ABAS

sábado, 31 de dezembro de 2011

Por eleições, prefeitos ignoram apelos da União e aumentam gastos

Foto - Fonte: Faro Fino



Edna Simão, O Globo

Os prefeitos brasileiros ignoraram os apelos da equipe econômica para economizar dinheiro e aceleraram os gastos para garantir mais um mandato ou fazer o sucessor na disputa eleitoral de 2012.
Com isso, a União e os Estados pouparam de janeiro a novembro mais do que fizeram em todo o ano de 2010, não só para mostrar rigor fiscal por causa da crise internacional, mas para compensar o rombo deixado pelos municípios.
Para técnicos do Ministério da Fazenda, a pressão por aumento de gastos dos prefeitos continuará, o que poderá exigir já nos primeiros dias de 2012 um esforço adicional do governo federal – assim como ocorreu em 2011 – para o cumprimento da meta de superávit primário do setor público consolidado de R$ 139,8 bilhões.
Dados divulgados pelo Banco Central comprovam que a meta de superávit primário de 2011 será garantida pela economia do governo federal e dos Estados.
De janeiro a novembro, a União economizou R$ 131,741 bilhões (sem considerar o déficit da Previdência Social e do Banco Central), o equivalente a 3,49% do Produto Interno Bruto (PIB). Os dados de dezembro só serão fechados agora em janeiro.

BLOG DO NOBLAT

Nenhum comentário: