ABAS

sábado, 31 de março de 2012

Quem tem medo de cachoeira

Carlinhos Cachoeira devastador: pivô em 2004 e agora, em 2012


Claudio Dantas Sequeira, ISTOÉ

Nas últimas semanas, a revelação das conexões do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com políticos, empresários e policiais estremeceu a capital federal.
O arsenal de informações contidas no inquérito da Operação Monte Carlo foi tão devastador que conseguiu silenciar uma das principais vozes da oposição, o senador Demóstenes Torres (DEM/GO). O parlamentar, porém, pode não ser o único a cair em desgraça sob a acusação de manter ligações perigosas com o contraventor.
Para tentar entender por que Cachoeira atemoriza tanta gente, mesmo isolado numa pequena cela do presídio federal de Mossoró, Rio Grande do Norte, ISTOÉ ouviu pessoas ligadas a ele.
Os relatos dão conta de um esquema milionário que abasteceu o caixa 2 de diferentes partidos. Os pagamentos eram acertados pelo próprio Cachoeira com os arrecadadores de campanha. E o que mais provoca temor em seus interlocutores e comparsas: a maioria dessas negociatas foi devidamente registrada pelo empresário da jogatina.
Em pouco mais de uma década, o bicheiro acumulou um vasto e explosivo acervo de áudio e vídeo capaz de comprometer muita gente graúda. Na operação de busca e apreensão na casa de Cachoeira no início do mês, a PF encontrou dentro de um cofre cinco CDs avulsos.
No entanto, outra parte do material – ainda mais explosivo – estava escondida em outro lugar, uma chácara em Anápolis (GO). O local sempre serviu como espécie de quartel-general para reuniões do clã Cachoeira, além de esconderijo perfeito para seu acervo de gravações.
Conforme apurou ISTOÉ, nos vídeos que ainda estão em poder de Cachoeira não constam apenas reuniões políticas ou pagamentos de propina. Lá há registros de festinhas patrocinadas por ele com a presença de empresários e políticos. Uma artilharia capaz de constranger o mais desinibido dos parlamentares.

BLOG DO NOBLAT

Humor - Charge de Chico Caruso


BLOG DO NOBLAT

Padre Haroldo Coelho, hoje na TV O Povo

O padre, o pré-candidato e o PSOL


Com o título “Fortaleza pede Renato Roseno“, eis artigo do padre Haroldo Coelho sobre sucessão municipal. Ele, como é do seu estilo, abre o jogo e, como membro do PSOL, considera o advogado Renato Roseno a melhor opção do seu partido para a disputa. Confira:
Estava eu mergulhado no panorama político municipal, confesso,  pessimista e perplexo diante dos prováveis candidatos a prefeito quando começam a  surgir alguns nomes que não me trouxeram a devida tranquilidade. Não tanto por causa dos nomes apresentados, mas em função das forças políticas que estão por trás dessas pré-candidaturas…
Fui tomado de otimismo com o surgimento do nome de Renato Roseno para pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza. Acredito que este jovem, inteligente e capaz, credencia-se a esta missão, tendo em vista a sua espetacular votação para deputado federal nas ultimas eleições (mais de 113 mil votos).
Infelizmente, a famigerada lei do coeficiente eleitoral frustrou os cearenses de terem na Câmara Federal um legitimo representante de seus interesses. A legenda permitiu, naquela época, que candidatos outros – sem compromisso com a cidadania, fossem eleitos. O voto de “cabresto” também se concretiza nesses regulamentos eleitorais.
Gostaria de testemunhar que, por onde passo, o nome de Renato Roseno é lembrado… E esta sinalização parte de vários setores da sociedade fortalezense. Isto é, de jovens, adultos, partidários ou não, estudantes secundários e universitários, pais e mães de famílias, trabalhadoras e trabalhadores de todas as categorias.
Não estaria exagerando, caso o nosso jovem amigo seja escolhido como candidato a prefeito. Sem duvida, as esperanças seriam restabelecidas na consciência dos eleitores de Fortaleza.

Padre Haroldo Coelho,
Professor e Sociólogo
Membro do Psol

DO BLOG DO ELIOMAR

sexta-feira, 30 de março de 2012

CPI do Cachoeira preocupa opositores e aliados


O pedido de criação da CPI dos Caça-Níqueis (ou do Cachoeira) na Câmara foi entregue ao presidente Marco Maia (PT-RS) há dez dias. Constam no requerimento 181 assinaturas, acima das 171 exigidas. Até agora, o presidente Marco Maia (PT-RS) não deu prosseguimento ao caso.
Não será nenhuma surpresa se ele resolver sentar em cima do pedido. Embora seja um instrumento útil para atingir a oposição, a investigação fatalmente atingiria também aliados do governo.

http://veja.abril.com.br

Editor da Veja falou mais de duzentas vezes com Carlinhos Cachoeira

Policarpo Júnior, editor da Veja e Carlinhos Cachoeira: mais de 
200 telefonemas interceptados pela Polícia Federal
Policarpo Júnior, editor da Veja e Carlinhos Cachoeira: mais de 200 telefonemas interceptados pela Polícia Federal


Conforme adiantei no blog ontem, começaram a aparecer nomes dos jornalistas envolvidos com o contraventor Carlinhos Cachoeira. No relatório da Polícia Federal consta que o poderoso editor da Veja, Policarpo Júnior falou ao telefone com Carlinhos Cachoeira mais de duzentas vezes. O Ministério Público Federal quer agora ouvi-lo para saber o que tanto o “professor Cachoeira” conversava com o todo-poderoso editor da revista Veja, a mais influente do país.

Como ilustrei ontem, “essa cachoeira vai virar um tsunami”. Policarpo é só o primeiro dos jornalistas, juízes, políticos (deputados e senadores), policiais civis, militares e federais envolvidos na rede montada para proteger Carlinhos Cachoeira.

Também nas gravações, o atual governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) chafurda na lama, assim o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT) só faltam oferecer procuração ao contraventor para falar em nome dos estados. A coisa envolve tanta gente poderosa que já entrou em campo um grupo querendo montar uma “operação abafa”, uma vez que a própria imprensa vai sair bastante enlameada do caso.

Aliás, fica no ar uma pergunta:

A revista Veja quando faz denúncias contra políticos pede sempre que o acusado seja afastado do cargo até o fim das investigações. Vai afastar o Policarpo?

BLOG DO GAROTINHO

Governo atende TCU e remarca edital


O Tribunal de Contas da União (TCU) apontou superfaturamento de R$ 29 milhões em edital de trecho da obra de transposição do rio São Francisco localizado no Ceará. Auditoria do Tribunal considerou que alguns serviços foram orçados acima do preço do mercado e que o edital restringe a concorrência pelo processo licitatório.

O edital refere-se ao Lote 5 do Eixo Norte das obras, que localiza-se no município de Jati e compreende a execução de seis barragens: Jati, Porcos, Cana Brava, Cipó, Boi I e Boi II; além de obras de alteamento de uma barragem já existente, Atalho.

O TCU requisitou a revisão do edital, antes do lançamento em abril. Contrariando o processo em curso no tribunal, o Ministério da Integração Nacional lançou o edital em março.

Os principais serviços em que o TCU detectou sobrepreço são relacionados a terraplenagem e representam 14,46% do orçamento base. Um dos serviços, de filtros e transições finas de areia natural, chegou a ser orçado 143,48% acima do preço referencial.

O Ministério da Integração Nacional informou ao O POVO que acatou a decisão do TCU e que todas as medidas corretivas referentes ao relatório da auditoria foram implementadas no edital de licitação.

Em aviso publicado no Diário Oficial da União na terça-feira dia 27, o Ministério informou o adiamento da licitação do lote para 26 de abril de 2012.

O Lote 5 é, até agora, o trecho mais atrasado no cronograma da transposição do São Francisco. A última avaliação estimava a conclusão das obras em dezembro de 2015, mais de cinco anos depois da previsão original.

De acordo com o Ministério da Integração Nacional, a região Nordeste apresenta uma grande irregularidade na distribuição de recursos hídricos, pois possui apenas 3% da disponibilidade de água e 28% da população brasileira.

O Rio São Francisco, sozinho, representa 70% de toda a oferta de água da região. Quatro estados seriam contemplados pelo desvio das águas do rio: Paraíba, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

O POVO

MUITO BEM: OAB-CE lança campanha para estender Lei da Ficha Limpa ao cargos comissionados


Para comemorar seus 79 anos de história, a OAB do Ceará lançou, nesta sexta-feira, a Campanha da Ficha Limpa. O objetivo, segundo o presidente da entidade, Valdetário Monteiro, é defender a aplicabilidade dessa lei e fazer com que alcance, também, o funcionalismo público municipal, estadual e federal.
A campanha ocorre a partir da adesão dos cidadãos ao documento eletrônico, disponível no site da entidade (www.oabce.org.br), com o objetivo de tornar a “Ficha Limpa” no funcionalismo público uma lei, de acordo com Monteiro..
“A Lei da Ficha Limpa tornou-se um símbolo da força do povo na luta pela Democracia. Agora, a OAB-CE quer levar a lei para todos os cargos comissionados nos Municípios, Estados brasileiros e no âmbito federal”, disse Valdetário Monteiro no ato de lançamento, na sede da entidade.

BLOG DO ELIOMAR

COMENTÁRIO DE RICARDO NOBLAT: A Demóstenes só cabe renunciar

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) pode escolher uma de duas opções: sangrar lentamente em praça pública até morrer. Ou dar um tiro na cabeça e morrer rapidinho.
Dito de outra maneira: pode esperar o desfecho do processo de cassação do seu mandato que só terá início no Senado depois do próximo dia 10 de abril, sem data marcada para terminar.
Ou pode renunciar ao mandato a qualquer instante - se possível logo. E sair de cena.
Escafeder-se. Mergulhar nas águas do Lago Paranoá. Refugiar-se no interior de Goiás. Ou pedir abrigo pra sempre em um monastério do Himalaia.
Na reportagem publicada, hoje, pelo O Globo, Demóstenes conversa pelo telefone com o ex-bicheiro Carlinhos Cachoeira. Pelo menos dois fatos ganham realce:
a) ele sabia das atividades ilegais de Cachoeira, o que sempre negou;
b) ele defendia os interesses empresariais de Cachoeira dentro do Congresso e junto à Justiça e empresas estatais. Fazia lobby para ele.
Que eu me lembre, jamais foram apresentadas provas tão cristalinas, irrefutáveis e escandalosas da atividade criminosa de um senador.

Ideli nega ter favorecido empresa doadora de sua campanha

 

O Valor

 A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, negou nesta sexta-feira, por meio de nota, que sua campanha para o governo de Santa Catarina em 2010 tenha recebido recursos de uma empresa que assinou contratos com o Ministério da Pesca e Aquicultura para a compra de lanchas patrulha.
“Não há qualquer ligação entre a ministra Ideli Salvatti e a empresa Intech Boating. A doação no valor de R$ 150 mil registrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) feita pela empresa Intech Boating foi destinada ao Comitê Financeiro do Partido dos Trabalhadores (PT) em Santa Catarina e não à candidata Ideli Salvatti”, diz o texto divulgado pela pasta.
Segundo denúncia publicada nesta sexta-feira no jornal "O Estado de S. Paulo", após ser contratada para construir lanchas-patrulha de mais de R$ 1 milhão cada para o Ministério da Pesca, a empresa Intech Boating foi procurada para doar ao PT de Santa Catarina a quantia de R$ 150 mil na eleição de 2010.
O comitê financeiro do PT do estado, por sua vez, foi quem bancou 81% dos custos da campanha de Ideli naquele ano. Antes de se tornar ministra das Relações Institucionais, Ideli assumiu a pasta da Pesca, onde permaneceu por cinco meses.
Ainda segundo o jornal, antes de Ideli ser deslocada para a articulação política do governo, o Ministério da Pesca e Aquicultura pagou à empresa os R$ 5,2 milhões restantes do contrato.

A nota justifica ainda que o contrato firmado entre o Ministério da Pesca e a Intech Boating "foi assinado em 2009, ano em que Ideli Salvatti era senadora da República e não ministra da pasta”.
- - - - - - - - -
Sem competência para fiscalizar a pesca irregular, o Ministério da Pesca comprou 28 lanchas-patrulha por mais de R$ 1 milhão cada, das quais ao menos 23 nunca entraram em operação ou estão avariadas, segundo auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU). Parte da fatura de R$ 31,1 milhões foi paga na gestão de Ideli Salvatti, responsável hoje pela coordenação política do governo Dilma Rousseff.

BLOG DO NOBLAT

quinta-feira, 29 de março de 2012

MUDANÇA TRANSFORMADORA


"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos".

 Fernando Pessoa

TCU vê sobrepreço de R$ 29 milhões em obra do São Francisco


Roberto Maltchik, O Globo
O Tribunal de Contas da União (TCU) encontrou indícios de sobrepreço de R$ 29 milhões em contrato do lote 5, no Ceará, da transposição do São Francisco, e determinou ao Ministério da Integração Nacional que revise o preço de itens do edital para impedir prejuízo aos cofres públicos.
Os auditores do tribunal ainda criticaram a demora para a execução das obras, o que ocasiona aumento do custo total do mega-empreendimento, agora orçado em R$ 8,2 bilhões, de acordo com o TCU.
Não houve liberação de recursos. Os técnicos do tribunal encontraram falhas no edital, como um valor superestimado de R$ 5,1 milhões, por exemplo, em "filtros e transições finas horizontais de areia natural", que representa 1,22% do orçamento total do empreendimento.
Ao todo, foram identificados preços acima daqueles praticados no mercado em 18 itens unitários da obra. Diante das imporpriedades verificadas no edital, o Ministério da Integração Nacional foi obrigado a adiar a concorrência aberta para o trecho, que estava marcada para a última terça-feira.
O TCU ainda criticou a demora da obra, que além de ocasionar prejuízos materiais, infla o custo da obra, inicialmente orçada em R$ 5,2 bilhões. Segundo o TCU, existem falhas graves nos projetos básicos da Transposição do São Francisco.

BLOG DO NOBLAT

Em conversa gravada pela PF, Cachoeira cita repasses a Demóstenes


O Globo

Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso por exploração de jogos ilegais em Goiás, pode ter repassado mais de R$ 3 milhões ao senador Demóstenes Torres (DEM-GO).
Gravações da Polícia Federal revelam que Cachoeira, o contador Giovani Pereira Silva e o sócio Cláudio Abreu conversaram ano passado sobre várias cifras e, em meio à contabilidade, fizeram referências a supostos repasses ao senador. Trechos dos diálogos foram divulgados pelo “Jornal Nacional” nesta quarta-feira.
As conversas foram interceptadas ano passado, no começo da Operação Monte Carlo. Cachoeira, Abreu e Silva estão fazendo contas de movimentação financeira da organização. Num determinado momento, Abreu pergunta a Cachoeira quanto ele reteve.
“Um milhão do Demóstenes”, responde Cachoeira. Na sequência da conversa, Cachoeira menciona outras cifras e relaciona os números ao senador. Seriam R$ 1,5 milhão, mais R$ 600 mil e mais R$ 1 milhão. Essa última cifra teria sido o valor a ser retido, segundo noticiou o “JN”.
A soma daria, nos cálculos de Cachoeira, R$ 3,1 milhões. Abreu corrige o sócio e diz que parte do dinheiro já vinha sendo retida desde a eleição do Demóstenes por recomendação do próprio Cachoeira. A conversa dura cinco minutos, e os três mencionam o nome “Demóstenes” seis vezes. Nos trechos divulgados pela TV não estão claras as circunstâncias e nem os objetivos da suposta movimentação financeira.
Está nas mãos do líder do PMDB , Renan Calheiros (AL), e do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), recompor o Conselho de Ética do Senado, acéfalo desde setembro do ano passado, para que tramite a representação contra Demóstenes, apresentada ontem pelo PSOL.
O documento pede abertura de processo disciplinar para investigar quebra de decoro parlamentar, com punições que vão até a perda do mandato, pelas suspeitas relações do senador com Carlinhos Cachoeira.O documento pede abertura de processo disciplinar para investigar quebra de decoro parlamentar, com punições que vão até a perda do mandato, pelas suspeitas relações do senador com Carlinhos Cachoeira.
O vice-presidente do Conselho de Ética, Jayme Campos (DEM-MT), disse que é preciso que o PMDB indique o substituto do ex-presidente João Alberto (PMDB-MA). A partir daí, ele convocará, em cinco dias, uma nova eleição para que o novo comando do colegiado analise a admissibilidade da representação.
O maranhense João Alberto comandou o conselho de abril a setembro do ano passado. Antes dele, o conselho ficara desativado dois anos. Mas o líder Renan Calheiros foi categórico:
- Isso não é problema do PMDB, não! Não é o líder que cuida disso, não! Eu sei lá quem!!
Com o impasse, caberá a Sarney decidir que destino dar ao conselho e à representação contra Demóstenes, assinada pelo presidente do PSOL, deputado Ivan Valente (SP). Ele protocolou o pedido acompanhado pelo senador Randolfe Rodrigues (AP) e pelo deputado Chico Alencar (RJ).
Na representação, o PSOL pede que sejam chamados para depor Carlinhos Cachoeira e os demais envolvidos no inquérito apresentado pelo MP.

BLOG DO NOBLAT

ESSA FOI DO GRANDE MILLÔ FERNANDES

Millôr Fernandes
 Millôr Fernandes (Wilton Junior/AE)

Repito um velho conselho, cada vez mais válido, sobretudo pro Congresso: Quando alguém gritar “- Pega ladrão”, finge que não é com você. 

Millôr Fernandes

Ivo ataca gestão Luizianne e prega fim da continuidade



De férias há 10 dias, o chefe de gabinete e irmão do governador Cid, Ivo Gomes, aproveitou a tarde de ontem para usar a rede social Facebook e pregar o fim da continuidade da atual gestão petista em Fortaleza. Apesar de não mencionar diretamente a prefeita Luizianne Lins, Ivo declarou guerra contra o governo municipal, quando deu início a uma série de recados na Internet, com o post: “Continuidade de atraso? Nem a pau, Juvenal”.

Em seu perfil na rede social, Ivo disparou críticas sobre diversos aspectos da atual administração e chegou a classificar a gestão como “governo de patota”.

Agressivo e irônico na maioria das mensagens, o chefe de gabinete do Palácio da Abolição contraria o posicionamento de seu irmão Cid, que tem se mostrado favorável à continuidade da aliança entre PT e PSB. O governador, no entanto, aparece solitário entre os Ferreira Gomes, já que o também irmão de Cid, Ciro Gomes, vem defendendo ferrenhamente o fim da união entre as duas siglas e o lançamento de candidatura própria de seu partido na sucessão municipal.

Em conversa com O POVO na noite de ontem, o presidente do PSB em Fortaleza, Karlo Kardozo, admitiu que as opiniões expostas por Ivo no Facebook são compartilhadas por grande parte do partido. “Com relação ao continuísmo, é uma discussão que está aberta. A manutenção da aliança tem de ser revista. Não podemos continuar do jeito que está”, pontuou Kardozo.

Segundo ele, as críticas de Ivo são resultado da avaliação minuciosa sobre a gestão de Fortaleza, baseando-se nos índices do secretariado da prefeita Luizianne Lins.

“A questão da saúde, da educação... Sabemos que temos alguns dos piores índices do Ceará”, disse ele, após ler comentário de Ivo mostrando-se avesso à atual política municipal para esses dois setores. “Continuidade de política em detrimento da educação e da saúde do povo? Ninguém aguenta mais. Já se vão 20 anos assim”, diz o post do chefe de gabinete de Cid.

Sem diálogo
O presidente municipal do partido reclamou também do fato de, conforme ele, as decisões da gestão Luizianne serem tomadas sem haver diálogo com o PSB. “O nosso partido não tem inserção nas decisões da cidade. Queremos abrir o diálogo. É necessário que a gente faça essas criticas para que a gente tenha uma base de sustentação para decidir sobre o futuro da união”, desabafou Kardozo, complementando que a manutenção da aliança não depende apenas de decidir que candidato será lançado. “Temos de construir um programa político pra cidade”, disse.

Procurado pelo O POVO, o presidente municipal do PT, Raimundo Ângelo, disse não ter visto as declarações de Ivo Gomes no Facebook, e se limitou a dizer que é favorável à manutenção da aliança entre PT e PSB.

