ABAS

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Dr. Fernando Lima Lopes, ex-prefeito de Baturité é destaque de capa de revista que circula no maciço


Fonte: Revista Charm

Humor politico

Protesto de pedetistas contra a volta de Lupi à presidência do partido

Pedetistas protestam contra Lupi (Fotos de André Couto)
Pedetistas protestam contra Lupi (Fotos de André Couto)


Estas imagens são da frente da sede do PDT, em Brasília, onde a executiva nacional se reuniu com o retorno do ex-ministro Carlos Lupi à presidência do partido. Os integrantes do Movimento de Resistência Leonel Brizola protestaram, mas é Lupi quem está à frente das negociações do PDT com o Palácio do Planalto para escolher o nome do partido que vai ocupar o Ministério do Trabalho. Mas a divisão interna é cada vez maior.

Blog do Garotinho

MP CONCLUI RELATÓRIO SOBRE CASO DOS BANHEIROS

Kits sanitários

STJ poderá julgar conselheiro do CE

Corregedoria do TCE não fez sua parte, mas o MP pode pedir ao Superior Tribunal que afaste Teodorico

MARÍLIA CAMELO
Teodorico Menezes pode voltar ao TCE a qualquer momento. Ele pediu para se afastar, não foi afastado para ser processado na Corte

 O relatório da investigação de desvio de recursos do Estado para a construção de banheiros em municípios cearenses, elaborado por integrantes do Ministério Público estadual, lotados na Procuradoria de Crimes Contra a Administração Pública (Procap), deve ser entregue ao Procurador Geral de Justiça, Ricardo Machado, até o fim da semana.


O texto do MP estadual terá recomendações que só a procuradoria poderá adotar, dentre as quais o encaminhamento ao Ministério Público Federal, em Brasília, para pedir o afastamento do conselheiro Teodorico Menezes, do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Depois da repercussão de que promotores do Procap conversaram com deputados estaduais cearenses, conforme noticiado pelo Diário do Nordeste, em dezembro, as informações sobre a investigação que envolve também o deputado Téo Menezes (PSDB) ficaram restritas ao grupo de trabalho que se reporta diretamente ao chefe da procuradoria de Justiça. Naquela oportunidade, os promotores admitiam concluir os trabalhos da investigação, no mês de janeiro.

O desvio de recursos do Estado, segundo a investigação, aconteceu em razão de convênios da secretaria das Cidades com associações ligadas diretamente à família e amigos de Teodorico Menezes para a construção de banheiros em várias residências de municípios do Interior cearense onde o deputado Téo Menezes seria votado, nas eleições de 2010. Segundo informações dadas a deputados estaduais, parte do dinheiro serviu para gastos de campanha, conforme constatados após o rastreamento dos cheques emitidos pelo Governo e que chegaram, inclusive, a ser trocados por comerciantes e não no banco contra o qual foi emitido.

Corregedoria

Além das investigações do Ministério Público, o Tribunal de Contas do Estado (TCE), também instaurou procedimentos especiais para apuração da efetividade dos convênios. As primeiras conclusões do TCE são no sentido de mandar que as associações devolvam os recursos recebidos e não aplicados até a apuração das ilegalidades. O conselheiro Teodorico Menezes, que era presidente do Tribunal de Contas do Estado afastou-se do cargo, mas até agora não há qualquer manifestação da Corregedoria daquele Tribunal e ele pode voltar às atividades normais quando entender.

O novo corregedor do TCE, conselheiro Edilberto Pontes deverá dar curso ao processo que ficou apenas na instauração durante o mandato do conselheiro Pedro Timbó como corregedor. A preocupação no Tribunal é que Teodorico decida reassumir suas funções no Tribunal e nada possa ser feito para que isso seja evitado em razão de nada haver naquela Corte de contas processo legal que o impeça.

Em razão de os conselheiros de contas gozarem dos mesmos privilégios dos desembargadores, Teodorico Menezes só pode ser processado no Superior Tribunal de Justiça (STJ). E lá só o Ministério Público federal tem competência para atuar.

Diario do Nordeste

 

PDT briga e não indica nome para Ministério do Trabalho



Maria Lima e Isabel Braga, O Globo

Pegou fogo a reunião do Diretório Nacional do PDT nesta segunda-feira em Brasília, a primeira desde que o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi voltou ao comando do partido após deixar a pasta, sob suspeita de irregularidades.
Houve tumultos e vaias de integrantes do Movimento de Resistência Leonel Brizola e parlamentares de Rio, Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Mato Grosso, que contestaram a volta de Lupi à presidência do PDT.
Uns cobraram seu afastamento imediato e outros exigiram eleição direta com apenas uma reeleição para a direção. Com o controle absoluto do diretório, Lupi rejeitou as propostas e foi apoiado por uma claque barulhenta.
Lupi pôs em votação o pedido de afastamento da presidência da legenda, mas ampla maioria votou por sua permanência. Revoltados, alguns parlamentares argumentaram que sua presença no comando do partido num ano eleitoral pode ser desastrosa.

Blog do Noblat

Lupi jura ter 'moral' para presidir o PDT

EX-MINISTRO CARLOS LUPI


O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou nesta segunda (30) que tem condições morais para permanecer no comando do partido, apesar de ter sido demitido do Ministério do Trabalho por suspeita de favorecimento a ONGs. "É democracia, não posso fazer nada. Tem gente que não gosta da gente, toda a unanimidade é burra, já dizia Nelson Rodrigues. Tenho condições [morais] totais", afirmou. Ele não fez referência às acusações, nem às declarações do deputado Brizola Neto (RJ) que defendeu que Lupi não voltasse ao comando partidário sem antes prestar esclarecimentos sobre sua demissão. 

Informação do jornal Folha de São Paulo.

Portal do Claudio Humberto

Acredite se quiser: PDT permanece na base independente de cargos, afirma vice-presidente

VICE-PRESIDENTE DO PDT, ANDRÉ FIGUEIREDO

O vice-presidente do PDT, André Figueiredo (CE), reiterou nesta segunda (30) que a legenda faz parte da base aliada. “Somos da base [do governo] independentemente de cargos, mas não estamos indicando nomes, porque a presidenta não acenou como um convite para o PDT. Estamos aguardando um convite [para definir um nome no Ministério do Trabalho].” A pasta está sob comando interino de Paulo Roberto dos Santos Pinto desde a saída de Carlos Lupi, que deixou a pasta após denúncias de irregularidades em convênios com organizações não governamentais para programas de qualificação de mão de obra. Figueiredo disse que há dois nomes fortes dentro do partido para o comando do ministério: o de Manuel Dias (secretário-geral) e o do deputado Vieira da Cunha (PDT-RS).

Do Portal do Claudio Humberto

Câmara gasta mais de R$ 8 milhões com novos laptops


A Câmara dos Deputados vai renovar o aparato tecnológico dos parlamentares e assessores para, quem sabe, finalmente se conectar com os eleitores: gastou mais de R$ 7 milhões em novos laptops da HP. Também comprou computadores da Lenovo por R$ 1,2 milhão, para inveja de deputados da Alemanha, Itália e outros países europeus, que não recebem o mimo bancado pelos contribuintes. Deve ser a crise do euro.

Por nossa conta

O Senado, que não é de ferro, gastou R$ 188,9 mil em tablets para os 81 senadores e 29 servidores. Cada um saiu a R$ 1.718.

Portal do Claudio Humberto

Juíza lança livro que compromete Jaques Wagner

http://revistabahia.com.br/wp-content/uploads/2011/11/jaques-wagner3.jpg
Com 22 anos de magistratura nas comarcas criminais da Bahia (e muitas passagens polêmicas), a juíza Olga Regina Guimarães lançará hoje um livro que promete trazer muita dor de cabeça para Jaques Wagner. Batizado de O preço amargo da calúnia, o livro relata episódio ocorrido em 2002, quando Wagner, então candidato ao governo baiano, voou no avião do narcotraficante colombiano, Gustavo Duran Bautista, preso no Uruguai em 2007 com meia tonelada de cocaína. Apesar de levantar a polêmica, o livro alivia a barra de Wagner quando Olga diz acreditar que o petista voou no jato sem saber que o dono era traficante. Gustavo se passava por um promissor fazendeiro no estado. Os adversários de Wagner estão vibrando com o livro.

(Radar On Line/Veja)
(Portal politica livre)

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

OBRA DA ESTAÇÃO TRABALHO DE CAPISTRANO-CE ESTÁ PARADA?


Segundo E-mail de leitor do nosso Blog a contrução da Estação Trabalho de Capistrano estaria parada. Vamos checar essa informação e em breve daremos mais detalhes...

Sobre a Estação Trabalho:

A Estação Trabalho é o mais novo projeto do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), constituído de um espaço de integração dos trabalhadores ao mercado de trabalho, garantindo o exercício de atividades econômicas que promovam a empregabilidade, o desenvolvimento local e a redução de desigualdades regionais. 
E tem como finalidade, melhorar a economia local, através da geração de  emprego e renda, incentivando o comércio, a cultura e o lazer na região, com foco a melhoria da qualidade de trabalho e de vida dos trabalhadores brasileiros.
 No espaço integrado haverá comercialização de produtos locais, serviços de acesso ao microcrédito, ações de qualificação social e profissional, entretenimento, área de convivência e praça de alimentação.

A população de Capistrano espera com expectativa a tão aguardada obra da Estação Trabalho. Será que realmente será útil para o povo de Capistrano? Somente o tempo responderá...

Com o título “Dilma faz projeto de governo; Lula, de vida”, o Estadão traz entrevista, em sua edição desta segunda-feira, com Sebastião Nery

 
Com o título “Dilma faz projeto de governo; Lula, de vida”, o Estadão traz entrevista, em sua edição desta segunda-feira, com Sebastião Nery, que completa 60 anos de jornalismo. Nery fala sobre o governo Dilma Rousseff, a inércia do PSDB e as pretensões de Eduardo Campos, o presidente nacional do PSB. Confira:
“Dizem que Lula foi o presidente com o maior apoio popular, mas Getúlio é incomparavelmente maior”, garante o ex-deputado e jornalista baiano Sebastião Nery, 79 anos de idade, 60 dos quais vivendo e acompanhando intensamente os principais fatos da política nacional e internacional. Por coincidência, Nery nasceu no ano da Revolução Constitucionalista de 1932, considerada a primeira grande revolta contra Getúlio. De lá para cá, o Brasil experimentou cinco constituições e diversas reviravoltas políticas e institucionais registradas pela pena primorosa de Nery, cuja prática parlamentar e profissional possibilitou o acesso a alguns dos mais importantes personagens dessa história.
Nesta entrevista ao jornal O Estado, o experiente jornalista faz elogios à administração da presidente Dilma Rousseff, a quem louva por não ter submetido o governo ao arbítrio do PT e de Lula, e diz que falta liderança ao PSDB, que teria cedido a autoria de programas como o Bolsa Família de bandeja ao ex-presidente petista.
O Estado – Como avalia o governo Dilma?
Sebastião Nery. Eu tinha muito medo do governo da Dilma porque continuo tendo muito medo do Lula e do PT. Meu medo era que os dois fizessem aquilo que o Zé Dirceu ameaçou: que seria um governo não da Dilma, mas do PT. Não foi assim. Dilma não entregou o governo à decisão deles. O PT imaginava que ela ia fazer um governo de assembleísmo. A Dilma está, sim, governando, e eu tinha medo de que ela não o fizesse por causa dessa aliança partidária, já que, para governar, a presidente tem que fazer acordo com dez partidos, e isto implica fazer doações a todos esses partidos com dinheiro do Estado. Mas a Dilma tem ido bem, e o Lula e o PT não têm lhe atropelado muito.
O Estado -  Qual a marca da Dilma neste primeiro ano de gestão?
Sebastião Nery. A seriedade. Claro que ela tem que negociar as pressões, é inevitável que os partidos sejam reivindicantes junto ao governo. Inclusive na crise relacionada à saída dos sete ministros, ela se saiu bem, afinal, não era fácil demitir um Palocci, por exemplo, que era o homem do Lula no governo, assim como não foi fácil demitir o Jobim. A demissão desses ministros é uma prova de que ela está governando. É preciso lembrar que o governo da Dilma é assentado em um punhado de mentiras. O Lula, com aquele talento para misturar Sílvio Santos com Chacrinha, vendeu para o País, junto com o PT, a ideia de que o Brasil não precisa mais do FMI, não lhe deve mais um tostão, e isso é uma mentira brutal. Deu-se a impressão de que o Brasil está nadando em dinheiro, quando não está. No ano passado, a Dilma ficou mal porque não deixaram colocar no Orçamento um tostão a mais para a Saúde, que é o grande problema brasileiro. Então, qual a saída para a presidente? A não ser que ela seja um Néstor Kirchner, e ela não é. Kirchner foi o primeiro sujeito que chamou os banqueiros para conversar e disse como é que seria feito. ‘Vocês, banqueiros, dizem que nós devemos 100 bilhões, mas nós só devemos 25, o resto é juro sobre juro e nós não vamos pagar’. E não pagou! Esse é o motivo pelo qual a Argentina tem crescido a oito, nove por cento ao ano, enquanto o Brasil não consegue crescer 3%. Se a Dilma fosse fazer isso, ela aguentaria a avalanche de críticas nos editoriais dos principais jornais, as críticas acadêmicas? Deixar de pagar os juros que os banqueiros querem é calote, mas deixar de prover o SUS não é calotear o povo brasileiro?
O Estado – Mas a Dilma teria força suficiente para mudar este modelo econômico?
Sebastião Nery. Eu acho que ela não vai fazer. E não vai fazer porque o PT não quer, o Lula não quer, e também não sei se ela mesma quer fazer. Para eles, o interessante é permanecer no poder. É uma mentira dizer que a grande luta no País é entre PT e PSDB. A grande luta é entre o Brasil e os banqueiros. Hoje quem dá a palavra final é o sistema financeiro, e o mundo está governado pelos banqueiros. Há alguma força política no Brasil, seja o PT, ou o PSDB, capaz de enquadrar os banqueiros? Eu acho, todavia, que a Dilma tem mais energia para dobrar e negociar do que o Lula faria. O Lula faz um projeto de vida, enquanto a Dilma faz um projeto de governo.
