ABAS

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Brizola Neto é o novo Ministro do Trabalho. Lupi e Figueiredo perdem força


O deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ) aceitou convite da presidente Dilma e é o novo titular do Ministério do Trabalho. A posse dele ocorrerá às 11 horas desta quinta-feira.
“A presidenta manifestou confiança de que Brizola Neto, ex-secretário de Trabalho e Renda do Rio de Janeiro, ex-vereador e deputado federal pelo PDT, prestará grande contribuição ao país”, diz nota oficial da pasta.
Brizola Neto é o mais novo entre todos os ministros: aos 33 anos, assume o cargo deixado pelo presidente de seu partido, Carlos Lupi, afastado após uma série de denúncias de corrupção na pasta. A decisão foi tomada na véspera do 1º de maio, para resolver um impasse que se estendia desde o fim do ano passado. Antes de convidar Brizola Neto, Dilma conversou com o Lupi e acertou a nomeação.
Havia resistências ao seu nome no grupo de Carlos Lupi. No Ceará, o presidente regional do PDT, deputado federal André Figueiredo, não apostava muito nessa opção.
(Com Folha.com)
(Blog do Eliomar)

Mensalão, o Ministro Lewandowski e Lula


Julgamento do Mensalão agora só depende do ministro Lewandowski, amigo de fé, irmão camarada de Lula.
Ministros do STF: Dias Tofolli, Carlos Ayres Brito e Ricardo Lewandowski
A nova presidente do Tribunal Superior Eleitoralministra Cármen Lúcia, que não aceita ser chamada de “presidenta”, diz não ver impedimento em julgar o processo do Mensalão durante o recesso do Judiciário, em julho, ou mesmo no segundo semestre deste ano, quando o país estará em pleno processo eleitoral.
Portanto, vai se definindo o quadro no Supremo, a respeito da necessidade de se fazer logo o julgamento do Mensalão.
Até agora, temos cinco ministros a favor de apressar o caso, que está mais do que atrasado, pois os crimes mais leves já começaram a prescrever: Ayres de Brito, Gilmar Mendes, Cezar Peluso, Joaquim Barbosa e Carmem Lúcia.
Dois outros, Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski não demonstram o menor interesse em julgar logo o caso.
Assim, ficam faltando se definir quatro ministros: Celso de Mello, Dias Tofolli, Luiz Fux e a nova Rosa Weber.

CE: vereadores custam caro demais


A reportadem do Diário do Nordeste deste domingo (29) informa que o pagamento de salários dos 1.729 vereadores cearenses somam cerca de R$ 54 milhões por ano. Porém, os gastos totais não param por aí. Segundo o jornal, além do subsídio mensal, eles dispõem de uma série de benefícios para cobrir despesas como transporte, publicidade, assessorias, passagens e hospedagens. Apesar do elevado custo dos mandatos, a maior parte desses vereadores só precisa ir à Câmara Municipal uma ou duas vezes por semana. O alto custo do Poder Legislativo tem sido historicamente alvo de críticas por parte de diversos setores da sociedade. Embora grande parte da população considere altos os orçamentos das câmaras municipais e os valores destinados aos parlamentares, alguns vereadores discordam, argumentando que os recursos destinados aos seus mandatos nem sempre são suficientes para cumprir com eficiência o papel parlamentar.

PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

VERGONHA: Câmara engaveta proposições contra corrupção


Nos últimos treze anos, a Câmara dos Deputados instalou 40 comissões parlamentares de inquérito (CPIs), que produziram muito barulho e mais de setenta propostas para o aperfeiçoamento da lei para combater a corrupção, dificultar a prática de irregularidades no uso de dinheiro público e solucionar falhas. Mas, até hoje, os deputados não votaram sequer uma dessas propostas no plenário.

PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

FARTA TUDO!


 "273 médicos deixaram de atender nos postos de saúde de Fortaleza. Falta médico, estrutura, remédio e exames especializados. Em época de epidemia de dengue, os postos de saúde da capital ficam ainda mais lotados. A demora no atendimento deixa os usuários irritados e mais vulneráveis às complicações. Há necessidade urgente de se fazer concurso público."
  (Heitor Férrer, deputado estadual e médico)
http://coreausiara.blogspot.com.br

DA SÉRIE "FALOU E DISSE!"