O POVO entrou em contato com a Prefeitura de Fortaleza por meio de sua assessoria de comunicação, que prometeu retorno à reportagem, o que não ocorreu até o fechamento desta matéria.

O POVO

TCM – Ação no Supremo questiona nomeação do conselheiro Chico Aguiar


“A nomeação do ex-deputado estadual Francisco Aguiar para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) do Ceará é alvo de questionamento no Supremo Tribunal Federal (STF). O advogado Edmilson Barbosa Francelino Filho entrou com ação cautelar e argumenta que a nomeação do conselheiro, teria ocorrido em desacordo com a Constituição Federal.
Para o autor da ação, o então deputado estadual não atenderia os requisitos exigidos para a função, como por exemplo, conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros ou de administração pública.
Além disso, o advogado sustenta que deveria ter sido respeitada a exigência constitucional de mais de 10 anos de exercício em função ou atividade profissional que exija os conhecimentos especificados.
De acordo com o advogado, o ex-deputado estadual não preenche tais requisitos, por ter concluído apenas o ensino médio, não tendo nenhuma formação profissional. Ao O POVO, Aguiar afirmou ainda não ter sido informado sobre a ação. “Vou me informar e conversaremos novamente amanhã”. O autor da ação já havia ingressado com ação popular em 2005. Como o caso não foi julgado em definitivo, recorreu ao STF.”

(O POVO)
(BLOG DO ELIOMAR)

A DAMA DE FERRO: ‘Jeito estúpido de ser’ é hilário, mas afasta aliados

 

O governador é aliado da presidenta Dilma, mas acha que ela precisa mudar ou perderá apoio dos aliados, da classe política e até do eleitor. Ele estava no Planalto, dia desses, quando houve uma cena bizarra: Dilma machucou o pé após um violento pontapé na porta de aço do elevador. Queria ir ao gabinete da ministra Gleisi Hoffmann, mas o elevador não se encontrava à sua espera, como deveria. “Ela estava com raiva. Pior: furiosa”, conta o governador, que teme ser identificado.

Estava ocupada

Dilma se irritou porque Gleisi não atendia ao telefone. Nem poderia: ela estava reunida com um importante embaixador estrangeiro.

Pavio curto

Impaciente, Dilma saiu para um pequeno corredor, atrás do gabinete, mas seu elevador privativo não estava no 3º andar. Ela explodiu de ira.

Andar de cima

O gabinete de Dilma fica no 3º e o de Gleisi no 4º andar do Planalto. O elevador privativo liga os quatro andares à garagem, no subsolo.


 PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

quarta-feira, 28 de março de 2012

A ignorância cega

Cerca de 75% dos brasileiros jamais pisaram em uma biblioteca

 


Edison Veiga e Paulo Saldana, Estadão.com.br

O desempregado gaúcho Rodrigo Soares tem 31 anos e nunca foi a uma biblioteca. Na tarde desta terça-feira, ele lia uma revista na porta da Biblioteca São Paulo, zona norte da cidade. "A correria acaba nos forçando a esquecer essas coisas."
E Soares não está sozinho. Cerca de 75% da população brasileira jamais pisou numa biblioteca - apesar de quase o mesmo porcentual (71%) afirmar saber da existência de uma biblioteca pública em sua cidade e ter fácil acesso a ela.
Vão à biblioteca frequentemente apenas 8% dos brasileiros, enquanto 17% o fazem de vez em quando. Além disso, o uso frequente desse espaço caiu de 11% para 7% entre 2007 e 2011. A maioria (55%) dos frequentadores é do sexo masculino.
Os dados fazem parte da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro (IPL), o mais completo estudo sobre comportamento leitor. O Estado teve acesso com exclusividade a parte do levantamento, cuja íntegra será divulgada nesta quarta-feira em Brasília.
Para a presidente do IPL, Karine Pansa, os dados colhidos pelo Ibope Inteligência mostram que o desafio, em geral, não é mais possibilitar o acesso ao equipamento, mas fazer com que as pessoas o utilizem. "O maior desafio é transformar as bibliotecas em locais agradáveis, onde as pessoas gostam de estar, com prazer. Não só para estudar."
A preocupação de Karine faz todo sentido quando se joga uma luz sobre os dados. Ao serem questionados sobre o que a biblioteca representa, 71% dos participantes responderam que o local é "para estudar". Em segundo lugar aparece "um lugar para pesquisa", seguido de "lugar para estudantes". Só 16% disseram que a biblioteca existe "para emprestar livros de literatura". "Um lugar para lazer" aparece com 12% de respostas.

BLOG DO NOBLAT

Férrer cobra explicações do governo sobre empréstimos consignados



O deputado estadual Heitor Férrer (PDT) cobrou resposta do governador Cid Gomes (PSB) sobre o serviço de crédito consignado oferecido aos servidores estaduais. Em dezembro de 2011, o deputado enviou ofício ao governador com denúncias sobre o suposto enriquecimento ilícito do genro do secretário da Casa Civil, Arialdo Pinho, que é proprietário da Promus, empresa que opera o serviço.

As primeiras denúncias foram feitas no ano passado. Durante a sessão plenária de ontem, Férrer afirmou, sem dar detalhes, ter recebido mais documentos que comprovariam irregularidades nos empréstimos.

A declaração gerou bate-boca entre Férrer, pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza, e o vice-líder do governo na Assembleia, Carlomano Marques (PMDB), que classificou o pronunciamento do pedetista de “político” e “eleitoreiro”.

“É um discurso miúdo, raquítico, repetitivo, que não convence mais ninguém, que não cola”, disse Carlomano. Heitor rebateu dizendo que “esse discurso, gordo, robusto e musculoso está em defesa de quem está explorando o servidor público”.

Já o líder do governo, deputado Antonio Carlos (PT), afirmou que o tema já foi discutido na Casa, que o caso já foi explicado e que a denúncia seria “café requentado”, “para os holofotes”. Ao que Férrer respondeu: “Esse café vai ser requentado de vez em quando, porque nós não fizemos o dever de casa, que seria a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito)”.

Para Roberto Mesquita (PV), as explicações dadas pelo governo até agora foram mínimas. E cobrou dos parlamentares uma mais discussão sobre o caso. “A Assembleia Legislativa abortou toda tentativa de dissecar essa estrutura (dos créditos consignados)”, disse.

Sem esperanças de que a Assembleia investigue o caso, Heitor Férrer enviou as denúncias ao Ministério Público e à Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), para que o Poder Executivo seja convocado a prestar esclarecimentos.

O POVO

Quase todos os secretários são presos acusados de fraudes pública

O município de Paraipaba (a 100 km de Fortaleza), amanhece, hoje, com quase todos seus secretários presos. Eles são acusados de participar de esquema de fraudes em licitações que, segundo o promotor Igor Pinheiro, deixou rombo de pelo menos R$ 2 milhões nos cofres públicos.