O Estado – Esse projeto de vida do Lula incluiria uma candidatura a presidente em 2014?
Sebastião Nery. Aí já seria uma questão de luta armada. Como é que o Lula faria isso? Dando um golpe? A presidente da República tem o direito legal de ser candidata à reeleição. Ou ela abandona e vai embora, e fica sujíssima perante a História, ou ela é candidata. Que o Lula espere por 2018. Qualquer golpe que a opinião pública imagine que ela esteja sofrendo complica a própria campanha eleitoral do Lula, se ele quiser ser candidato. Esse negócio de que o Lula é um Dom Pedro I não existe… Todos os que se acharam mais poderosos do que a normalidade da Nação acabaram se ferrando. Não acredito que o povo brasileiro aceitaria normalmente que o Lula e o PT se reunissem e dissessem “sai pra lá, Dilma”. Não há ninguém tão poderoso. Dizem que Lula foi o presidente com o maior apoio popular. Mentira. O Getúlio é incomparavelmente maior do que o Lula.
O Estado – Para o senhor, a popularidade do Lula se baseia especialmente em quê?
Sebastião Nery. A grande catarse do Lula foi o Bolsa Família, por causa da arrogância do PSDB. Os tucanos nunca quiseram dizer que estavam implantando um projeto popular e populista, mas absolutamente necessário, como é o Bolsa Família. Eles acabaram entregando na bandeja para o Lula. O Bolsa Família é o Bolsa Gás, é o Bolsa Escola… Os tucanos fizeram tudo, mas esqueceram de chamar um mineiro, e aí o gênio foi o Patrus Ananias, que disse: vamos juntar tudo num programa só. Os tucanos tinham vergonha cultural de parecerem populistas. O Bolsa Família é uma coisa fundamental para o povo, mas o PSDB não faturou isso.
O Estado – O Plano Real é outra obra mal faturada pelo PSDB, como alguns tucanos têm admitido?
Sebastião Nery. O Brasil moderno nasceu numa decisão aparentemente louca, mas que a História provou que não era, do Itamar Franco dar um telefonema ao Fernando Henrique e dizer, sem nem convidar: “amanhã de manhã sai no Diário Oficial sua nomeação para o Ministério da Fazenda, venha pra cá”. O Fernando Henrique criou então a comissão que criou o Plano Real. Se você puser o Plano Real defronte do Bolsa Família, não há comparação. O Plano Real é um programa de Nação. Pela primeira vez no último século, o País controlou a inflação, criou a moeda forte e começou a negociar internacionalmente de igual para igual. O Plano não foi uma criação exclusiva do Fernando Henrique, claro. Nisso entrou o Pérsio Arida, o Pedro Malan, que é um craque, um sujeito sério; o Edmar Bacha, o Gustavo Franco. Essa turma se reuniu e bolou o Plano Real. E o PT foi contra o Plano. O Brizola foi contra.
O Estado – O que se vê é o PSDB caminhando para a irrelevância. Por que isso?
Sebastião Nery. Porque não existe partido sem liderança e sem povo. O que há é que o PSDB é um covil de serpentes. Aí você diz: “o PT também é”. Sim, o PT também é, mas o PT se juntou na hora que os banqueiros chamaram o José Dirceu e disseram que era para fazer a Carta ao Povo Brasileiro, para que eles não vetassem o Lula. Até hoje é um mistério: quem escreveu a Carta ao Povo Brasileiro? Alguém escreveu dentro da Febraban. Eu acho que foi o Maílson da Nóbrega. É um grande documento, que garantiu a eleição do Lula. E tinha que haver mesmo aquele documento, porque você não podia entregar o País, já em dificuldade, ao PT, ao Rui Falcão, que é um radical, nem ao Zé Dirceu.
O Estado – Eduardo Campos. Qual é a dele?
Sebastião Nery. O Eduardo Campos é um Aécio Neves de verdade (risos). O Aécio fez um brilhante governo em Minas, mas ele não tem a característica do sujeito que brilha para conquistar as coisas. O povo quer um político que tenha posições claras. O Aécio gastou um ano no Senado e ninguém sabe o que ele pensa. A gente pensa que ele é uma liderança, mas não é. O Aécio de verdade é o Eduardo Campos. O projeto do Eduardo é de candidatura contra o PT, porque o PT evidentemente terá candidato depois de oito anos de Dilma. Até lá o Zé Dirceu pode ter sido absolvido por seus pecados ou ter cumprido sua pena.
O Estado – O Dirceu diz que quer ser julgado o mais rápido possível pelo STF por estar convicto da absolvição.
Sebastião Nery. Não se pode botar a mão no fogo por instituição nenhuma, mas eu quero ver pra crer se o Supremo não vai condenar o Dirceu. Vai. Ele é o chefe da quadrilha, quem disse foi o procurador Geral da República. Não acredito na absolvição do Dirceu. O ministro Joaquim Barbosa é um sujeito sério, e o Supremo não vai se expor perante a Nação fazendo uma sacanagem brutal dessas.