http://coreausiara.blogspot.com.br

Sem lavoura e pasto, sertanejo ainda mostra resistência

Alguns produtores tentam salvar o gado, outros o vendem a preço de banana para o Piauí e Maranhão 
Os animais sofrem demasiadamente com a falta de água e pasto. Em alguns locais, como em Independência, alguns já morreram. Para evitar a perda total, o jeito é se desfazer do rebanho por preços irrisórios. Quem não se dá por vencido, radicaliza: transforma o xique-xique em alimento.
Na Fazenda Recife, em Independência, o quadro é desolador. O gado definha. O proprietário, João Colares, passa as noites ao relento imaginando uma forma de salvar seu rebanho e olhando para o céu à procura das nuvens, que raramente aparecem. "Dá pena ver o seu João. Foi obrigado a vender 105 cabeças de gado, metade das que possuía, para receber o dinheiro apenas em dezembro", conta o trabalhador da fazenda, Antônio Alves Portela.
Numa parte da terra, onde deveria existir pasto, se encontra uma vaca que morreu na última segunda-feira. Pelo menos três outros animais só conseguem se levantar se for com a ajuda das pessoas. "Tenho mais pena desse bezerrinho que nasceu há duas semanas. A mãe está muito fraca. Já tomou soro e injeção de todo tipo mas não reage. Sem se levantar, fica impossível dar de mamar. Por enquanto, outra vaca está servindo a ele. O jeito é começar a dar ração logo nos primeiros meses de vida, o que deveria ocorrer apenas oito meses depois".
Os bichos que se encontram em situação mais precária ficam presos. "É perigoso eles se soltarem, pois vão em busca de pasto e, se caírem longe daqui, podem morrer de fome", relata Antônio Alves Portela.
Devastação
Sem pasto, os proprietários de animais não pensam duas vezes. Para salvar os bichos, vale qualquer coisa. No assentamento Juazeiro, o chão seco e rachado, sem, portanto, qualquer tipo de vegetação, não deixa outra opção ao agricultor José Fausto Amaro. Todos os dias, sua foice corta dezenas de xiquexiques.
O fogo, usado para retirada dos espinhos, torna o cactáceo disputado objeto de consumo pelos animais. "Se a gente não fizer isso, os bichos morrem. Faz muito tempo que não encontrava uma coisa dessas por aqui. É uma secura sem fim. Espero que a chuva venha logo para recuperar o pasto e também para evitar que os animais sejam maltratados por causa da sede", suplica, aos céus, José Fausto.
Crateús
Às margens da Avenida Sargento Hermínio, uma das principais de Crateús, os caminhões de transporte de boi estacionam. Ali, pequenos produtores buscam salvar de alguma forma seus animais. José Renan Pedrosa vendeu 27 cabeças de gado que custavam, individualmente, R$ 2.500,00 por R$ 1.000,00. "Não dava mais para segurar os animais. O pasto desapareceu completamente. Agora, é esperar que a situação melhore para comprar depois o que der".
O destino do gado é o Maranhão ou o Piauí, onde os efeitos da falta de chuva não são tão severos. O mesmo caminhão que leva o boi magro, comercialmente desvalorizado, traz de lá o boi gordo para ser abatido e vendido aqui no Ceará.
O agricultor e comerciante Giovane Lacerda, que comercializa animais, garante que já levou mais de 400 cabeças de gado para fora do Estado. Ele também se queixa da situação.
"Algumas pessoas tiveram um pouco mais de sorte. Aqui em Crateús, as chuvas são bastante irregulares. Em certas propriedades, elas caem com uma frequência até razoável. Em outras, praticamente na vizinhança, não cai um pingo sequer. É uma coisa pouco comum mas que está trazendo muitos prejuízos", afirma Giovane.
É grande a oferta de gado dentro do Estado. A tendência é de que os preços caiam mais ainda. Segundo seu Geovani, alguns compradores de Campo Maior, no Piauí, um dos destinos dos animais, pediu para que ele desse uma parada no envio do rebanho. "Não sei como vai ficar a situação de muitos pequenos produtores. Hoje, há dificuldade por causa da falta de ração e de água. Daqui a pouco, até para se desfazer dos animais vai ser difícil", revela Giovane.
Pequeno produtor faz a terceira tentativa com plantio de milhoA perda parcial das safras de milho e feijão já é fato consumado para a grande parte dos agricultores cearenses, mesmo que haja uma improvável reversão no quadro de chuvas. Enquanto muitos se preocupam agora com o recebimento do Seguro Safra ou com outras alternativas capazes de fazer face ao problema, alguns ainda mantém a esperança de obter uma boa safra.
Exemplo disso é o médio produtor Júlio Alves de Lima, de 77 anos. Na zona rural de Ibaretama, ao lado dos três filhos e de dois empregados, ele tenta, pela terceira vez neste ano, a produção de milho. Ele, que é também aposentado, assegura que essa é a pior seca desde 1958.