As 16 pessoas que tiveram prisão decretada foram detidas, ontem, depois de operação conjunta da Procuradoria de Crimes contra a Administração Pública (Procap) e da Polícia Civil. Uma delas foi solta ainda ontem.

Oito dos onze secretários municipais foram levados para a Delegacia de Capturas (Decap) e para o Departamento de Inteligência Policial, em Fortaleza. Além deles, o presidente e outros três membros da Comissão de Licitação do Município e empresários foram presos.

Computadores, documentos, celulares e duas armas foram apreendidos na operação, que se estendeu aos municípios de Itapajé, São Gonçalo do Amarante, Paracuru e Fortaleza. “Se antes a gente tinha provas de desvio de R$ 2 milhões, imagine depois da análise da documentação”, apontou Pinheiro, adiantando que deve haver mais prisões.

Empresa fantasma
O suposto esquema envolvia empresas fantasmas, como supostamente seria a Megalimpo Serviços. O endereço oficial é no centro de Itapajé. Ontem, a Polícia foi até lá e constatou que o local, nunca existiu. “Nem os vizinhos nunca ouviram falar nela”, acrescenta o promotor.

As irregularidades incluiam não comparecimento de pessoas aos pregões presenciais, documentos com assinaturas pendentes e contratos e notas de empenho em branco.

O advogado de defesa dos agentes públicos presos, Fernando Macambira, afirmou ao O POVO que já pediu habeas corpus para seus clientes. Para ele, as prisões foram desnecessárias, já que “todos fizeram questão de falar sobre o assunto com a promotoria, quando convocados, e colocaram sigilos bancário e fiscal à disposição da Justiça”.

Ainda ontem, a secretária da Saúde, Luanda Araújo, conseguiu alvará de soltura. Antes de ser libertada, no momento da prisão, ela passou mal e foi levada ao hospital. O advogado não quis comentar a razão da libertação.

(O POVO)
 

terça-feira, 27 de março de 2012

A briga pelo comando do PDT

Reprodução do jornal O Globo
Reprodução do jornal O Globo


De um lado a turma do ex-ministro Lupi que comanda o partido. Do outro os três netos de Brizola. Mas há ainda um grupo independente que não está de um lado, nem do outro e tem o Movimento de Resistência Leonel Brizola que quer tirar Lupi da presidência, mas não está fechado com os netos de Brizola.

BLOG DO GAROTINHO

Viva Chico Anysio, mestre do humor

Prefeito, vice e rádio são punidos por propaganda antecipada

“O aparelho judicial já começou a atuar contra propaganda política antecipada em 2012 no Ceará. Prefeito e vice do município de Coreaú, Carlos Roner Félix Albuquerque (PSDB) e Francisco Gomes Ximenes, respectivamente, que pretendem concorrer à reeleição, e o Instituto de Radiodifusão de Desenvolvimento Comunitário de Coreaú (Rádio Princesa do Vale) foram condenados a pagar multa no valor de R$25 mil.
O juiz que responde pela comarca do município, Hyldon Masters Cavalcante Costa, julgou procedente uma representação eleitoral interposta pelo promotor de Justiça Ítalo Sousa Braga.
O prefeito terá de pagar R$ 10 mil aos cofres públicos, enquanto Ximenes deverá efetuar pagamento de R$ 9 mil e a rádio de R$6 mil, pela realização e divulgação de propaganda eleitoral extemporânea.”

(O POVO)
(BLOG DO ELIOMAR)

OS DOIS TEM TUDO AVER: FHC e Lula têm encontro de 50 min em hospital de SP


O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso visitou hoje o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Hospital Sírio-Libanês.


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 66, recebeu nesta terça-feira (27) a visita do seu antecessor e adversário político, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), 80.
O encontro aconteceu no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde Lula tem feito sessões de fonoaudiologia após o tratamento contra um câncer na laringe.
FHC, que ficou cerca de 50 minutos no hospital, usou uma portaria lateral para evitar os jornalistas.
Este foi o primeiro encontro dos dois depois que a doença foi diagnosticada, em outubro quando teve início o tratamento com radioterapia. Após o encontro, FHC disse que achou que Lula está muito bem fisicamente, segundo informou a assessoria do Instituto Lula.

PORTAL UOL

Votação sobre cassação de prefeito acaba em pancadaria


Na noite desta segunda-feira (26), a sessão na Câmara de Itatinga (SP) foi tumultuada e os vereadores acabaram se espancando no plenário. Mais de 100 pessoas acompanhavam as votações que decidiriam por uma possível cassação do prefeito da cidade.

A denúncia foi feita pelo vereador Júlio Fogaça e lida pela secretária, mas foi rejeitada por votação. Uma segunda denúncia, desta vez contra o próprio vereador, foi feita por um morador da cidade, mas também não foi aceita pela maioria da Câmara.

O problema começou quando os parlamentares começaram a desenrolar suas falas no plenário. Durante a fala do vereador Antônio dos Santos Barbosa, houve uma interrupção feita por Júlio Fogaça. Os dois se empurraram. O vereador Marcos Feliciano tentou separar, mas também foi atingido.

Os dois vereadores que começaram a briga se agarraram e trocaram socos e só foram separados pelos policiais militares que acompanhavam a sessão. As pessoas que assistiam invadiram o plenário e também foram contidas pela PM.

O vereador Júlio Fogaça afirmou que a discussão é normal dentro da Câmara. Já o vereador Antônio disse que foi provocado pelo vereador da oposição e reagiu aos comentários do colega.

A polícia precisou de reforços. O efetivo, que geralmente trabalha com quatro homens, foi aumentado para dez policiais. Na saída, populares que acompanhavam a sessão ainda xingaram Júlio Fogaça, que precisou ser escoltado até o carro.
Vereadores brigam na Sessão da Câmara em Itatinga (Foto: 
Reprodução/ TV Tem)
Vereadores brigam na Sessão da Câmara em Itatinga (Foto: 
Reprodução/ TV Tem)
Vereadores brigam na Sessão da Câmara em Itatinga (Foto: 
Reprodução/ TV Tem)
Vereadores brigam na Sessão da Câmara em Itatinga (Foto: 
Reprodução/ TV Tem) 

Vereadores brigam na Sessão da Câmara em Itatinga (Foto: 
Reprodução/ TV Tem) 

Vereadores brigam na Sessão da Câmara em Itatinga (Foto: 
Reprodução/ TV Tem) 
Vereadores brigam na Sessão da Câmara em Itatinga
 (Foto: Reprodução/ TV Tem)
 
G1 CEARÁ

A HORA DOS IMPROBOS ESTÁ CHEGANDO: Operação do MP e Polícia prendem 12 acusados de golpes contra a gestão pública


“Pelo menos 12 gestores públicos dos municípios de Paraipaba, Trairi e São Gonçalo do Amarante (Litoral O este) estão detidos na Superintendência da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza. As prisões são resultado de operação desencadeada no início desta terça-feira, 27, pelo Ministério Público e Polícias Civil e Militar para investigar crimes de desvio de verba pública, licitações fraudulentas, improbidade administrativa e corrupção passiva.
De acordo com a Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap), a operação tem por objetivo cumprir 14 mandados de busca e apreensão nos três municípios do Litoral Oeste do Ceará. Até agora, além dos presos, foram encaminhados à sede da Polícia Civil diversos documentos que indicam o envolvimento dos gestores nos crimes.
Todos os envolvidos passam por exames de corpo delito e poderão responder, também, por formação de quadrilha. Ainda nao foram divulgados os nomes dos presos.”

