ABAS

terça-feira, 12 de abril de 2011

MOVIMENTO: RPJ - REFORMA POLÍTICA JÁ



























Este movimento é apartidário, não tendo, portanto, nenhum vínculo nem com partidos nem com políticos.

DA OPORTUNIDADE

Todo mal, se combate a sua causa e não o seu efeito. É sabidos que a maioria dos problemas deste país se deve à incompetência e a ineficiência da administração pública e a corrupção dos políticos que desviam verdadeiras fortunas dos cofres públicos para si. Devemos nos focar em resolvendo o problema de “Brasília”, pois, resolvendo este, certamente estaremos resolvendo, por osmose, todos os outros.

Nos últimos anos surgiram no Brasil dezenas movimentos, onde todos manifestam a sua indignação com os desmandos e a corrupção na política brasileira. Entretanto, todos eles, sem exceção, apontam os PROBLEMAS, o NOSSO, talvez seja um dos poucos, se não o único que propõe a SOLUÇÃO.

MISSÃO

Discutir com os vários segmentos da sociedade brasileira e apresentar ao Congresso Nacional um projeto de “REFORMA POLÍTICA”, consistente, austero e, sobretudo, fundamentado na valorização dos pressupostos democráticos, no respeito ao povo brasileiro e em valores éticos e morais.

OBJETIVOS

Moralizar, instituir a ética e reduzir drasticamente os índices de corrupção no cenário político nacional.

Fazer com que a política deixe de ser um excelente “NEGÓCIO” para os desonestos e oportunistas, desestimulando-os a se ingressarem na vida pública.

Valorizar a atuação de políticos comprometidos com os valores morais, éticos e com os interesses coletivos.

ESTRATÉGIA

Mobilizar toda a sociedade através de planejamento estratégico de divulgação do movimento.

Promover vários fóruns de debates envolvendo todos os vários segmentos da sociedade.

Realizar ampla campanha popular com vistas a colher hum milhão de assinaturas a favor do projeto.

Apresentar essa proposta ao Congresso Nacional, pelas mãos de um grupo de “notáveis”, e com a presença da imprensa nacional.

Reivindicar a definição de um cronograma de tramitação deste projeto no Congresso, de modo que a sua votação ocorra através do voto aberto dos parlamentares e transmitido - ao vivo - pelas emissoras de TV.

Promover um amplo debate com os partidos e com os políticos em geral.

Promover, em data a ser definida, uma grande manifestação pública, nas principais cidades do país, para demonstrar a indignação com a atual situação, a união e a força do povo com relação aos propósitos desse movimento, que é o de exigir a sua aprovação.

LANÇAMENTO DA CAMPAMHA

16 de fevereiro de 2008, em Belo Horizonte - (logo após o carnaval).

ARGUMENTOS

Somos 190 milhões de brasileiros indignados, não podemos ficar passivos a tudo isso e nos curvar diante desses políticos. Unidos somos mais fortes. Podemos e devemos mudar esse país.

A Reforma Política é a mãe de todas as reformas que o país tanto necessita, como: Reforma Tributária, da Previdência, do sistema carcerário, dentre outras. Se a primeira não sair, nenhuma outra sairá.

Nossa proposta é de uma intervenção cirúrgica. É dizer que, agora, se não VOTAREM a favor da nossa proposta, para as eleições de 2010, faremos uma ampla campanha de conscientização, com o objetivo de renovar 100% do Congresso, para que, em 2011, reapresentarmos essa mesma proposta aos novos políticos.

DIVULGAÇÃO

Envolver personalidades formadoras de opinião (artistas / atletas / professores e universitários) nesse projeto é fundamental para o seu sucesso.

Fazer links com sites de empresas, instituições, etc.

Estabelecer parcerias com os grandes portais da internet (Uol, Terra, Ig, Yahoo, Hotmail, Uai)

Buscar a mídia nacional através de uma ação integrada de assessoria de imprensa.

Articular junto a entidades como ACM, FIEMG, UNE / UEE, CDL, OAB, Sindicatos, Conselhos, etc.

Estabelecer parcerias com veículos de comunicação (TV’s, rádios, gráficas, portais internet, outdoors)

Divulgar o projeto em jornais das empresas, associações, sindicatos, clubes, etc.

Inserir o selo na primeira página de jornais ou capa de revistas em todo o país.

SLOGANS

1) Eles fazem as nossas leis. Agora, nós vamos fazer as deles.

2) Reforma Política feita pelos políticos seria o mesmo que a revisão do Código Penal ser feita pelos condenados.

3) Indignação sem atitude tem um nome: COVARDIA.

RECURSOS

As grandes empresas aportam muito dinheiro na campanha de um ou outro candidato, para eles defenderem os seus interesses depois de eleitos. Nós buscaremos nas pessoas físicas, micros, pequenas e médias empresas e entidades sem fins lucrativos, uma pequena, mas importante doação.

Face o número de pessoas indignadas com atual situação, não temos dúvidas que conseguiremos uma excepcional arrecadação. Precisamos envolver todos

DESFECHOS

1) Se aprovada: Excelente. Vitória do povo

2) Se não aprovada: Deflagrar uma ampla campanha almejando um dos objetivos abaixo relacionados:

1) Não reeleger nenhum dos atuais políticos ou...

2) Todo mundo anular o seu voto, ou...

3) Todo mundo pagar seus impostos em juízo aque que se resolva essa bandalheira.

DEFESA DO PROJETO

Neste momento a questão não avaliar o que é CERTO ou ERRADO, definido pelas Leis e/ou pela Constituição.

A questão, agora, é avaliar o que é BEM ou MAL para o Brasil.

Nem tudo que é legal, é moral. - O voto secreto dos parlamentares é legal. E isso é moral?

CONTRA-ARGUMENTOS

- “Eles” poderão alegar que algumas questões desse projeto podem não ser CONSTITUCIONAIS E/OU DEMOCRÁTICAS, como:

•Quebra dos sigilos (bancário, telefônico e fiscal) dos parlamentares,
•Exigência mínima de ensino médio para os candidatos à cargos eletivos (legislativo e executivo)
•Restringir ou proibir a divulgação de pesquisas.
•Suspeita de corrupção, o caso será entregue ao Ministério Público e à Polícia Federal e não às CPI’s.


- Mas, as atuais são:

•Voto obrigatório do eleitor.
•Voto secreto dos parlamentares.
•Voto legenda.
•Os próprios senadores escolherem seus suplentes.
•Exposição dos candidatos na mídia ser determinada pelo tamanho do partido

FONTE:www.rpj.org.br

Nenhum comentário: