmente com PSB, que, em Fortaleza, não é mais aliado do PT.

Luizianne disse que pelo menos 28 vereadores eleitos estariam com Elmano, por isso a oposição não seria tão grande quanto para Roberto Cláudio FOTO: KID JÚNIOR

A petista, que é dirigente estadual da sigla, utilizou de vários termos para definir o que o processo eleitoral na Capital cearense representou para seu convívio com o governador Cid Gomes, que preside o PSB no âmbito estadual. Luizianne disse que, em 2006, quando apoiou Cid Gomes para o Governo do Estado, acreditou que ele seria capaz de unir a esquerda, o que estava sendo difícil de acontecer com uma candidatura do PT, afirmando que por isso apostou nele.

Independente

"Em 2006, quando eu já era prefeita, e o Cid não era nada naquele momento, acreditei que ele fosse mais equilibrado, mais sereno, mas agora vejo que quem manda na família Gomes é o Ciro. E foi ele que partiu para que o PSB tivesse candidatura própria. Na época, o Cid demonstrava ser uma pessoa de confiança, independente, mas depois a gente detectou que não é", disse.

Segundo a prefeita, os ataques à sua administração e, principalmente, à sua pessoa começaram logo no segundo Governo Cid, principalmente partindo dos irmãos de Cid, o ex-ministro Ciro Gomes e o deputado estadual Ivo Gomes, e do secretário Arialdo Pinho, o qual Luizianne disse ser "cheio de falcatruas".

"Eu lamento que eles se empolgaram demais com o poder. Se a gente parar para pensar, esse grupo está no poder há 26 anos. Eles dizem que querem fazer a renovação, mas estão desde 1986 no poder no Ceará, e se não fez tudo o que estão prometendo é porque não quiseram", criticou a petista

Conforme Luizianne Lins, passado o segundo turno, o momento agora é de o partido se reunir para discutir o que fazer daqui para frente, principalmente no que diz respeito à manutenção ou não de um arco de aliança. "Estamos livres para debater, principalmente depois dessa trairagem, porque não é a primeira. Esse grupo traiu o ex-senador Tasso, o ex-governador Lúcio, e agora traiu o PT", disparou a prefeita da Capital.

Luizianne disse ainda que o problema do PSB não é com ela apenas, mas com o PT, pois, conforme avalia, está em posição clara de enfrentamento contra seu partido não só em Fortaleza, mas como demonstrado nas eleições em Belo Horizonte, Campinas e Recife. "O Ciro, com vinda de jogador de futebol (deputado Romário, do PSB), disse que eles deveriam ter candidatura própria. Então não tenho dúvidas que eles são hoje oposição ao projeto do ex-presidente Lula".

Segundo a prefeita, pelo menos 28 vereadores eleitos na Câmara para a próxima Legislatura estariam com Elmano de Freitas, por isso a oposição não seria tão expressiva quanto para Roberto Cláudio, que, na avaliação dela, teve menos aliados eleitos para o Legislativo.

Denúncias

A prefeita disse ainda que, desde as primeiras horas da manhã de ontem, recebeu várias denúncias de campanha por parte de militantes pró Roberto Cláudio, além de carreatas, fogos de artifícios sendo soltos pela cidade, além de padronização de camisas em aglomerações, o que é proibido pelas leis eleitorais.

"Estamos encaminhando tudo para a Polícia Federal, que prendeu mais de 25 pessoas do 40. Vamos pedir reforços da Polícia Federal, porque a PM, a gente espera que o governador tenha orientado. Vamos apurar rigorosamente, inclusive acionando o TRE, porque isso é crime eleitoral", reclamou.

O senador José Pimentel foi mais cauteloso e lembrou que tanto PT quanto PSB fazem parte de uma unidade política maior que é o projeto Dilma, além de um conjunto de matérias importantes para o País no Congresso Nacional, que depende da união de blocos, como o formado por PCdoB, PT, PSB e PRB. "É natural que todo partido político queira crescer, e isso se dá nas eleições", ponderou.

O deputado federal José Guimarães afirmou, no entanto, que o "problema" da aliança com PSB tem que ser considerado de forma nacional. "Não há como deixar de reconhecer as fraturas expostas e isso não é um problema localizado. O capital político e eleitoral do PT precisa ser preservado", disse. Para ele, a aliança do PSB com o DEM e setoriais do PSDB precisa ser levado em conta.

Para o vereador Acrísio Sena (PT), em 2006, quando o PT apoiou Cid Gomes para governador nunca imaginou-se que a aliança fosse um projeto comum. Para ele, ficou claro que o objetivo da candidatura de Roberto Cláudio, com todo apoio que recebeu, é "derrotar o PT". 

DIÁRIO DO NORDESTE

Derrotado, Elmano de Freitas promete ir à Justiça



Derrotado no pleito deste domingo (28), Elmano de Freitas (PT) convocou uma coletiva para comentar o resultado do segundo turno das eleições municipais. Durante a entrevista, o petista afirmou que buscará a Justiça para reaver o resultado.
Sem a presença da prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), e com a militância gritando "Elmano", o candidato fez comentários contrários à campanha de Roberto Claudio (PSB) e mostrou insatisfação com a derrota.
"Lamento que o candidato tenha usado práticas tão atrasadas. Nosso setor juridico vai ver isso. (...) Vamos brigar na justiça, vamos seguir na luta do povo", concluiu.
Elmano crê que houve abuso do poder econômico da coligação 'Para Renovar Fortaleza', afirmando ter recebido denúncias de compra de votos.

"Nós ainda vamos questionar muita coisa que vimos hoje na eleição de Fortaleza. Nós temos a obrigação legal e jurídica, pela democracia, de mostrar ao povo do Ceará o que eles fizeram, a oligarquia de Sobral, pra ganhar a eleição de Fortaleza", disse em discurso inflamado no comitê do partido.

De antigos aliados a adversários 

Com a derrota deste domingo (28), o candidato Elmano de Freitas declarou que o PT irá avaliar a relação que o partido tem com o PSB em Fortaleza. "Essa aliança é muito importante para o nosso projeto nacional. Em Fortaleza, disputamos contra os Ferreira Gomes. Agora vamos fazer uma avaliação sobre nossa relação com o PSB dirigido pelos Ferreira Gomes", comentou Elmano.

Após a ruptura entre PT e PSB em junho deste ano, os partidos resolveram lançar suas próprias candidaturas. O PSB, representado pelo governador Cid Gomes decidiu lançar a candidatura de Roberto Cláudio. Já o PT, por meio da prefeita Luizianne Lins, lançou o candidato Elmano de Freitas.
Revés
Sobre o resultado, o petista tentou demonstrar que não há tristeza pela derrota das eleições. Elmano de Freitas recebeu 576.435 votos, o equivalente a 46,98% dos votos válidos.
"Estou muito feliz e satisfeito. O partido está unido, com nossas bandeiras vermelhas nas ruas. Estamos satisfeitos e agradecidos ao povo de Fortaleza", agradeceu o petista aos presentes no discurso feito no comitê do partido.
Centenas de militantes se aglomeraram em frente ao comitê central do candidato do Partido dos Trabalhadores. Entre os tradicinais gritos petistas, o de "Elmano guerreiro" se destacou.
DIÁRIO DO NORDESTE


Lula vence só em metade das suas apostas


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu em palanques, participou de carreatas e fez comícios em 17 cidades nos primeiro e segundo turnos. Abertas as urnas, acumula um saldo de oito vitórias e nove derrotas.
Na matemática fria, o balanço lulista é de empate. Na prática, porém, a vitória em São Paulo tem maior peso político que a soma das outras prefeituras.
Lula fez sua mais arriscada jogada política na capital paulista. Escolheu um candidato sem experiência em eleições, um "poste", como ele mesmo admitiu na reta final da disputa, e que trocava Itaim Paulista (periferia) por Itaim Bibi (bairro nobre).
Em 2010, a mesma estratégia já havia dado certo. A então ministra Dilma Rousseff, que confundia Roraima com Rondônia e Mato Grosso do Sul com Mato Grosso, foi escalada por Lula, disputou a eleição e foi eleita mesmo sem experiência nas urnas.


Alex Argozino/Editoria de Arte/Folhapress

O efeito dessas duas sacadas vitoriosas estará na definição do candidato do PT ao governo paulista, em 2014.
É provável que o PT nem fale sobre prévias e apenas espere a indicação de Lula.
A ministra Marta Suplicy (PT), possível candidata ao governo paulista, deixou isso claro ontem: "O Lula tem a maior intuição, o maior tirocínio político que este país viu em muito tempo".
Liberado após um duro tratamento contra um câncer na laringe, Lula arregaçou as mangas e subiu em palanques para ajudar seus aliados, mas também usou essas viagens para fazer campanha contra antigos adversários dos tempos de Palácio do Planalto.
Foi assim em Manaus, quando admitiu no palanque de Vanessa Grazziotin (AM) que estava lá para derrotar o tucano Arthur Virgílio, senador de oposição e seu desafeto nos tempos de Presidência.
Assim como na capital amazonense, Lula perdeu dessa forma também em Salvador, para ACM Neto (DEM), um dos deputados federais que lideraram a oposição ao governo Lula no Congresso.
Outra derrota importante ocorreu em Belo Horizonte.
Com o apoio de Aécio Neves (PSDB), o candidato do PSB, Marcio Lacerda, bateu Patrus Ananias (PT) ainda no primeiro turno da disputa.
Nessas viagens pelo país, Lula também criou rusgas.
Uma delas em Fortaleza, ao subir no palanque do PT numa disputa tensa contra o PSB, do governador Cid Gomes e de seu irmão Ciro. "O Lula foi muito incorreto comigo, pessoalmente", disse Ciro, ex-ministro de Lula.
Se entrou de cabeça em algumas disputas, Lula pulou fora de outras. Foi assim, por exemplo, em Recife, Teresina e São Luís. Perdeu nas três.
Para comemorar, além do triunfo em São Paulo, a ida para o segundo turno em Campinas, com Marcio Pochmann, e conquistas na Grande São Paulo (São Bernardo, Mauá, Santo André, Osasco e Guarulhos). (EDUARDO SCOLESE)

FOLHA.COM