(O POVO Online)
(Blog Do Eliomar)

UMA GUERRA DOS INFERNOS

O diabo entra na briga entre Edir Macedo e Valdemiro

Pastores recorrem até ao inferno para vencer guerra por fiéis no mercado da fé. Igreja Universal, de Macedo, perde fiéis e receita para a Mundial, de Valdemiro

Leonardo Coutinho
Edir Macedo para fiel supostamente possuída pelo 
demônio:  “É você que tem tirado os pastores da Universal?”

Fiel:  “Eu me sinto bem no meu trono (na Igreja Mundial). Eu curo todo 
mundo.”

Edir Macedo:  “Quer dizer, demônio, que  você faz a festa lá no 
Valdemiro?”  

Os hoje arqui-inimigos Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, e Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, convocaram o demônio para ajudá-los na batalha que travam pela alma e generosidade dos fiéis. Recentemente, em seu programa de TV, Macedo “interrogou” o diabo, que, supostamente encarnado em uma devota, “confessou” ter se instalado na igreja rival e ser o responsável pelas propaladas curas operadas por Valdemiro. As entrevistas com o demônio para difamar a concorrência passaram a ser recorrentes na programação da Rede Record. O chefe da Mundial, por sua vez, rebateu as acusações com outras de igual fineza: em seu programa no Canal 21, ele afirmou que o “câncer” de Macedo é obra do demônio. Na tréplica, Macedo levou sua médica à TV para atestar que não sofre da doença e ainda exibiu no programa Domingo Espetacular, da Rede Record, uma reportagem sobre a compra, por Valdemiro, de três fazendas avaliadas em 50 milhões de reais.
O acirramento da guerra dos pastores se dá num momento em que a Universal, de Macedo, perde fiéis e receita aos borbotões para a Mundial, de Valdemiro. Estima-se que, em catorze anos, o segundo tenha conquistado mais de 20% de seguidores do primeiro. Durante muito tempo, Valdemiro foi membro da cúpula da Universal. Preterido por Macedo na indicação para um posto de maior visibilidade na organização, ele rompeu com o chefe e fundou a sua própria igreja. Habilidoso, deu um passo atrás e resgatou o modelo primitivo que deu origem ao fenômeno da Universal: a luta contra Lúcifer e a promessa de curas e milagres de toda ordem — pilares que Macedo mais tarde substituiu pela “teologia da prosperidade”. Ao adotar essa estratégia, Valdemiro passou a atender um nicho de fiéis que Macedo havia negligenciado com o amadurecimento do seu negócio, o público de menor poder aquisitivo e alta credulidade. Seus seguidores passam horas de pé em filas para poder tocar o seu corpo ou recolher um pouco de seu suor em toalhas ou pedaços de pano que são distribuídos na igreja. Valdemiro fomenta a crença de que sua transpiração tem o condão de realizar milagres.
Com os cofres recheados, Valdemiro passou a assediar os membros da Universal. Oferecendo salários e comissões mais altos que os pagos por Edir Macedo, ele atraiu prepostos do rival na Argentina, Inglaterra e em países africanos. Para profissionalizar seus negócios, canibalizou executivos da Record e do Banco Renner, controlado pela Igreja Universal. A riqueza que Valdemiro Santiago ostenta Macedo contabiliza como prejuízo. O estrangulamento de suas contas pela concorrência chegou a afetar as operações da Record e a atrasar salários na TV, como ocorreu no ano passado. O quadro de deterioração das finanças de Macedo se tornou ainda mais calamitoso com a penhora pela Justiça da sede da emissora no Rio de Janeiro para garantia do pagamento de dívidas da Universal do Reino de Deus. 
A má fase não terminou aí. Em setembro, o Ministério Público denunciou Edir Macedo pelos crimes de estelionato, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Os procuradores o acusam de lavar no exterior o dízimo recebido pelos fiéis para depois despejá-lo nas contas da Record. Ao lançar suspeitas sobre a forma como Valdemiro adquiriu suas fazendas, Macedo quer mostrar que o ex-discípulo também dá suas trombadas com a lei. Valdemiro já esteve enroscado em outras diabruras. Em 2003, o chefão da Mundial foi condenado a pagar cestas básicas por porte ilegal de armas. Ele foi flagrado em uma blitz com uma escopeta, duas carabinas e munição. Em 2010, três de seus pastores foram presos em Mato Grosso do Sul transportando sete fuzis M-15. Em depoimento à polícia, o motorista afirmou que o destino das armas era a cidade de Niterói, no Rio de Janeiro.
A crise desencadeada pela Mundial do Poder de Deus obrigou Macedo a redesenhar a administração de seu negócio. Uma das providências foi baixar as exigências para a abertura de novos templos. Antes, para abrir uma franquia, o pastor tinha de comprovar um potencial de arrecadação mínimo de 150 000 reais mensais, a ser atingido em seis meses. Agora, esse piso caiu para 50 000 reais. A comissão a que cada pastor tinha direito sobre o total arrecadado além da meta era originalmente de 10%. Macedo agora a dobrou. O que ele não abre mão é da eficiência. Os pastores que não cumprem as metas dentro do prazo contratado são transferidos ou perdem o comando da franquia. Essa mudança, que aponta para uma capilarização da Universal, faz parte da estratégia de Macedo de substituir o modelo de construção de megatemplos pela pulverização de igrejas menores no país, de manutenção mais barata e mais próximas da casa dos fiéis. Com isso, ele espera baixar os seus custos de operação e evitar que outras ovelhas se desgarrem. Pastores e assessores próximos dos dois líderes afirmam que estes são apenas os primeiros movimentos de uma guerra sem previsão de fim.
“Tô falando para a igreja da fogueirinha, da Record, que fica
 me perseguindo falando um monte de abobrinha. Tô falando daqueles 
doentes desenganados que o demônio está comendo o pâncreas e o fígado 
deles e não tomam juízo.”Valdemiro Santiago, referindo-se a Edir Macedo,
 que levou sua médica à TV para afirmar que ele não tem câncer


REVISTA VEJA DESTA SEMANA

Paixão, álcool e morte


A vida atormentada e a morte misteriosa do desembargador Viana Santos, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo...