BLOG DO ELIOMAR

Min. Ayres Brito, futuro presidente do STF e do CNJ, em entrevista a Revista Istoé promete combater corrupção

Fim do recesso parlamentar e briga PT x PMDB vão esquentar o clima de Brasília

Disputa entre PMDB e PT vai virar briga de pit bulls
Disputa entre PMDB e PT vai virar briga de pit bulls


De um lado peemedebistas à beira de um ataque de nervos, do outro, petistas em polvorosa. Tudo por conta das mudanças no governo, que não podem ser definidas como um reforma ministerial, mas estão sendo suficientes para fazer estragos na base aliada. E a oposição e os independentes assistindo de camarote, mas não tenham dúvidas de que as tropas de choque do PMDB e do PT só estão acumulando munição para a batalha política que recomeça esta semana com o fim do recesso parlamentar.

O PMDB colocou a presidente Dilma contra a parede no caso do DNOCS e o diretor-geral Elias Fernandes Neto, apadrinhado do líder do PMDB na Câmara, Eduardo Henrique Alves (RN) dançou. Mas, Dilma decidiu recuar no caso da demissão do presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras, Sérgio Machado (PMDB – CE). Preferiu não comprar briga com seu padrinho Renan Calheiros e a turma do PMDB do Senado.

Mas pela quantidade de reclamações, mágoas e desabafos que os principais líderes do PMDB desfilam nos principais jornais do país, o núcleo político do Palácio do Planalto vai começar o ano tendo que apagar muitos incêndios.

Aliás, o clima de revolta é tão grande que já têm gente dizendo, como mostra a coluna Panorama Político, do Globo, que líderes do PMDB já questionam até a postura do vice-presidente Michel Temer. Alguns dizem que ele precisa escolher: cumprir o papel institucional de vice ou representar a voz do partido no governo. A briga vai ser feia, podem apostar. 

BLOG DO GAROTINHO

FHC prevê forte luta interna no PSDB para enfrentar Dilma em 2014


Trecho da recente entrevista concedida pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso à revista inglesa The Economist:
FHC - Na última campanha o PSDB cometeu equívocos enormes. No começo o favorito era nosso candidato ]José Serra], disparado. E em vez de organizar alianças – porque é mais fácil criar alianças quando se está por cima, porque os partidos querem estar junto com o vencedor, como eu disse antes – nós não fizemos isso. Nosso candidato ficou isolado, até internamente.
Ficou isolado ou isolou-se? Ele afastou os outros?
Sim. E isso foi muito ruim. E apesar disso, Dilma foi para o segundo turno. E Serra teve 44%.
Só 44% contra alguém que nunca tinha sido cogitada para presidente antes…
Com Lula por trás. Seja como for, o que estou tentando dizer é que seria possível ganhar. Foi falha nossa.
Com o mesmo candidato?
Bem… talvez não.
Como o PSDB vai se unir ao redor de um candidato?
Tem que buscar a unidade interna. Eu diria que agora o PSDB está mais consciente da necessidade de se unir. Não é simples, porque o senso de coesão baseada em valores é menos forte que no passado. É mais uma questão de personalidades agora. E o mesmo se aplica ao outro lado. A última campanha deles foi nada, zero; as questões reais nunca foram levantadas. Foi um simulacro de campanha, com marqueteiros desempenhando o papel de atores principais, em vez de serem submetidos a alguma liderança.
Agora há vários pontos de interrogação. Qual será o papel de Lula? Eu diria que ninguém sabe, nem ele mesmo. Por causa da sua saúde [Lula tem câncer na garganta, com um bom prognóstico], mas não só por isso. Diria que normalmente Lula tentaria concorrer: ele é um animal muito competitivo, um animal político. E provavelmente a presidente Dilma não tem respaldo interno [em seu partido e nos parceiros de coalizão]. Se ele também tiver a mesma aspiração – não tenho certeza – será difícil para ela. Uma coisa é concorrer com Lula, outra é concorrer com outra pessoa, mesmo a presidente Dilma.
No caso do PSDB, o ex-governador Serra desempenha o papel de Lula: ele tem fibra, gosta de competir. Não sei até que ponto ele estará mais convencido que não é a vez dele, para dar espaço a outros.
Quem seria o candidato óbvio?
Aécio Neves.
Aécio pode ganhar?
Aécio é de uma cultura política brasileira mais tradicional, mais capaz de estabelecer alianças. Ele tem apoio em Minas Gerais [seu estado]. São Paulo não é assim, sempre se divide, é muito grande. As coisas vão ficar mais claras depois das eleições municipais [em outubro de 2012]. Provavelmente vamos ver uma forte luta interna no PSDB, entre Serra e Aécio.

BLOG DO NOBLAT

Fotografia é história: Criador e criatura

 Pena que o PDT já não é mais o mesmo!