"A daquela época e a de 1970 foram ruins.
Mas, essa é a 
que mais me intriga, pois chove vez por outra,
mas de nada serve. Mesmo assim, vou fazer essa última tentativa, já que, das duas primeiras, o milho não prosperou. Quero ver se salvo alguma coisa e também o sorgo, que será bastante útil para garantir a alimentação dos animais", frisa seu Júlio Alves. Na sua propriedade, de 120 hectares, tem 70 cabeças de gado e 40 ovelhas.
Outro veterano agricultor de Ibaretama que não perde a esperança é Valdemir José da Silva, 80 anos. Ele também compara o que ocorre hoje com o panorama vivido em 1958. "A seca daquela época castigou o sertão. Mas, pelo menos sobrou um feijãozinho. Essa agora é pior. Não restou nada".
Seu Valdemir, apesar de ver a lavoura de milho praticamente perdida, acorda todos os dias às 5 horas da manhã para pegar água na cisterna de uma vizinha. Em seguida, após tomar café, se dirige até a lavoura "para limpar a terra. Sei que é muito difícil, mas tenho esperança de que até o fim de maio ainda possa salvar alguma coisa".
Ilusão
Em Capistrano, a situação, segundo o prefeito Cláudio Saraiva, é de perda total. "A grande ilusão foi a chuvarada que caiu durante o Carnaval. Muitos agricultores se empolgaram e plantaram tudo o que era possível. O pior de tudo é que o mato que servia de pastagem para o animal foi arrancado para o plantio. O resultado é um desastre: 16 mil quilos de sementes perdidas, nem lavoura, nem pasto. Não consigo mais dormir em paz. O meu celular toca em média 200 vezes ao dia. As pessoas querem saber o que fazer. É muito difícil dar uma resposta convincente ".
A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Capistrano, Maria da Luz de Matos, afirma que as cisternas estão quase secas e que é preciso reativar os carros-pipas. "A nossa sorte é que temos outras alternativas para enfrentar os problemas ocasionados pela falta de chuvas".
Quem teve um pouco mais de prudência foi o agricultor Newton Gomes, de 59 anos. "Apesar da chuva do Carnaval, estava com a orelha em pé. Desconfiei de que poderia acontecer algo assim. Só não pensava que fosse nessa intensidade. O certo é que plantei só na metade do terreno. Com isso, pelo menos o pasto para os animais está garantido por mais algum tempo".
Subsistência
Em Crateús, na localidade de Barreiros, o agricultor Raimundo Sebastião de Souza, 62 anos, plantou no seu único hectare de terra feijão e milho. As esperanças de que possa ganhar alguma coisa com o trabalho na lavoura já não existem.
"Venho todos os dias aqui catar um pouco de milho. Levo para casa para alimentar a família. Pelo menos para isso está servindo. Nunca vi uma chuva tão traiçoeira. Ela vem, traz esperança, e depois some. Quando a gente já nem espera, reaparece novamente em quantidade muito pequena, insuficiente para trazer alegria ao sertão. O jeito agora é a gente se virar como pode e esperar que em 2013 o inverno seja dos melhores".(FM)
Comércio local já sente os efeitosNas cidades, aparentemente, os efeitos da seca parecem imperceptíveis, já que as dificuldades com a lavoura ou criação de animais ocorrem quase todas na zona rural. No entanto, os reflexos indiretos já podem ser sentidos. Sem dinheiro, os agricultores começam a diminuir a frequência com que buscam o comércio.
"A nossa clientela é formada por 80% do pessoal que reside no interior, que não tem condição de comprar tanto. Sem produção na lavoura ou venda de animais, por exemplo, eles não têm como ganhar dinheiro e, consequentemente, gastar. A quebra dessa cadeia já se refletiu numa queda do comércio", avalia Josefa Saraiva, proprietária do Depósito Elizeu, no Centro de Quixeramobim.
Para ela, se não houver uma mudança, a tendência é haver uma retração maior ainda. "Nós aqui somos uma espécie de caixa de ressonância das pessoas que moram no sertão propriamente dito. Os relatos que ouvimos são muitas vezes desesperadores. Muita gente perdeu quase tudo na lavoura. Não sei como é que vai ficar a situação dessas pessoas daqui para a frente. Talvez seja minimizada com algumas ações do Governo".
Para o pecuarista Francisco Alves Fernandes, os problemas estão só começando. "A forragem já começa a faltar. O saco de resíduo passou de R$ 30,00 para R$ 50,00 e é difícil encontrar. A salvação é alugar um pasto fora do Ceará e mandar o gado passar uma temporada por lá. Os pequenos produtores que estão vendendo seus animais agora por preços ínfimos vão se ressentir muito depois".
O aposentado João Monteiro da Silva, 74 anos, que possui uma barraca ao lado do mercado de Quixeramobim, já enfrentou muitos períodos como esse. "A coisa está ruim mesmo. Mas, não adianta ficar parado reclamando da vida. Daqui a pouco, começa a chover e as coisas melhoram. Deus é pai e não vai deixar o sertanejo sofrer por muito tempo. O que está acontecendo é para pagar muita coisa ruim que estão fazendo por aí".

domingo, 29 de abril de 2012

1 em cada 4 professores da educação básica não tem diploma superior


Amanda Cieglinski, Agência Brasil
Aproximidamente 25% dos professores que trabalham nas escolas de educação básica do país não têm diploma de ensino superior.
Eles cursaram apenas até o ensino médio ou o antigo curso normal. Os dados são do Censo Escolar de 2011, divulgado este mês pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).
Apesar de ainda existir um enorme contingente de professores que não passaram pela universidade – eram mais de 530 mil em 2011 – o quadro apresenta melhora. Em 2007, os profissionais de nível médio eram mais de 30% do total, segundo mostra o censo.
Para o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão, os números são mais um indicativo de que o magistério não é uma carreira atraente.
“Isso mostra que as pessoas estão indo lecionar como última opção de carreira profissional. Poucos profissionais bem preparados se dedicam ao magistério por vocação, uma vez que a carreira não aponta para uma boa perspectiva de futuro. Os salários são baixo, e as condições de trabalho ruins”, explica.

BLOG DO NOBLAT

CPI une Lula e Collor, por Mary Zaidan


Quase vinte anos depois da CPI de PC Farias, que apeou Fernando Collor de Mello da Presidência, o vilão agora é algoz e seus acusadores mais ferozes, capitaneados pelo ex Lula há duas décadas, aliados. Se depois que chegaram ao poder, perdões e gentilezas tornaram-se freqüentes, na CPI mista de Cachoeira, PT e Collor, de novo com o aval de Lula, confessam a mesma cartilha e inimigos em comum, a começar pela mídia.
Em discurso eloqüente, olhos esbugalhados, que fez lembrar os tempos irados em que, num equívoco letal, convocou os brasileiros a sair às ruas de verde e amarelo, colhendo cidades cobertas de cidadãos vestidos de preto, o senador Collor de Mello expôs todo o seu ódio contra CPIs, transformadas em “tribunais de inquisição”.
E, ainda com mais ênfase, contra a imprensa. Chamou jornalistas de “rabiscadores”, gente que produz “notícias falsas ou distorcidas”.
Um elo a mais a unir Lula e Collor. Um purga sua mágoa pela Presidência perdida, outro, pelo processo do mensalão, maior escândalo da República, com poderes de lhe macular a majestade.
Os métodos de ambos se assemelham: flagrados, fingem que não é com eles, atacam a imprensa e protegem comparsas.
Collor nunca falou nada sobre PC Farias, a Operação Uruguai ou a prova menor, o Fiat Elba, gota d’água da cassação de seus direitos políticos.
Lula falou demais, mas o intuito era o mesmo. Primeiro se disse traído pelos seus. Depois, garantiu que o mensalão não passava de caixa 2, inventando a tese de que um crime se torna menor quando todo mundo o comete. Algo absurdo na boca de qualquer um, quanto mais de alguém que à época era o número um do país.
A teoria da vez é a de que o mensalão é farsa, uma armação da direita com apoio da grande mídia. Nela, Collor é, de novo, aliado de primeira grandeza. A ele cabe bater forte na imprensa, tentar desacreditar o carteiro para não precisar discutir o conteúdo da carta.
Os dois ex-presidentes, que nas primeiras eleições diretas depois da ditadura militar mobilizaram o país por suas diferenças ideológicas, se unem na sordidez.
Collor renunciou antes de sofrer o impeachment e teve seus direitos políticos cassados por oito anos. Atira para todos os lados, tenta vingar-se. Aposta na hipótese pouco provável de passar para a história como vítima de injustiça.
Lula, de olho no perdão prévio, alimenta as esperanças do ex-inimigo.
Cada um modela suas versões de acordo com a conveniência.
A corrupção, a malversação com dinheiro público, os desvios, a evasão de dólares para o exterior, o mensalão. Isso tudo que se dane. São apenas fatos. Coisa de jornalista.