A história é pródiga em casos de homens sensatos e poderosos levados à ruína por uma paixão tormentosa. O desembargador Antonio Carlos Viana Santos, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, a maior corte do país, encontrado morto há um ano em sua casa em circunstâncias misteriosas, entrou para essa lista quando conheceu a então estudante Maria Luiza Pereira. Viana Santos era professor em uma faculdade de direito de Taubaté, no início dos anos 2000. Maria Luiza era sua aluna. Ele estava perto dos 60 anos, ela tinha quase 30. Obeso e com problemas de saúde, encantou-se com a jovem de cabelos compridos e corpo exuberante. Em pouco tempo, engataram um romance. "Enquanto era amante, ela era uma mulher carinhosíssima. Fazia as vezes de enfermeira, cozinheira e cuidadora do Viana", diz um ex-assessor do desembargador. Ele se divorciou em 2009 para casar-se com ela. A partir daí, conforme relato de pessoas que conviveram com Viana Santos, a vida do casal mudou. As brigas se tornaram frequentes e, por vezes, eles chegavam à agressão física. Em uma ocasião, Viana Santos contou a um amigo que havia sido espancado no rosto com uma frigideira. Ele, que já sofria com o alcoolismo, afundou-se ainda mais na bebida. Passou a ser visto com frequência tomando vodca no horário do expediente no botequim Kaneko, na Praça da Sé, perto da sede do tribunal.

Maria Luiza revelou-se uma mulher de hábitos caros. Chegava a gastar 12 000 reais em roupas numa só tarde, como fez certa vez durante um passeio a um shopping de Brasília. Quando ela ameaçou romper o casamento, Viana Santos lhe deu de presente um Porsche Cayenne novo, de 373 000 reais. Ela desistiu da separação. Para bancar essa vida, o desembargador afundou-se em empréstimos e, em uma decisão controversa e recentemente descoberta, determinou que a tesouraria do Tribunal de Justiça lhe pagasse de forma adiantada cerca de 1 milhão de reais em férias e licenças-prêmio, que ele deveria receber em centenas de prestações.

Nervoso e deprimido com as brigas, foi internado diversas vezes e vivia com marcas roxas pelo corpo, que, amigos supõem, eram causadas pelas quedas que sofria quando se embriagava. Em dezembro de 2010, chegou ao Conselho Nacional de Justiça uma denúncia anônima contra ele e Maria Luiza, por venda de decisões e tráfico de influência no tribunal. Um mês depois, assessores leram as acusações para Viana Santos quando ele estava internado no Hospital do Coração, por insuficiência cardíaca e edema no pulmão. O texto incluía referências à sua vida conjugal. "Metade do que está  ai é verdade. Sei que ela me trai, mas não consigo viver sem ela", limitou-se a responder. Quando teve alta, em janeiro, saiu com recomendações de evitar excessos. Três dias depois, Maria Luiza o levou para almoçar. Comeram frutos do mar e beberam champanhe. Quando voltaram para casa, Viana Santos estava trôpego, como mostraram as imagens capturadas por câmeras do circuito interno do prédio. Foi encontrado morto cerca de nove horas depois. Foi Maria Luiza quem chamou a  polícia. Segundo uma das duas filhas do casamento anterior do desembargador, a mulher insistiu para que o corpo fosse enterrado naquele mesmo dia. As filhas não concordaram. Feita a necropsia, revelou-se um detalhe intrigante: o corpo do desembargador tinha 10 gramas de álcool por litro de sangue, uma dosagem extraordinariamente alta. Em geral, basta a ingestão de metade disso para que alguém entre em coma alcoólico. A cantora Amy Winehouse, por exemplo, tinha 4 gramas de álcool por litro de sangue quando morreu. A hipótese investigada pelo Ministério Público é estarrecedora: Viana Santos bebeu até desmaiar; depois, alguém injetou álcool em seu corpo até que o organismo, sobrecarregado, não suportasse mais cumprir as funções vitais. Entre as hipóteses averiguadas pelo Ministério Público está a de que essa pessoa tenha sido Maria Luiza.

REVISTA VEJA

Militares ignoram Dilma e anunciam festa para celebrar golpe de 1964

A festa no Clube Militar, em comemoração aos 48 anos do golpe militar que foi combatido pela jovem guerrilheira Dilma Rousseff, hoje presidente da República, promete ter potencial explosivo

Dilma Golpe Militar Ditadura
Dilma agora tem de lidar com insubordinação de ex-torturadores

Se não bastasse a rebelião da base aliada no Congresso Nacional, a presidente Dilma Rousseff agora tem mais um abacaxi para descascar. Desta vez, entre os militares, que já vinham dando sinais de insubordinação assinando um manifesto contra a Comissão da Verdade. Desta vez, o que os militares preparam já pode ser considerado provocação. Dilma havia proibido comemorações, entre os representas da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, em relação ao aniversário do golpe de 31 de março de 1964, que os militares chamam de “Revolução”. Pois o Clube Militar antecipou a festa para o dia 29, daqui a 12 dias, e começou a distribuir os convites para a comemoração, que exige traje esporte fino.
A informação foi publicada neste sábado na coluna Panorama Político, assinada pelo jornalista Ilimar Franco, no jornal O Globo. Desde a demissão de Nelson Jobim, que praticamente pediu para sair, com comentários agressivos em relação a Dilma e algumas de suas ministras, o governo vem administrando focos de crise entre os militares, que ainda não engoliram completamente a escolha de Celso Amorim. Formado nos quadros mais à esquerda do Itamaraty, Amorim imaginava que conquistaria a confiança dos militares, renovando a compra de equipamentos – por isso mesmo, anunciou a retomada da compra dos caças Rafale, da França.
No entanto, não conseguiu conter a insatisfação dos militares da reserva, que prepararam um manifesto contra a Comissão da Verdade e recolheram mais de 500 assinaturas. Os militares também demonstram preocupação com a tentativa de alguns promotores de rever a Lei de Anistia. Nesta semana, houve a tentativa, frustrada, de reabrir o julgamento de Sebastião Curió, que foi responsável pelo massacre dos guerrilheiros do Araguaia.
Agora, uma festa no Clube Militar, em comemoração aos 48 anos do golpe militar que foi combatido pela jovem guerrilheira Dilma Rousseff, hoje presidente da República, tem potencial explosivo.

www.pragmatismopolitico.com.br

segunda-feira, 26 de março de 2012

Divulgação dos fichas – sujas de Capistrano – CE


Em breve, divulgaremos os políticos ficha – suja de Capistrano. Serão divulgados os nomes completos, fotografias dos mesmos e cargos que ocuparam. Todos que tem improbidade administrativa, respondem a processos na justiça, aqueles que receberam multas do TCM por não prestarem suas contas de governo e gestão adequadamente, que tiveram contas desaprovadas, envolvidos em possíveis irregularidades segundo TCU e os que foram e são investigados pelo MPF/CE, MP/CE e PF.

VIEIRA NETO, O LOCUTOR DO POVÃO E PRÉ- CANDIDATO A PREFEITO DE BATURITÉ



É DE LASCAR, este é o programa que detém a maior audiência dentre todos os horários do rádio do Maciço de Baturité. Sob a apresentação do radialista e hoje pré-candidato a prefeito de Baturité, Vieira Neto, o programa que vai ao ar de segunda a sexta de 11:00 ás 13:00  dando oportunidade aos cidadãos da região a reivindicar, cobrar, denunciar e protestar contra os equívocos das autoridades públicas.  Vieira Neto combate com muita propriedade a corrupção e defende uma política na qual somente os homens limpos poderão resolver os problemas da população. Foi o grande responsável nos meios de comunicação do maciço de Baturité pelo debate favorável a aprovação da Lei da Ficha Limpa. O jovem radialista que há alguns anos apresenta programas de entretenimento (musical) e agora envereda pelo campo da informação lançou-se enquanto pré candidato a Prefeitura de Baturité, talvez uma de suas maiores ousadias. A comunidade de Baturité tem grande simpatia pelo mesmo. O programa É de Lascar tem vários quadros que chamam a atenção de seus ouvintes como o A hora do Babão, que através do humor satiriza  com os puxa- sacos dos políticos mandatários.

Alfinetada

“De repente, ele aparece com bilhões e bilhões, dizendo que vai ser o homem mais rico do mundo. Ele quebrou todas as empresas que teve até fazer 50 anos.”
 

Bernardo Paz, empresário de mineração, para o portal iG, referindo-se a Eike Batista.

Ministro das Cidades pagou hospital em São Paulo com dinheiro público

Foto: André Coelho / O Globo

O Globo

Uma auditoria do Tribunal de Contas da Paraíba constatou que o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, recebeu junto com o pai e uma irmã, em 2008 e 2009, quando era deputado estadual (PP), quase R$ 137 mil da Assembleia Legislativa da Paraíba, usados para tratamento no Hospital Sírio-Libanês, revelou ontem reportagem do “Fantástico”.
Segundo conclusão do órgão de fiscalização, por não fazer parte do contingente de pessoas carentes do Estado, o hoje ministro não precisaria ter recebido recursos públicos para custear tratamento médico. Aguinaldo Ribeiro não se pronunciou sobre o caso.
Na mesma reportagem, o “Fantástico” mostrou um suposto esquema de cobrança de propina e indícios de superfaturamento na licitação de um programa que transformaria João Pessoa na primeira capital digital do país, monitorada por câmeras e com acesso gratuito a internet para todos os moradores.
O projeto Jampa Digital foi inaugurado por Aguinaldo Ribeiro em março de 2010, que, à época, era secretário de Ciência e Tecnologia de João Pessoa. O projeto prometia acesso gratuito a internet em 20 pontos da cidade, mas, até hoje, não funciona.

BLOG DO NOBLAT

E Demóstenes, hein?

O que espera Roberto Gurgel, Procurador Geral da República, para pedir ao Supremo Tribunal Federal a abertura de inquérito contra Demóstenes Torres, líder do DEM no Senado, acusado de ser sócio do empresário Carlinhos Cachoeira na exploração de jogos ilegais em Goiás?
O próprio Demóstenes quer ser investigado. Cumpra-se a sua vontade, ora!
Foi em setembro de 2009 que Gurgel recebeu da Polícia Federal o primeiro relatório com gravações e outras provas da ligação de Cachoeira com Demóstenes.
Cabia-lhe pedir ao Supremo que investigasse o senador. Ou então arquivar o caso alegando insuficiência de provas. Gurgel não fez nem uma coisa nem outra.
Em 29 de fevereiro último, a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Monte Carlo para desmontar a quadrilha comandada por Cachoeira e integrada, no mínimo, por 82 pessoas – entre elas dois delegados da própria PF, seis da Polícia Civil e 29 policiais militares, todos de Goiás.
A quem lhe perguntou por não agiu ao receber em 2009 o primeiro relatório da PF, Gurgel respondeu que preferira esperar os resultados da Operação Monte Carlo.
Esperar como se ele não sabia à época que três anos depois uma operação com esse ou outro nome seria executada?
A desculpa rota foi corrigida em seguida por Gurgel. Ele não agiu “por uma questão de estratégia”, disse.
Teria sido mais honesto admitir que não agiu por que não quis. Demóstenes integra o Ministério Público de Goiás desde 1983. Gurgel é chefe do Ministério Público Federal. Sabe como é...
Os partidos esperam um sinal de Gurgel para decidir o futuro de Demóstenes. Alastra-se entre eles a vontade de cassar-lhe o mandato por quebra de decoro.
Imaginam assim fazer Justiça e se redimir do vexame coletivo que marcou a sessão do Senado destinada a proclamar a inocência de Demóstenes.
Do alto da tribuna do Senado, depois de se defender com meia dúzia de argumentos capengas, Demóstenes ouviu com prazer a fala de 44 dos seus pares.
Na tarde de sete de março passado, com a solenidade requerida pela ocasião, os senadores esgotaram seu estoque de lisonjas em favor de um deles.
O mínimo que chamaram Demóstenes foi de amigo, companheiro legal, competente e verdadeiro homem público.
Pedro Simon (PMDB-RS): “Vossa Excelência é uma das pessoas mais competentes e que atuou com bravura em toda a sua vida”. Aécio Neves (PSDB-MG): “Vossa Excelência é um dos homens públicos mais preparados que há”.
Não estava em questão o companheirismo de Demóstenes, nem a sua competência.
Os senadores estavam obrigados a ouvir a defesa dele. Mas a prudência aconselhava que esperassem os desdobramentos da operação policial responsável pela prisão de Cachoeira e de mais 30 pessoas. Só então poderiam absolver ou condenar Demóstenes.
De resto, àquela altura, os senadores conheciam em detalhes uma série de fatos que tornavam Demóstenes suspeito da autoria de vários crimes.
Há quase 300 gravações de telefonemas trocados entre Demóstenes e Cachoeira. A partir de certo momento, os dois passaram a se falar por meio de um aparelho de telefone imune a grampos. Por que?
Em uma das gravações, o senador pede R$ 3 mil a Cachoeira para pagar o aluguel de um jatinho. Em outra, pede um jatinho emprestado. Numa terceira, queixa-se do seu iPad que deixou de funcionar. Cachoeira providenciou outro. Antes, presenteara Demóstenes com um fogão e uma geladeira no valor de R$ 30 mil.
Relatórios da PF informam que Cachoeira e Demóstenes são parceiros desde 2006.
O império do jogo de Cachoeira se amparava em oito mil máquinas caça-níqueis e 1,5 mil pontos de bingos.
Arrecadou nos últimos seis anos R$ 170 milhões. Um terço da dinheirama ficou com o senador, que fez do combate à corrupção seu filão eleitoral.
Há políticos de sobra dispostos a chafurdar na lama com gente como Cachoeira. Demóstenes nem de longe parecia ser um deles.
É isso, afinal, o que mais surpreende.

BLOG DO NOBLAT