Convenção Nacional do PDT - Partido Democrático Trabalhista, em 1981, no Plenário 2 das Comissões da Câmara, em Brasília: Darcy Ribeiro expõe seus argumentos para que o cacique Mário Juruna aceite ser candidato a deputado federal pelo Rio de Janeiro. Darcy convenceu e Juruna se elegeu.
Como foiEu já havia fotografado o antropólogo e ex-ministro Darcy Ribeiro em seu exílio no Exterior. E depois da anistia aqui mesmo no Brasil. Já Juruna, várias vezes nas matas do Xingu e desde a primeira vez que esteve na capital munido de um gravador para registrar a voz das autoridades que prometiam condições melhores de vida para os índios. Jamais, porém, podia prever que os veria no Congresso exercendo mandato. O antropólogo mineiro como vice-governador e depois senador e o capitão dos xavantes, deputado. Ambos pelo estado do Rio de Janeiro. Orlando Brito.

DO PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

Dilma teme a postura de Alves na presidência


A demissão do diretor-geral do Dnocs foi vista pelos aliados de Henrique Alves (RN), líder do PMDB, como “fogo amigo” do PT para queimá-lo na disputa pela presidência da Câmara. Pode ser. Mas é a presidenta Dilma quem parece estar com pé-atrás nessa pretensão. Ela contou a um senador por que teme Alves presidindo a Câmara: “Com o PMDB e a pauta de votações na mão dele, o governo está morto...”

Desequilíbrio

Dilma achou “desequilibrada” a atitude de Henrique Alves em defesa do aliado, desafiando-a e cobrando a demissão de ministros do PT e PSB.

Estupefação

Deixou os meios políticos estupefatos a defesa radical, por Henrique Alves, de alguém acusado de desvios de R$ 192 milhões no Dnocs.

Maus lençóis

Dentro do próprio PMDB, Alves é alvo de críticas por não ter poupado nem o vice-presidente Michel Temer da confusão em que se meteu.


Toma que é teu

Em conversa recente, Dilma lembrou ao PMDB que o compromisso de eleger Henrique Alves presidente da Câmara não é dela, mas do PT.

PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

sábado, 28 de janeiro de 2012

PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE CAPISTRANO AGORA É OPOSIÇÃO FERRENHA AO PREFEITO CLÁUDIO SARAIVA



Na (P)política existe uma premissa que costuma em determinados momentos acontecer na prática. “ Os amigos de hoje são os inimigos de amanhã”  assim como o contrário. O Presidente da Câmara Municipal de Capistrano está fazendo valer esta premissa de aliado de primeira hora passou a se comportar como ferrenho opositor do prefeito Cláudio Saraiva. Tal comportamento faz transparecer grande mágoa e insatisfação do líder do legislativo para com o chefe do executivo.
Uma iniciativa do vereador Joacir que deve estar incomodando e tirando o sono do Prefeito trata-se de um ofício encaminhado a Secretaria de Finanças de Capistrano solicitando em detalhes informações sobre locações de veículos, requisitando ainda lista completa dos mesmos e os seus respectivos valores.
A iniciativa do Presidente é louvável e já deveria ter acontecido a mais tempo, mas, “ antes tarde do que nunca”. É do conhecimento de todos que a Prefeitura Municipal de Capistrano vem abusando e passando dos limites em gastos com locação de veículos. Tais gastos, ao lado das despesas com combustíveis estão no topo das despesas do município segundo constam no portal da transparência do TCM – CE.
A seguir imagem digitalizada do ofício encaminhado:

Magistrados apontam mensalão como pano de fundo da crise do Judiciário


Fausto Macedo, Estadão.com.br

Com os nervos à flor da pele, resultado da crise de credibilidade após revelações de movimentações financeiras atípicas de magistrados, a elite da toga, reunida em Teresina, apontou ontem interesses de “emparedar” o Supremo Tribunal Federal exatamente no ano em que será julgado o maior escândalo da Era Lula.
O mensalão pode ser o pano de fundo da turbulência que atravessa a magistratura, desconfiam líderes da classe, doutos desembargadores e desembargadoras que presidem os 27 Tribunais de Justiça do País e que estão reunidos desde quinta-feira para debater o “aprimoramento das atividades” do Poder que julga.
Sem citar explicitamente os nomes dos inimigos – por cautela, até que se prove o contrário, como manda o rito processual, adotam o silêncio quando instados a identificar quem os aflige –, magistrados acreditam que “alguns réus” do processo criminal que desafia o STF ou pessoas ligadas a eles estão à sombra de uma trama bem urdida para desestabilizar o Judiciário.