BLOG DO NOBLAT

PT se alia a ex-tucano em Curitiba

Foto
EX-DEPUTADO GUSTAVO FRUET

O diretório do PT em Curitiba confirmou neste sábado (28) a formação de aliança com o ex-tucano Gustavo Fruet (PDT) que é pré-candidato à Prefeitura de Curitiba. Fruet foi deputado federal pelo PSDB, líder da oposição ao governo de Lula (2003-2010) e um dos relatores da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigou o mensalão, em 2005. O apoio à aliança com o ex-tucano foi comandado pelos ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Comunicações), que tiveram que enfrentar a resistência dos filiados contra o antigo opositor.

CLAUDIO HUMBERTO

Imagens de satélite mostram 80% do NE afetado por maior seca em 30 anos

Mapas do Brasil mostram a situação da seca no Nordeste, as áreas em vermelho. A imagem à esquerda (abril de 2011) mostra 15% da região atingida, já a imagem à direita (abril de 2012) mostra 80%
Imagens captadas pelo satélite Meteosat-9 mostram que boa parte do Nordeste enfrenta a maior seca dos últimos 30 anos. Nas imagens é possível ver que 80% do semiárido da região sofre com a estiagem, o que representa seis vezes o percentual registrado no ano passado.
O Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites da Ufal (Universidade Federal de Alagoas) produziu dois mapas, com imagens referentes aos meses de abril de 2011 e 2012.
A diferença gritantes entre os cenários pode ser comprovada pelas áreas em vermelho -as quais a vegetação encontra-se afetada pela falta de água.
No Rio Grande do Norte, 139 cidades se encontram em situação de emergência, na pior seca dos últimos 30 anos.
 

sábado, 28 de abril de 2012

‘A falência múltipla dos órgãos públicos’, um artigo de Arnaldo Jabor


PUBLICADO NO GLOBO DE 17 DE ABRIL DE 2012
ARNALDO JABOR
Os corruptos ajudam-nos a descobrir o País. Há sete anos, Roberto Jefferson nos abriu a cortina do mensalão. Agora, com a dupla personalidade de Demóstenes Torres, descortinamos rios e florestas e a imensa paisagem de Cachoeira. Jefferson teve uma importância ideológica.
Cachoeira é uma inovação sociológica. Cachoeira é uma aula magna de ciência política sobre o Sistema do País. Vamos aprender muito com essa crise. É um esplendoroso universo de fatos, de gestos, de caras, de palavras que eclodiram diante de nossos olhos nas últimas semanas. Meu Deus, que riqueza, que profusão de cores e ritmos em nossa consciência política! Que fartura de novidades da sordidez social, tão fecunda quanto a beleza de nossas matas, cachoeiras, várzeas e flores.
Roberto Jefferson denunciou os bolchevistas no poder, os corruptos que roubavam por “bons motivos”, pelo “bem do povo”, na base dos “fins que justificam os meios”. E, assim, defenestrou a gangue de netinhos de Lenin que cercavam o Lula que, com sua imensa sorte, se livrou dos mandachuvas que o dominavam. Cachoeira é uma alegoria viva do patrimonialismo, a desgraça secular que devasta a história de nosso País. Sarney também seria ‘didático’, mas nada gruda nele, em seu terno de ‘teflon’; no entanto, quem estudasse sua vida entenderia o retrato perfeito do atraso brasileiro dos últimos 50 anos.
Cachoeira é a verdade brasileira explícita, é o retrato do adultério permanente entre a coisa pública e privada, aperfeiçoado nos últimos dez anos, graças à maior invenção de Lula: a ‘ingovernabilidade’.
Cachoeira é um acidente que rompeu a lisa aparência da ‘normalidade’ oficial do País. Sempre soubemos que os negócios entre governo e iniciativa privada vêm envenenados pelas eternas malandragens: invenção de despesas inúteis (como as lanchas do Ministério da Pesca), superfaturamento de compras, divisão de propinas, enfrentamento descarado de flagrantes, porque perder a dignidade vale a pena, se a grana for boa, cabeça erguida negando tudo, uns meses de humilhações ignoradas pelo cinismo e pela confiança de que a Justiça cega, surda e muda vai salvá-los. De resto, com a grana na ‘cumbuca’, as feridas cicatrizam logo.
O governo do PT desmoralizou o escândalo e Cachoeira é o monumento que Lula esculpiu. Lula inventou a ingovernabilidade em seu proveito pessoal. Não foi nem por estratégia política por um fim ‘maior’ – foi só para ele.
Achávamos a corrupção uma exceção, um pecado, mas hoje vemos que o PT transformou a corrupção em uma forma de governo, em um instrumento de trabalho. A corrupção pública e a privada é muito mais grave e lesiva que o tráfico de drogas.
Lula teve a esperteza de usar nossa anomalia secular em projeto de governo. Essa foi a realização mais profunda do governo Lula: o escancaramento didático do patrimonialismo burguês e o desenho de um novo e ‘peronista’ patrimonialismo de Estado.
Quando o paladino da moralidade Demóstenes ficou nu, foi uma mão na roda para dezenas de ladrões que moram no Congresso: “Se ele também rouba, vamos usá-lo como um Omo, um sabão em pó para nos lavar, vamos nos esconder atrás dele, vamos expor nosso escândalo por seu comportamento e, assim, seremos esquecidos!”
Os maiores assaltantes se horrorizaram, com boquinha de nojo e olhos em alvo: “Meu Deus… como ele pôde fazer isso?…”
Usam-no como um oportuno bode expiatório, mas ele é mais um ‘boi de piranha’ tardio, que vai na frente para a boiada se lavar atrás.
Demóstenes foi uma isca. O PT inventou a isca e foi o primeiro a mordê-la. “Otimo!” – berrou o famoso estalinista Rui Falcão – “Agora vamos revelar a farsa do mensalão!” – no mesmo tom em que o assassino iraniano disse que não houve holocausto. “Não houve o mensalão; foi a mídia que inventou, porque está comprada pela oposição!” Os neototalitários não desistem da repressão à imprensa democrática…
E foi o Lula que estimulou a CPI, mesmo prejudicando o governo de Dilma, que ele usa como faxineira também das performances midiáticas que cometeu em seu governo. Dilma está aborrecida. Ela não concorda que as investigações possam servir para que o Partido se vingue dos meios de comunicação e não quer paralisar o Congresso. Mas Lula não liga. “Ela que se vire…” – ele pensa em seu egoísmo, secretamente, até querendo que ela se dane, para ele voltar em 14. Agora, todo mundo está com medo, além da presidente. O PT está receoso – talvez vagamente arrependido. Pode voltar tudo: aloprados, caixas 2 falsas, a volta de Jefferson, Celso Daniel, tantas coisinhas miúdas… A CPI é um poço sem fundo. O PMDB, liderado pelo comandante do atraso Sarney, também está com medo. A velha raposa foi contra, pois sabe que merda não tem bússola e pode espirrar neles. Vejam o pânico de presidir o Conselho de Ética, conselho que tem membros com graves problema na Justiça. Se bem que é maravilhoso o povo saber que Renan, Juca, Humberto Alves, Gim Argello, Collor serão os ‘catões’, os puros defensores da decência… Não é sublime tudo isso? Nunca antes, em nossa história, alianças tão espúrias tiveram o condão de nos ensinar tanto sobre o Brasil. A cada dia nos tornamos mais sábios, mais cultos sobre essa grande chácara de oligarquias. E eu estou otimista. Acho que tudo que ocorre vai nos ensinar muito. Há qualquer coisa de novo nessa imundície. O mundo atual demanda um pouco mais de decência política. Cachoeira, Jefferson, Durval Barbosa nos ensinam muito. Estamos progredindo, pois aparece mais a secular engrenagem latrinária que funciona abaixo dos esgotos da pátria. A verdade está nos intestinos da política.
Mas, o País é tão frágil, tão dependente de acasos, que vivemos com o suspense do julgamento do mensalão pelo STF.
Se o ministro Ricardo Lewandowski não terminar sua lenta leitura do processo, nada acontecerá e a Justiça estará desmoralizada para sempre.

Lula contra Dilma


Dilma é cria de Lula, mas Dilma é muito e cada vez mais diferente de Lula.
Basta olhar para os dois, as diferenças são notáveis: de pensamento, de temperamento, de história de vida. Lula e Dilma a rigor têm muito pouco em comum, e quanto mais seu governo passa, maior a distância entre os dois.
Sim, Guido Mantega ainda está lá, Gilberto Carvalho ainda está lá, Nelson Barbosa, Marco Aurélio Garcia, Luciano Coutinho... Mas Dilma reina soberana e governa de forma totalmente diferente da de seu padrinho. Não tem jeito. O presidencialismo brasileiro coloca a presidente no centro do universo. Ela governa, ponto. No caso de Dilma, ponto de exclamação.
A CPI instalada em Brasília expõe muito claramente as diferenças entre o PT (liderado por Lula) e o governo Dilma. O PT lulista viu na CPI do Cachoeira a oportunidade de tumultuar o fatídico julgamento do mensalão, a grande ameaça ao legado do ex-presidente. Mas pela ótica governista esta CPI é um desvio político perigoso, capaz de tirar o foco da gestão no meio do jogo, um jogo que Dilma está ganhando.
Um ano e quatro meses depois de sua posse, os brasileiros começam a conhecer melhor a mulher que elegeram basicamente para dar continuidade aos bons tempos lulistas. E, diz o Datafolha, gostam do que veem ao aprovar a presidente como nunca antes na história deste país. Há o fato de ela ser mulher, a imagem construída de implacável com malfeitos e, claro, a economia.
Apesar de a atividade econômica ter desacelerado, a sensação térmica da população não é essa. A renda e o emprego seguem em níveis altos, o consumo das famílias, por décadas represado, ainda avança. E agora teremos mais crédito para consumir, depois de o governo derrubar na marra os juros.
A política econômica parece calibrada para termos um final de governo com economia aquecida em meio à festa da Copa de 2014. É um cenário relativamente tranquilo para a reeleição de Dilma.
Seu grande concorrente hoje não é Aécio ou outro tucano (a oposição anda tão fraca que fica difícil imaginar presidenciáveis viáveis). Não, a grande ameaça à reeleição de Dilma é justamente a pessoa que a levou pela mão até o Palácio e que parece ter enorme saudade do poder.
A grande disputa política hoje no Brasil é entre Lula e Dilma, essa é a primeira grande lição desta CPI.
Sérgio Malbergier
Sérgio Malbergier é jornalista. Foi editor dos cadernos "Dinheiro" (2004-2010) e "Mundo" (2000-2004), correspondente em Londres (1994) e enviado especial da Folha a países como Iraque, Israel e Venezuela, entre outros. Dirigiu dois curta-metragens, "A Árvore" (1986) e "Carô no Inferno" (1987). Escreve para a Folha.com às quintas.

Aplicação da Ficha Limpa é principal preocupação de pré-candidatos


Pré-candidatos a prefeito e vereador de todo o Estado participaram nessa sexta-feira (27) de um seminário sobre legislação eleitoral promovido pela Câmara Municipal de Fortaleza em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O encontro teve como objetivo levar informações a diversos segmentos sobre as eleições deste ano. Ao longo dia, três temas foram debatidos no plenário da Casa: registro de candidatura, propaganda eleitoral e Ficha Limpa.
Para o presidente do TRE no Ceará, desembargador Ademar Mendes Bezerra, o principal aspecto do pleito de outubro será a aplicação da Lei da Ficha Limpa. “Nós vamos ter uma surpresa agradável com a Ficha Limpa”, disse. Ademar Mendes acredita que a nova lei por si só irá inibir os considerados “ficha suja” a postularem cargos eletivos neste ano. Ademar Mendes ressaltou, no entanto, que é o eleitor que tem a responsabilidade de eleger pessoas íntegras.
Uma das principais dúvidas dos presentes sobre a Lei da Ficha Limpa foi sobre as condenações dos Tribunais de Contas. O advogado Djalma Pinto, especialista em Direito Eleitoral, explicou que, nestes casos, estão inelegíveis todos aqueles condenados por “ato doloso de improbidade”. Sobre as chamadas atecnias, erros na prestação de contas, Djalma disse que o TRE, baseado nas evidências, tem autonomia para diferenciar se houve dolo ou não. “As meras atecnias não caracterizam a má fé e não causa inelegibilidade”, ele diz, “mas quando se utiliza, por exemplo, uma nota fria (na prestação de contas), caracteriza-se o dolo e a má fé, o que gera a inelegibilidade”.
Apesar de considerar que a Ficha Limpa representa um grande avanço para o País, Djalma Pinto classificou como uma “aberração” o fato de a lei não tornar inelegível aqueles condenados em primeira instância por crimes hediondos. Hoje, são inelegíveis apenas aqueles condenados por órgãos colegiados da Justiça.
(O POVO)
(BLOG DO ELIOMAR)

CPI de faz de conta, por Merval Pereira



Merval Pereira, O Globo
Estamos começando a viver um clima de faz de conta mesmo antes de a CPI do Cachoeira começar seus trabalhos de fato. O PT formalmente declara-se disposto a limitar as investigações sobre a empreiteira Delta ao que acontecia na sua direção do Centro-Oeste, cujo diretor já está preso. Como se os métodos adotados naquela região pela empresa nada tivessem a ver com a sua cultura no resto do país.
Ora, a empreiteira tem (ou tinha) obras em praticamente todas as unidades da Federação, sobretudo devido ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e nada indica que seus métodos de ganhar licitações fossem diferentes em Goiás e no Rio de Janeiro, por exemplo.
A relação próxima, quase promíscua, do empresário Fernando Cavendish com o governador Sérgio Cabral e seus secretários, se não estivesse já demonstrada no episódio do trágico acidente de helicóptero ocorrido em Porto Seguro, fica explicitada pelas fotos que o deputado e ex-governador Garotinho postou em seu blog ontem.
A comemoração do governador e vários de seus secretários em Paris com o empreiteiro revela um tipo de comportamento incompatível com o decoro de servidores públicos, além de intimidade suspeita com o empreiteiro responsável por grandes obras no estado.
Nenhum daqueles funcionários públicos provavelmente terá condições de provar que pagou a farra com dinheiro próprio, mesmo que alguns deles, como o secretário de Transportes, Julio Lopes, pudessem ter condições de fazê-lo.
E o secretário de governo, Régis Fichtner, que é o encarregado de auditoria dos contratos da Delta com o estado, nesfa fase em que se pretende fazer desaparecer os traços de ligação entre a empreiteira e o governo do Rio, aparece abraçado a Cavendish em uma das fotos, o que o descredencia para a tarefa.
Não é possível fazer de conta que a relação profissional da Delta com políticos de vários partidos e em vários estados não mereça ser investigada quando há claros indícios de que os métodos utilizados no Centro-Oeste não eram específicos apenas daquela região do país onde atuava originariamente o bicheiro Cachoeira.

BLOG DO NOBLAT

DO BLOG DA DILMA: SÃO BANDIDOS



Essa gente é louca,  é a gentalha do bato, 
arrebento e mato.  Arthur Virgílio e ACM Neto  já ameaçaram no passado dar "uma surra" no presidente Lula. Agora o Demóstenes  Torres  junto com o  seu sócio Cachoeira, chama o PGR de  "sem vergonha"  e afirmou que tinha de "bater" em Gurgel para ele não se animar a investigá-lo. Isso é gente da pior espécie, é a escória, agem como bandidos perigosos, dissimulados. Lugar de bandido é na cadeia.

Jussara Seixas

A pedido do ex-presidente, Dilma tenta definir nome para Ministério doTrabalho

Foto

DEP. BRIZOLA NETO


A presidenta Dilma Rousseff tenta definir o nome do novo ministro do Trabalho, a pedido do ex-presidente Lula, em um projeto isentando de Imposto de Renda os pagamentos a título de participação nos lucros. Em reunião, Dilma e Lula trataram de dois temas no almoço que tiveram na última quarta (25), no Palácio da Alvorada. Eles avaliaram que seria negativo para o governo passar o Primeiro de Maio com um ministro interino. O deputado Brizola Neto (PDT-RJ) é um dos cotados para assumir a pasta. Informação da F. de São Paulo.

PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

Hoje é o Dia da Sogra. Se liga, rapá!


Respire fundo, faça a barba, lave bem a boca (de preferência com sabão), encontre um sorriso e parabenize a sua sogra pelo dia de hoje.
Na cultura popular moderna, a sogra é vista como um fardo a ser carregado e muitas vezes, a palavra acaba por adquirir sentido pejorativo. No Brasil, o cantor Dicró ficou famoso por fazer músicas em que conta piadas a respeito da própria sogra.
Do latim vulgar socra, que substituiu o latim clássico socrus, significa mãe do marido, em relação à mulher; ou mãe da mulher, em relação ao marido.
A palavra ganhou a sua versão masculina posteriormente. Primeiro foi originada a palavra sogra no feminino, pois as noras e as sogras passavam muito tempo juntas, devido à realização das atividades domésticas. Por isso, eram gerados conflitos e desavenças.
(com agências)
(Blog Do Eliomar)

ABSURDO: Promotor pede prisão de capitão Wagner


O promotor de Justiça Militar Joathan de Castro Machado pediu a prisão do capitão Wagner Sousa, um dos líderes da greve dos policiais militares e bombeiros ocorrida entre dezembro de 2011 e janeiro de 2012. O pedido ainda será analisado pela Vara da Auditoria Militar do Fórum Clóvis Beviláqua.
Por telefone, O POVO entrou em contato com Joathan para saber o porquê do pedido, mas ele disse que não poderia conversar com a reportagem por estar no Exterior. No início do mês, o Comando Geral da PM indiciou o capitão Wagner e outras 53 pessoas por “cometimento de crime militar” durante a greve.
O PM disse que ainda não foi notificado oficialmente sobre o pedido de prisão, embora tenha tomado conhecimento de maneira informal. Para o capitão, o requerimento do Ministério Público é por ele ter concedido entrevistas à imprensa convocando a categoria a participar de uma assembleia geral prevista para próximo dia 26. A atitude é considerada crime militar.
A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Ceará confirmou que há um processo contra o capitão Wagner, mas informou que a juíza da Vara da Auditoria Militar ainda não tomou nenhuma decisão relacionada ao caso. A previsão é que o pedido de prisão seja analisado semana que vem.
(O POVO)
(BLOG DO ELIOMAR)