BLOG DO NOBLAT

Dilma Rousseff desiste de mudar comando da Transpetro

 Ex-Senador Sérgio Machado (PMDB-CE) no comando da Transpetro

Gerson Camarotti e Gabriela Valente, O Globo

Para evitar o agravamento da crise com o PMDB - após enfrentar o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e tirar seu apadrinhado Elias Fernandes da direção do Departamento Nacional de Obras contra as Secas (Dnocs) -, a presidente Dilma Rousseff decidiu manter o ex-senador Sérgio Machado (PMDB-CE) no comando da Transpetro.
A decisão de substituir Machado, que há nove anos preside a subsidiária da Petrobras, havia sido comunicada pelo governo à cúpula do PMDB, que reagiu mal e trabalhou para revertê-la, levando o Planalto a recuar.
Ao mesmo tempo, outra decisão já tomada em relação à Petrobras, que será presidida por Maria das Graças Foster a partir do dia 13, é a criação de mais uma Diretoria, a Corporativa, que deverá ser usada para acomodar José Eduardo Dutra (foto acima), ex-senador e ex-presidente do PT e da Petrobras, como antecipado pelo GLOBO.
- (Dutra) É um homem de alta capacidade e já foi presidente - afirmou nesta sexta-feira o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB), ao confirmar a criação da diretoria.

BLOG DO NOBLAT

Maia viaja e não avisa vice-presidenta


Foto
PRESIDENTE DA CÂMARA, DEP MARCO MAIA, DEIXA CASA SEM COMANDO

O presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), viajou para a Alemanha sem repassar o cargo a sua vice, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES). Segundo o site Bahia Notícias, o ato fere o regimento interno da Casa e ele nem sequer informou à Rose que se ausentaria. Maia está fora do país desde o último domingo (22). “Estou pasma”, disse a deputada ao saber que ele havia viajado. Segundo ela, há uma combinação entre os dois de não viajarem na mesma época a fim de não deixar a Casa sem comando. ”Eu sei das responsabilidades que eu tenho. A Casa tem que ter um funcionamento, tem que ter pessoas responsáveis”, disse. O Código de Ética da Câmara prevê processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética para deputados que não seguem as normas internas.

PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

ESSE TEXTO TÁ CIRCULANDO NA NET: Padre Corajoso

O Ministério Público Federal de São Paulo ajuizou ação pedindo a retirada dos símbolos religiosas das repartições publicas.
Pois bem, veja o que diz o Frade Demetrius dos Santos Silva.

Sou Padre católico e concordo plenamente com o Ministério Público de São Paulo, por querer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas…
Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião. A Cruz deve ser retirada!
Aliás, nunca gostei de ver a Cruz em Tribunais, onde os pobres têm menos direitos que os ricos e onde sentenças são barganhadas, vendidas e compradas.
Não quero mais ver a Cruz nas Câmaras legislativas, onde a corrupção é a moeda mais forte.
Não quero ver, também, a Cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos são constrangidos e torturados.
Não quero ver, muito menos, a Cruz em prontos-socorros e hospitais, onde pessoas pobres morrem sem atendimento.
É preciso retirar a Cruz das repartições públicas, porque Cristo não abençoa a sórdida política brasileira, causa das desgraças, das misérias e sofrimentos dos pequenos, dos pobres e dos menos favorecidos.
Frade Demetrius dos Santos Silva.
* São Paulo/SP

CORAGEM É CORAGEM...
Verdades são verdades...
PASSE ADIANTE... Se você tiver coragem.

Escândalo de corrupção por vazamento de cartas abala Vaticano


O Vaticano foi sacudido por um escândalo de corrupção nesta quinta-feira (26) depois que a investigação de uma televisão italiana informou que uma autoridade do alto escalão foi transferida após reclamar sobre irregularidade na concessão de contratos.
O programa “Os Intocáveis”, transmitido na respeitada rede de televisão privada L7, mostrou na noite desta quarta-feira (25) o que disse ser cartas enviadas em 2011 pelo arcebispo Carlo Maria Vigano, então vice-governador da Cidade do Vaticano, a seus superiores, incluindo ao papa Bento 16, sobre a corrupção.
O Vaticano emitiu uma declaração nesta quinta-feira criticando os “métodos” usados na investigação jornalística. Mas confirmou que as cartas são autênticas ao expressar “tristeza pela publicação de documentos reservados”.
Como vice-governador da Cidade do Vaticano por dois anos entre 2009 e 2011, Vigano era o número dois de um departamento responsável pela manutenção de jardins, edifícios, ruas, museus e outros pontos de infraestrutura da minúscula cidade-Estado.
Atualmente embaixador do Vaticano em Washington, Vigano disse nas cartas que, quando assumiu o cargo em 2009, descobriu uma rede de corrupção, nepotismo e clientelismo associados à concessão de contratos a companhias de fora com preços inflacionados.
Transferência
Em uma carta, Vigano conta ao papa sobre uma campanha difamatória contra ele (Vigano) promovida por outras autoridades do Vaticano que queriam a sua transferência porque estavam insatisfeitos com as medidas drásticas que ele havia tomado para poupar o dinheiro do Vaticano ao racionalizar os procedimentos.
“Santo Padre, minha transferência agora provocaria desorientação e desestímulo aos que acreditaram que era possível limpar tantas situações de corrupção e de abuso de poder enraizadas na administração de tantos departamentos”, escreveu Vigano ao papa em 27 de março de 2011.
Em outra carta ao papa em 4 de abril de 2011, Vigano afirmou ter descoberto que a administração de alguns investimentos da Cidade do Vaticano havia sido confiada a dois fundos gerenciados por um comitê de banqueiros italianos “que cuidava mais de seus interesses do que dos nossos”.
No dia 22 de março de 2011, o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, informou que Vigano estava sendo retirado de seu posto, embora ele devesse ter ficado no cargo até 2014.

(Reuters)
(Blog do Eliomar)

A presidente surfa na popularidade


Ilimar Franco, O Globo

O PT e o PMDB estão irritados com as recentes atitudes da presidente Dilma. Ela ignorou os petistas ao indicar o novo ministro de Ciência e Tecnologia. Passou por cima do PMDB na queda do diretor-geral do Dnocs. Até no PSB há ressentimento pelo fato de o ministro Fernando Bezerra Coelho (Integração) ter ido se explicar no Congresso, enquanto o Planalto fez uma operação para blindar o ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento).
A impressão dos políticos é que ela mira a opinião pública e não dá satisfação aos partidos. É grande o ressentimento e alguns aliados dizem que um dia chegará a hora do troco.

BLOG DO NOBLAT

Dilma é vaiada durante discurso

DILMA CRITICOU O PENSAMENTO ÚNICO LIBERAL DURANTE FÓRUM

A presidenta Dilma Rousseff criticou em seu discurso no Fórum Social Temático, iniciado ontem (26) em Porto Alegre, o que classificou como “pensamento único” liberal, e foi vaiada por um grupo de esquerdistas, segundo informãções do Estado de SP. “Aqui estive em 2001. Desde então, esta cidade transformou-se em referência para todos aqueles que buscavam criar uma alternativa ao desequilíbrio da situação econômica e política global. Aqui estavam, como aqui hoje estão, os que não sucumbiram ao pensamento único. Mas muita coisa transformou-se. A crise virou crise real a partir de 2008. Nestes últimos 11 anos surgiram também coisas muito positivas. Na América Latina criaram-se alternativas democráticas. Em muitos países da região, entre eles o Brasil, foram criadas alternativas econômicas que reduzem a pobreza e as desigualdades sociais”, defendeu a presidenta em seu pronunciamento. Dilma disse também que os países da América Latina não abdicam da soberania por causa de pressões de grupos financeiros ou agências de classificações de risco.

DO PORTAL DO CLAUDIO HUMBERTO

Dilma encara o desafio e demite aliado de Alves


Ao desafiar a presidenta Dilma a contrariar “o maior partido do Brasil”, demitindo o diretor-geral do Dnocs, o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), falou na primeira pessoa e, pior, em defesa de um acusado pela Controladoria-Geral da União de desvios de R$ 192 milhões. Desafiada, Dilma telefonou ao vice Michel Temer e comunicou que era irreversível: Elias Fernandes estava demitido.

Pendurado na brocha

Ninguém da cúpula do partido – do vice Michel Temer ao presidente do Senado, José Sarney – abriu a boca para apoiar Henrique Alves.

Pegou mal

O líder do PMDB só teve apoio do seu parceiro Eduardo Cunha (RJ), o que levou Dilma a concluir que a demissão era mesmo o que tinha de fazer.

Comiseração

O PMDB fez gestões para o diretor-geral do Dnocs deixar o cargo “a pedido”, evitando a humilhação do pé na bunda sumário.

Pedido forçado

No twitter, o líder Henrique Alves tentou fazer da demissão uma limonada, insinuando que havia sido voluntária. Não foi.


Do Portal do Claudio Humberto

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Dr. Fernando Lima Lopes, meus Parabéns!!!



Gostaria de parabenizar o médico Dr. Fernando Lima Lopes Ex-Prefeito de Baturité pela passagem de seu aniversário. Há quase 29 anos atrás quando eu nasci para este mundo Dr. Fernando foi o médico responsável pelo parto de minha Mãe.


Eu e minha Mãe somos gratos ao querido Dr.Fernando!!!



 Senhor,

Tu és o grande médico
Ajoelho-me diante de ti,

Já que tudo que é bom
Vem de ti, eu te peço:

Habilidade para as minhas mãos,
Lucidez para o meu espírito e
Compreensão para meu coração

Afasta do meu coração
A cobiça e a mesquinhez,
Dá-me a correção nas atitudes e

Força para poder aliviar
Ao menos uma parte
Da carga de sofrimento,
Dos meus semelhantes,

Dá-me a graça de compreender
O privilégio que tu me concedes

Dá-me a graça de confiar em ti
Com fé simples de uma criança.

Amém.